Bo­ni­to, hein!

Correio da Bahia - - Economia - Ma­ri­a­na Sa­les e Priscila Na­ti­vi­da­de mais@cor­rei­o24ho­ras.com.br

Não se ad­mi­re se os ho­mens que vo­cê co­nhe­ce tro­ca­rem o ba­ba do fi­nal de se­ma­na por um ho­rá­rio no seu sa­lão de be­le­za pre­fe­ri­do. Is­so por­que os pro­ce­di­men­tos es­té­ti­cos es­tão con­quis­tan­do cada vez mais o pú­bli­co mas­cu­li­no. Se­gun­do le­van­ta­men­to do SPC Bra­sil, 61,9% dos ho­mens bra­si­lei­ros acre­di­tam que cui­dar da be­le­za é uma ne­ces­si­da­de e não um lu­xo. E eles não an­dam gas­tan­do pou­co com is­so. En­tre as idas e vin­das aos cen­tros de es­té­ti­ca, o va­lor mé­dio das des­pe­sas com pro­du­tos de be­le­za che­ga a R$ 95 por mês. No en­tan­to, ain­da de acor­do com a pes­qui­sa, cer­ca de um quar­to dei­xou de guar­dar di­nhei­ro pa­ra gas­tar com be­le­za e 7% de­les, in­clu­si­ve, fi­ca­ram até com o no­me su­jo pa­ra se sen­tir bem di­an­te do es­pe­lho.

“O pon­to cru­ci­al no ca­so das fi­nan­ças é que as pes­so­as po­dem es­tar dan­do tan­ta im­por­tân­cia a apa­rên­cia que is­so po­de pre­ju­di­car ou­tros in­ves­ti­men­tos” afir­ma o edu­ca­dor fi­nan­cei­ro do SPC Bra­sil, Jo­sé Vig­no­li.

Pa­ra ele, cui­dar da apa­rên­cia é fun­da­men­tal, mas é pre­ci­so ter con­tro­le fi­nan­cei­ro na hora de se cui­dar. “Is­so tu­do tem uma re­la­ção com as mu­dan­ças de con­su­mo e a im­por­tân­cia que tem se da­do ao fí­si­co, à apa­rên­cia. In­ves­tir em es­té­ti­ca aju­da a au­to­es­ti­ma e a ma­nei­ra co­mo o ho­mem se apre­sen­ta pe­ran­te a so­ci­e­da­de, mas de­ve ser fei­to com pla­ne­ja­men­to”, re­co­men­da. PRE­ÇO DA BE­LE­ZA

En­tre os principais cui­da­dos que os ho­mens têm pa­ra se sen­ti­rem mais bo­ni­tos e con­fi­an­tes es­tão ali­men­ta­ção sau­dá­vel (43%), ati­vi­da­des fí­si­cas (41,3%) e cui­da­dos com os den­tes (37,5%). Os números mos­tram, so­bre­tu­do, que 39,1% de­les con­si­de­ram um bom “ta­pa no vi­su­al” co­mo uma ne­ces­si­da­de.

Boa par­te des­ses cui­da­dos in­te­gra a ro­ti­na do es­tu­dan­te de en­ge­nha­ria quí­mi­ca Da­ni­el Vit­ta. Vai­da­de que re­pre­sen­ta um gas­to men­sal de R$ 100, no mí­ni­mo. “A gen­te quer sem­pre se cui­dar mais, in­de­pen­den­te de ser ho­mem ou mu­lher”, pon­tua.

O cor­te de ca­be­lo e a se­la­gem to­do mês são dois itens que fa­zem par­te do or­ça­men­to. “Não abro mão. Fa­ço is­so pa­ra me sen­tir bem co­mi­go. Gos­to do meu ca­be­lo sem­pre ar­ru­ma­do”.

A cada dois me­ses, o uni­ver­si­tá­rio faz lim­pe­za fa­ci­al e re­cen­te­men­te se ren­deu tam­bém ao pe­e­ling pa­ra re­no­var a pe­le. O tra­ta­men­to de seis ses­sões lhe cus­tou R$ 280. “Es­tou sem­pre pes­qui­san­do pro­mo­ções e op­ções mais ba­ra­tas. Ten­to or­ga­ni­zar tu­do den­tro do que te­nho con­di­ções de pa­gar”. Vit­ta con­ta ain­da que a pre­o­cu­pa­ção com a apa­rên­cia, cer­ta vez, o le­vou a gas­tar R$ 700 com rou­pas. “Foi o má­xi­mo que com­prei. No mês se­guin­te, ti­ve que me pla­ne­jar pa­ra gas­tar me­nos e equi­li­brar as coi­sas”, con­fes­sa.

IN­VES­TI­MEN­TO

O seg­men­to de be­le­za e es­té­ti­ca quer cha­mar de seu es­se ho­mem que não se con­ten­ta mais ape­nas com a bar­ba fei­ta no banheiro de ca­sa mes­mo. No sa­lão Marjô Es­mal­te­ria e Es­té­ti­ca, lo­ca­li­za­do na Ave­ni­da Tan­cre­do Ne­ves, nos úl­ti­mos seis me­ses, a vai­da­de em al­ta dos ho­mens re­pre­sen­tou um in­cre­men­to de até 20% no fa­tu­ra­men­to do ne­gó­cio, co­mo afir­ma uma das só­ci­as do sa­lão, Nai­a­ra Dan­tas.

“Eles fa­zem em­be­le­za­men­to de pés e mãos, mas­sa­gens, re­du­ção de me­di­das e es­té­ti­ca fa­ci­al”, afir­ma.

Ain­da que as mu­lhe­res se­jam maioria, a ex­pec­ta­ti­va de Nai­a­ra é que o mo­vi­men­to do pú­bli­co mas­cu­li­no cres­ça ain­da mais nos pró­xi­mos me­ses. Por is­so, a em­pre­sá­ria tem ade­qua­do o sa­lão pa­ra aten­der tan­to mu­lhe­res quan­to ho­mens. “No pri­mei­ro se­mes­tre, 30% dos no­vos clientes fo­ram do se­xo mas­cu­li­no. Es­pe­ra­mos que es­se per­cen­tu­al au­men­te ain­da mais”.

O sor­ri­so é mais um atri­bu­to que não fi­ca de fo­ra da lis­ta dos pro­ce­di­men­tos. Se­gun­do o im­plan­to­don­tis­ta da clí­ni­ca Evo­lu­te, Ro­dri­go Qu­ei­roz, é crescente a bus­ca por cla­re­a­men­to den­tal e pe­las len­tes de con­ta­to den­tal. “Atu­al­men­te,

Pa­ra mais da me­ta­de dos ho­mens, be­le­za é fun­da­men­tal

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.