Re­for­ma per­mi­te elei­ção de na­ni­co com mui­tos vo­tos

Agora - - Brasil - (FSP)

Ape­sar de ter cri­a­do re­gras du­ras pa­ra bar­rar a exis­tên­cia de par­ti­dos com bai­xo de­sem­pe­nho nas ur­nas, a re­for­ma po­lí­ti­ca re­cé­ma­pro­va­da pelo Con­gres­so também trou­xe uma al­te­ra­ção que per­mi­te, em ca­sos ex­cep­ci­o­na­lís­si­mos, a elei­ção de can­di­da­tos des­sas le­gen­das que te­nham ob­ti­do vo- ta­ção mui­to ex­pres­si­va.

Com a proi­bi­ção das co­li­ga­ções, cri­ou-se um “re­fres­co” pa­ra os can­di­da­tos su­per­vo­ta­dos das le­gen­das na­ni­cas. A in­for­ma­ção é do jornal “Va­lor Econô­mi­co”.

Pe­la re­gra apro­va­da ago­ra pelo Con­gres­so, os par­ti­dos ou as co­li­ga­ções (elas ain­da se­rão per­mi­ti­das em 2018) que não atin­gi­rem o quo­ci­en­te elei­to­ral também po­de­rão dis­pu­tar as va­gas não pre­en­chi­das na pri­mei­ra di­vi­são ma­te­má­ti­ca.

De to­da for­ma, a elei­ção de um can­di­da­to de par­ti­do na­ni­co só ocor­re­rá em ca­sos ex­cep­ci­o­na­lís­si­mos, quan­do o po­lí­ti­co des­sa si­gla ti­ver ob­ti­do uma vo­ta­ção ex­pres­si­va.

To­me-se no­va­men­te o exem­plo de São Paulo, em 2014. Na pri­mei­ra di­vi­são, 62 das 70 va­gas fo­ram pre­en­chi­das, res­tan­do oi­to “so­bras”. Ca­so a re­gra apro­va­da ago­ra pelo Con­gres­so es­ti­ves­se em vi­gor na­que­la épo­ca, não ha­ve­ria ne­nhu­ma mo­di­fi­ca­ção na di­vi­são des­sas oi­to ca­dei­ras.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.