Ur­ge a cri­a­ção de es­tra­té­gia de in­clu­são fi­nan­cei­ra

Jornal de Angola - - Economia - MC

A par­ti­ci­pa­ção da po­pu­la­ção no sis­te­ma fi­nan­cei­ro pro­mo­ve a er­ra­di­ca­ção da po­bre­za, a re­du­ção das as­si­me­tri­as so­ci­ais e con­tri­bui pa­ra um sis­te­ma fi­nan­cei­ro mais re­si­li­en­te e es­tá­vel.

Nes­sa pers­pec­ti­va, se­gun­do o Con­se­lho Na­ci­o­nal de Es­ta­bi­li­da­de Fi­nan­cei­ra (CNEF), é pri­o­ri­tá­ria a ela­bo­ra­ção de uma es­tra­té­gia na­ci­o­nal de in­clu­são fi­nan­cei­ra, ba­se­a­da nas par­ti­cu­la­ri­da­des da con­jun­tu­ra na­ci­o­nal.

O pri­mei­ro pas­so é, no en­tan­to, co­nhe­cer o pa­no­ra­ma de in­clu­são e ex­clu­são fi­nan­cei­ras do país, pri­vi­le­gi­an­do o la­do da demanda, ou se­ja, dos con­su­mi­do­res e não con­su­mi­do­res, de pro­du­tos fi­nan­cei­ros re­gu­la­men­ta­dos.

A in­clu­são fi­nan­cei­ra é glo­bal­men­te re­co­nhe­ci­da co­mo um fac­tor po­ten­ci­a­dor do de­sen­vol­vi­men­to eco­nó­mi­co dos paí­ses.

Os dados ob­ti­dos nes­tes inqué­ri­tos aju­da­rão as au­to­ri­da­des es­ta­tais (par­ti­cu­lar­men­te as li­ga­das à su­per­vi­são do sis­te­ma fi­nan­cei­ro, tri­bu­ta­ção, edu­ca­ção, iden­ti­fi­ca­ção ci­vil, de­fe­sa do con­su­mi­dor e ain­da às tec­no­lo­gi­as) na de­fi­ni­ção e afi­na­ção de po­lí­ti­cas e es­tra­té­gi­as pú­bli­cas, mas, tam­bém, as ins­ti­tui­ções fi­nan­cei­ras no de­sen­vol­vi­men­to de pro­du­tos mais ade­qua­dos pa­ra uma fran­ja da po­pu­la­ção in­su­fi­ci­en­te­men­te ser­vi­da e que po­de, no en­tan­to, con­tri­buir sig­ni­fi­ca­ti­va­men­te pa­ra o au­men­to do seu ne­gó­cio.

Os inqué­ri­tos re­ve­la­ram que, na sua es­ma­ga­do­ra mai­o­ria, os co­mer­ci­an­tes in­for­mais en­ten­dem os be­ne­fí­ci­os da in­clu­são e por is­so que­rem ser for­ma­li­za­dos. “Ca­be-nos, ago­ra, pro­mo­ver e fa­ci­li­tar a ma­te­ri­a­li­za­ção des­se de­se­jo, par­tin­do de uma re­a­li­da­de ob­jec­ti­va, re­flec­ti­da nos dados dos inqué­ri­tos re­a­li­za­dos. Ao acon­te­cer, não te­nha­mos qu­al­quer dú­vi­da, que sai­re­mos to­dos a ga­nhar”, ates­ta Lu­zo­lo de Carvalho, se­cre­tá­rio exe­cu­ti­vo do CNEF.

A men­su­ra­ção do grau de in­clu­são fi­nan­cei­ra agre­gou as di­men­sões que com­pre­en­dem a ti­tu­la­ri­za­ção de con­ta ban­cá­ria, me­to­do­lo­gia de pa­ga­men­tos, pou­pan­ça, cré­di­to, se­gu­ro e aces­so à In­ter­net.

En­tre ou­tros dados, os inqué­ri­tos per­mi­ti­ram afe­rir a quo­ta de mer­ca­do dos ban­cos por mer­ca­do, os apli­ca­ti­vos ban­cá­ri­os uti­li­za­dos por mer­ca­do, a ban­ca­ri­za­ção por gé­ne­ro, gru­po etá­rio e grau de es­co­la­ri­da­de, o pla­ne­a­men­to fi­nan­cei­ro pa­ra a ve­lhi­ce, o cré­di­to (ob­ten­ção, fon­te, fi­na­li­da­de e cré­di­to al­me­ja­do) e a ti­tu­la­ri­za­ção de se­gu­ro dos co­mer­ci­an­tes.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.