Con­tas de luz de­vem su­bir 5% pa­ra in­de­ni­zar dis­tri­bui­do­ras de ener­gia

Correio da Bahia - - Economia -

A PAR­TIR DE 2017 O atra­so no pa­ga­men­to de in­de­ni­za­ções bi­li­o­ná­ri­as de­vi­das às trans­mis­so­ras de ener­gia elé­tri­ca de­ve ter um im­pac­to mé­dio de 5% na con­ta de luz do con­su­mi­dor nos pró­xi­mos oi­to anos, de acor­do com cál­cu­los da Agên­cia Na­ci­o­nal de Ener­gia Elé­tri­ca (Ane­el). O ór­gão re­gu­la­dor de­ci­diu, on­tem, abrir audiência pu­bli­ca pa­ra dis­cu­tir a me­lhor for­ma de re­mu­ne­rar as con­ces­si­o­ná­ri­as por uma dí­vi­da que de­ve­ria ter co­me­ça­do a ser pa­ga em 2013. Por uma de­ci­são po­lí­ti­ca do go­ver­no da ex-pre­si­den­te Dil­ma Rous­seff, es­se efei­to só de­ve en­trar na ta­ri­fa em ju­lho de 2017. A pro­pos­ta da agên­cia pre­vê que as re­cei­tas das con­ces­si­o­ná­ri­as te­rão que ser ele­va­das em R$ 11 bi­lhões a par­tir do ano que vem. Des­se to­tal, R$ 5,1 bi­lhões cor­res­pon­dem à re­mu­ne­ra­ção de­vi­da até o fim da vi­da útil dos in­ves­ti­men­tos de trans­mis­são, que se­rá pa­ga por um pra­zo de 6 a 7 anos. A mai­or par­te, de R$ 5,9 bi­lhões, cor­res­pon­de a va­lo­res atra­sa­dos dos úl­ti­mos qua­tro anos, que se­rão pa­gos em oi­to par­ce­las anu­ais, um pas­si­vo que, nas con­tas da Ane­el, so­ma R$ 35,8 bi­lhões, atu­a­li­za­do pe­lo IPCA e pe­lo cus­to de ca­pi­tal pró­prio do se­tor de trans­mis­são (WACC) 10,74% ao ano en­tre ja­nei­ro e ju­nho de 2013 e 10,44% a par­tir de ju­nho de 2013. Re­la­tor do pro­ces­so, o di­re­tor Rei­ve Bar­ros cri­ti­cou a de­ci­são do go­ver­no de pos­ter­gar es­ses pa­ga­men­tos por qua­se cin­co anos. Ele res­sal­tou que em­bo­ra os con­tra­tos de con­ces­são te­nham si­do re­no­va­dos em 2012, com vi­gên­cia a par­tir de 2013, a so­lu­ção pa­ra o pa­ga­men­to des­sa dí­vi­da só saiu es­te ano. “Te­mos ho­je uma de­ci­são que de­ve­ria ter si­do to­ma­da em 2013, e o fa­to de não ter si­do to­ma­da evi­den­te­men­te traz su­as con­sequên­ci­as”, afir­mou, res­sal­tan­do que es­se cus­to so­ma R$ 35,8 bi­lhões. “Com a de­ci­são do Te­sou­ro de não apor­tar re­cur­sos, a de­ci­são se­rá re­pas­sar in­te­gral­men­te pa­ra a ta­ri­fa. Is­so dá um va­lor con­si­de­rá­vel”, acres­cen­tou. De acor­do com a Ane­el, se a pro­pos­ta en­trar em vi­gor, as ta­ri­fas do con­su­mi­dor te­rão que con­tar com um au­men­to mé­dio de 5% no pró­xi­mo ano, e que vai per­ma­ne­cer na ta­ri­fa por oi­to anos.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.