24h Do­no de pousada as­sas­si­na­do na fren­te do fi­lho

Correio da Bahia - - Bahia - BRU­NO WENDEL

ILHA DE ITAPARICA Do­no da Pousada Vil­la­ge Itaparica, Si­fre­do Di­as Al­mei­da, 70 anos, foi as­sas­si­na­do com dois ti­ros por vol­ta das 6h30 de on­tem após dois ho­mens ar­ma­dos en­tra­rem na hos­pe­da­ria, on­de ele tra­ba­lha­va e mo­ra­va com um fi­lho, no mu­ni­cí­pio de Ve­ra Cruz, na Ilha de Itaparica. De acor­do com in­for­ma­ções da Po­lí­cia Ci­vil, um ex-fun­ci­o­ná­rio é o prin­ci­pal sus­pei­to de as­sas­si­nar Si­fre­do na fren­te do fi­lho de 11 anos. No mo­men­to do cri­me ha­via dois hós­pe­des na pousada, que fi­ca na lo­ca­li­da­de de Bar­ra Gran­de e tam­bém fun­ci­o­na co­mo um res­tau­ran­te — os hós­pe­des já pres­ta­ram de­poi­men­to à po­lí­cia so­bre o ca­so. De acor­do com in­for­ma­ções ob­ti­das pe­lo COR­REIO, Ma­no­el, o ex-fun­ci­o­ná­rio e sus­pei­to, e um com­par­sa, iden­ti­fi­ca­do ape­nas co­mo Joaquim, ti­ve­ram aces­so à pousada após atra­ves­sa­rem um ma­ta­gal. Con­for­me a in­ves­ti­ga­ção, eles ain­da pu­la­ram um mu­ro nos fun­dos pa­ra ter aces­so aos quar­tos. O prin­ci­pal sus­pei­to, que tem cer­ca de 20 anos, é de San­to Antô­nio de Je­sus, no Recôn­ca­vo, e tra­ba­lhou no lo­cal após sua mãe fa­lar com Si­fre­do pa­ra acei­tá-lo co­mo fun­ci­o­ná­rio. Ma­no­el, no en­tan­to, aca­bou de­mi­ti­do após ser fla­gra­do fu­man­do ma­co­nha na pousada, con­for­me o COR­REIO apu­rou. Na oca­sião, ele te­ria ten­ta­do ata­car Si­fre­do, que es­ta­va ar­ma­do e con­se­guiu evi­tar um con­fron­to. De acor­do com a po­lí­cia, on­tem, após in­va­dir o lo­cal, Ma­no­el e Joaquim fo­ram pa­ra o quar­to de nú­me­ro 2, on­de a ví­ti­ma re­si­dia com o fi­lho. A cri­an­ça es­ta­va na ca­ma quan­do os sus­pei­tos en­tra­ram no quar­to e Si­fre­do es­ta­va na co­zi­nha ex­ter­na. Ao vol­tar pa­ra o quar­to, o do­no da pousada se de­pa­rou com os dois ho­mens ar­ma­dos. Ma­no­el, en­tão, ques­ti­o­nou pe­la ar­ma de Si­fre­do, que afir­mou não es­tar em pos­se de­la. Lo­go em se­gui­da, ele dis­pa­rou con­tra a ví­ti­ma, atin­gin­do-lhe o pes­co­ço. “Ati­rou sem pes­ta­ne­jar, de for­ma fria. Ele (Ma­no­el) sa­bia que se dei­xas­se a ví­ti­ma vi­va, ela iria atrás, por ser uma pes­soa ti­da co­mo de tem­pe­ra­men­to mui­to for­te”, co­men­tou o de­le­ga­do Ge­o­va­ne Pa­ra­nhos, ti­tu­lar da 24ª De­le­ga­cia (Ve­ra Cruz). Um pa­ren­te de Si­fre­do, que pre­fe­riu não se iden­ti­fi­car, la­men­tou a si­tu­a­ção. “Ele tra­ba­lhou anos e anos pa­ra cons­truir es­se pa­trimô­nio. Saiu da Bahia com 18 anos e foi tra­ba­lhar em Bra­sí­lia, in­do e vin­do, jun­tan­do di­nhei­ro pa­ra cons­truir es­se pa­trimô­nio”, de­cla­rou. A ví­ti­ma ain­da es­ta­va no chão quan­do re­ce­beu um se­gun­do dis­pa­ro, des­sa vez no tó­rax, tam­bém sob o olhar da cri­an­ça. Si­fre­do mor­reu no lo­cal do cri­me. Após o as­sas­si­na­to, a du­pla fu­giu le­van­do dois pe­que­nos co­fres de di­nhei­ro e um car­ro da mar­ca Chery. Se­gun­do a Po­lí­cia Ci­vil, ima­gens do cir­cui­to in­ter­no de se­gu­ran­ça da pousada es­tão sen­do ana­li­sa­das. O cri­me é apu­ra­do co­mo la­tro­cí­nio — rou­bo se­gui­do de mor­te. “Pe­lo de­poi­men­to do fi­lho, (o cri­me) foi em ra­zão da ar­ma”, afir­mou Pa­ra­nhos. O de­le­ga­do co­men­tou ain­da que a ví­ti­ma não ti­nha por­te de ar­mas e que não há re­gis­tro an­te­ri­or de as­sal­to à pousada. Há oi­to me­ses, Si­fre­do ga­nhou na Jus­ti­ça o ter­re­no que fi­ca ao la­do da hos­pe­da­ria, ava­li­a­do em R$ 200 mil. O do­no do lo­cal ha­via ven­di­do a área pa­ra ele e pa­ra ou­tra pes­soa. A in­for­ma­ção é de um so­bri­nho da ví­ti­ma, que não quis se iden­ti­fi­car. Ain­da se­gun­do o fa­mi­li­ar, Si­fre­do e o an­ti­go pro­pri­e­tá­rio do ter­re­no pos­suíam de­sa­ven­ças. Um fa­mi­li­ar in­for­mou ain­da que Si­fre­do era viú­vo há cin­co anos e dei­xa cin­co fi­lhos. A cri­an­ça que pre­sen­ci­ou o cri­me era ado­ta­da. “Uma fi­lha mo­ra nos Es­ta­dos Uni­dos e es­tá vin­do pra cá. O en­ter­ro se­ria ho­je (on­tem), mas, a pe­di­do da fa­mí­lia, foi adi­a­do”, afir­mou. O se­pul­ta­men­to es­tá pre­vis­to pa­ra ho­je, em Ca­mas­san­di, dis­tri­to de Ja­gua­ri­pe, no Recôn­ca­vo, em ho­rá­rio não di­vul­ga­do.

EVANDRO VEI­GA

Dois hós­pe­des es­ta­vam na pousada, em Bar­ra Gran­de, na ho­ra do cri­me

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.