Des­por­ti­vo de­fen­de con­ti­nui­da­de do mo­de­lo

Jornal de Angola - - Desporto - Gau­dên­cio Ha­me­lay | Lubango

O di­rec­tor-ge­ral do Des­por­ti­vo da Huí­la, Carlos Ma­nu­el, de­fen­de a ma­nu­ten­ção do an­te­ri­or mo­de­lo de dis­pu­ta do Girabola, ape­sar de con­si­de­rar que as opi­niões são re­la­ti­vas.

“Ain­da acho que de­ve­mos man­ter as 16 equi­pas a dis­pu­tar o mo­de­lo an­te­ri­or, em vez de pau­tar-se por re­gi­o­na­li­zar a com­pe­ti­ção”, de­fen­deu.

O di­ri­gen­te dos mi­li­ta­res da Re­gião Sul jus­ti­fi­cou que as equi­pas da ca­pi­tal têm mai­or ro­da­gem, em com­pa­ra­ção com as de ou­tras pro­vín­ci­as.

Carlos Ma­nu­el avan­çou que se os plan­téis de ou­tras pro­vín­ci­as não se jun­ta­rem às equi­pas de Lu­an­da, a com­pe­ti­ção per­de aque­le ful­gor.

“Des­ta for­ma e da­da a cir­cuns­tân­cia, even­tu­al­men­te tem que se ar­ran­jar um mei­o­ter­mo. E aí sim, con­cen­trar as equi­pas num lo­cal, pa­ra fa­ze­rem um de­ter­mi­na­do nú­me­ro de jo­gos, e de­pois vol­tar a con­cen­trar nou­tro sí­tio com ou­tras equi­pas que não dis­pu­ta­ram”, apon­tou.

O di­ri­gen­te ad­mi­te ser um as­sun­to que ca­re­ce ain­da de es­tu­dos, e não po­de ser re­sol­vi­do de um dia pa­ra o ou­tro. “E mais uma vez te­re­mos de ve­ri­fi­car que os tes­tes da Covid-19 não exis­tem. Se hou­ves­se es­sa dis­po­ni­bi­li­da­de, es­ta­ria tu­do bem”, fri­sou.

Carlos Ma­nu­el ex­pli­cou que, nos di­as de ho­je, as au­to­ri­da­des pre­ci­sam de tes­tes pa­ra os alu­nos e pro­fes­so­res por­que as au­las vão re­to­mar; atle­tas, di­ri­gen­tes e po­pu­la­ção de­vi­do os mer­ca­dos in­for­mais que re­a­bri­ram; e pa­ra os do­en­tes. Por is­so, con­si­de­ra se­rem inú­me­ros os tes­tes ne­ces­sá­ri­os e não sa­be se es­ta­re­mos em con­di­ções de os fa­zer.

Por es­sa ra­zão, acon­se­lha a re­pen­sar as da­tas do ar­ran­que do Girabola, e ver se va­le a pe­na con­ti­nu­ar de­vi­do ao au­men­to do nú­me­ro de ca­sos da Co­vid19, prin­ci­pal­men­te em Lu­an­da. “E quan­do mais tes­tes se fi­ze­rem, com cer­te­za, mais re­gis­tos de contaminad­os te­re­mos. Não sei se se­ria bom. Va­mos ter que aprender a con­vi­ver com a do­en­ça, e se­ja o que Deus qui­ser”, en­fa­ti­zou.

| EDI­ÇÕES NO­VEM­BRO

Di­rec­tor-ge­ral da agre­mi­a­ção

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.