As­ses­sor de Pa­loc­ci ten­ta sui­cí­dio

Correio da Bahia - - Mais -

Ri­car­do Ber­zoi­ni, Ja­ques Wag­ner, An­to­nio Pa­loc­ci e Ere­ni­ce Gu­er­ra, en­tre ou­tros.

A in­ves­ti­ga­ção re­la­ci­o­na­da ao PMDB no Congresso te­rá co­mo in­ves­ti­ga­dos, além de Re­nan, os se­na­do­res Edi­son Lo­bão (MA), Ro­me­ro Ju­cá (RR), Val­dir Raupp (RO) e Ja­der Bar­ba­lho (PA); o ex-pre­si­den­te da Trans­pe­tro Sér­gio Ma­cha­do; o de­pu­ta­do cas­sa­do Edu­ar­do Cu­nha e o ex-mi­nis­tro Hen­ri­que Edu­ar­do Al­ves, en­tre ou­tros.

Em no­ta, a as­ses­so­ria do PP afir­mou que o par­ti­do “não com­pac­tua com atos ilí­ci­tos e acre­di­ta no tra­ba­lho da Jus­ti­ça pa­ra es­cla­re­cer os fatos”. Pro­cu­ra­dos, os pre­si­den­tes do PP, Ci­ro No­guei­ra, do PMDB, Ju­cá, e do PT, Rui Fal­cão, não fo­ram en­con­tra­dos.

O se­na­dor Ja­der Bar­ba­lho (PMDB-PA), que é um dos in­ves­ti­ga­dos, acu­sou os pro­cu­ra­do­res de atu­a­rem de ma­nei­ra se­le­ti­va. Ele ques­ti­o­nou o fa­to de não ha­ver ne­nhum mem­bro do PSDB no inqué­ri­to do “qua­dri­lhão”. Se­gun­do Ja­der, o es­que­ma de cor­rup­ção da Pe­tro­bras co­me­çou na ges­tão do ex-pre­si­den­te Fer­nan­do Hen­ri­que Cardoso.

OS QUA­TRO INQUÉ­RI­TOS Ape­sar de ser um es­que­ma am­plo na Pe­tro­bras, as in­ves­ti­ga­ções apon­tam pa­ra exis­tên­cia de su­bes­que­mas na es­ta­tal, na qual ca­da par­ti­do do­mi­na­va uma di­re­to­ria e atu­a­va em des­vi­os nos con­tra­tos de ca­da uma de­las. As in­ves­ti­ga­ções apon­tam que o PP atu­a­va pa­ra des­vi­ar va­lo­res da Di­re­to­ria de Abas­te­ci­men­to. A partir daí, ha­via pa­ga­men­to de pro­pi­na pa­ra po­lí­ti­cos li­ga­dos ao par­ti­do.

Já o PT atu­a­va nos con­tra­tos da Di­re­to­ria de Ser­vi­ços, en­quan­to o PMDB ti­nha co­mo fo­co des­vi­ar re­cur­sos da Di­re­to­ria In­ter­na­ci­o­nal, se­gun­do as in­ves­ti­ga­ções. O juiz fe­de­ral Sér­gio Mo­ro de­ter­mi­nou a trans­fe­rên­cia do an­ti­go as­ses­sor do ex-mi­nis­tro An­to­nio Pa­loc­ci da Su­pe­rin­ten­dên­cia da Po­lí­cia Fe­de­ral no Pa­ra­ná pa­ra o Com­ple­xo Mé­di­co-Pe­nal de Pi­nhais, na Re­gião Me­tro­po­li­ta­na de Cu­ri­ti­ba, on­de es­tão os pre­sos da Ope­ra­ção La­va Ja­to. Pre­so na Ope­ra­ção Omertà na úl­ti­ma se­ma­na de se­tem­bro, Bra­nis­lav Kon­tic ten­tou sui­cí­dio na ce­la da PF, in­ge­rin­do 40 com­pri­mi­dos no sábado.

Bra­ni, co­mo é co­nhe­ci­do, foi le­va­do ao Hos­pi­tal San­ta Cruz, em Cu­ri­ti­ba, “pa­ra acom­pa­nha­men­to mé­di­co e a re­a­li­za­ção de exa­mes”, se­gun­do a PF. Ao pe­dir au­to­ri­za­ção pa­ra re­mo­ver Bra­ni, o de­le­ga­do Igor Ro­má­rio de Pau­la ar­gu­men­tou que no Com­ple­xo Mé­di­co, o ex-as­ses­sor de Pa­loc­ci fi­ca­rá “sob acom­pa­nha­men­to es­pe­ci­a­li­za­do e à dis­po­si­ção des­te juí­zo”. Na se­gun­da-feira, Mo­ro au­to­ri­zou o des­lo­ca­men­to de Bra­ni pa­ra o Com­ple­xo Mé­di­co Pe­nal.

A in­ves­ti­ga­ção da Omertà afir­ma que Pa­loc­ci, com “im­por­tan­te e cons­tan­te au­xí­lio” de Bra­nis­lav Kon­tic atu­ou em fa­vor dos in­te­res­ses do Gru­po Ode­bre­cht, en­tre 2006 e o fi­nal de 2013, in­ter­fe­rin­do em de­ci­sões to­ma­das pelo go­ver­no fe­de­ral. A for­ça-ta­re­fa diz ter e-mails e ano­ta­ções que com­pro­vam as acu­sa­ções con­tra o ex-mi­nis­tro.

Des­de que foi pre­so, An­to­nio Pa­loc­ci e a em­pre­sa de con­sul­to­ria de­le ti­ve­ram R$ 61,7 mi­lhões blo­que­a­dos. Se­gun­do o Mi­nis­té­rio Pú­bli­co Fe­de­ral, a atu­a­ção do ex-mi­nis­tro se deu, in­clu­si­ve, no pe­río­do em que exer­ceu re­le­van­tes fun­ções pú­bli­cas, en­vol­ven­do cons­tan­te in­ter­lo­cu­ção e di­ver­sos en­con­tros.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.