Jus­ti­ça acei­ta no­va de­nún­cia e Lu­la vi­ra réu pe­la ter­cei­ra vez es­te ano

Correio da Bahia - - Brasil -

OPE­RA­ÇÃO JA­NUS O juiz Val­lis­ney de Sou­za Oli­vei­ra, da 10ª Va­ra Fe­de­ral em Bra­sí­lia, acei­tou on­tem de­nún­cia con­tra o ex-pre­si­den­te Luiz Inácio Lu­la da Sil­va (PT), o em­pre­sá­rio Tai­gua­ra Ro­dri­gues, so­bri­nho da pri­mei­ra mu­lher do pe­tis­ta, o em­prei­tei­ro Mar­ce­lo Ode­bre­cht e mais oi­to por su­pos­to es­que­ma de fa­vo­re­ci­men­to à Ode­bre­cht no Ban­co Na­ci­o­nal de De­sen­vol­vi­men­to Econô­mi­co e So­ci­al (BNDES). To­dos pas­sam à con­di­ção de réus da Ope­ra­ção Ja­nus, que in­ves­ti­gou o ca­so. Os 11 acu­sa­dos res­pon­de­rão à ação pe­nal por or­ga­ni­za­ção cri­mi­no­sa, cor­rup­ção e la­va­gem de di­nhei­ro. A Lu­la tam­bém é atri­buí­do cri­me de trá­fi­co de in­fluên­cia. Tra­ta-se da ter­cei­ra ação pe­nal aber­ta con­tra o ex-pre­si­den­te em dois me­ses e meio. Na mes­ma va­ra em Bra­sí­lia, ele res­pon­de por ten­ta­ti­va de obs­truir a Ope­ra­ção La­va Ja­to.

O juiz Sér­gio Mo­ro, da 13ª Va­ra em Cu­ri­ti­ba, acei­tou de­nún­cia que acu­sa Lu­la de che­fi­ar o es­que­ma de cor­rup­ção na Pe­tro­bras. A pe­ça aponta pa­ga­men­to de pe­lo me­nos R$ 3,7 mi­lhões ao pe­tis­ta pe­la OAS. As van­ta­gens in­clu­em a com­pra de um tri­plex no Gu­a­ru­já, li­to­ral pau­lis­ta, além do ar­ma­ze­na­men­to de bens re­ce­bi­dos quan­do o pe­tis­ta era pre­si­den­te. Na de­ci­são de on­tem, o juiz de Bra­sí­lia sus­ten­ta que as con­si­de­ra­ções da Pro­cu­ra­do­ria da Re­pú­bli­ca no Dis­tri­to Fe­de­ral le­vam a crer que “se tra­ta de de­nún­cia ple­na­men­te ap­ta, não se in­cor­ren­do em qual­quer ví­cio ou hi­pó­te­se que le­ve à re­jei­ção”. O ma­gis­tra­do fi­xou dez di­as de pra­zo pa­ra que os réus apre­sen­tem as pri­mei­ras ma­ni­fes­ta­ções de de­fe­sa. A par­tir daí, ele pas­sa­rá a ana­li­sar não só os re­qui­si­tos for­mais da de­nún­cia, mas o mé­ri­to das acu­sa­ções im­pu­ta­das a Lu­la e aos ou­tro dez.

A Pro­cu­ra­do­ria em Bra­sí­lia en­vi­ou a de­nún­cia à Jus­ti­ça na úl­ti­ma se­gun­da. Ne­la, os pro­cu­ra­do­res sus­ten­tam que, de 2008 a 2015, Lu­la atu­ou no BNDES pa­ra li­be­rar fi­nan­ci­a­men­tos pa­ra obras da Ode­bre­cht em An­go­la. Em con­tra­par­ti­da, te­ria re­ce­bi­do van­ta­gens in­di­re­tas, na for­ma de re­pas­ses a pa­ren­tes, e di­re­tas, em pa­ga­men­tos a sua em­pre­sa de pa­les­tras. Em no­ta, a de­fe­sa de Lu­la dis­se que o ex-pre­si­den­te é ví­ti­ma de uma “gu­er­ra tra­va­da por meio da ma­ni­pu­la­ção das leis pa­ra atin­gir al­guém que foi elei­to co­mo ini­mi­go po­lí­ti­co”. “Uma das tá­ti­cas de law­fa­re (gu­er­ra ju­rí­di­ca) é o uso de acu­sa­ções ab­sur­das e sem pro­vas”, diz o tex­to subs­cri­to pe­los ad­vo­ga­dos Cris­ti­a­no Za­nin Mar­tins e Roberto Tei­xei­ra. “Lu­la ja­mais in­ter­fe­riu na con­ces­são de qual­quer fi­nan­ci­a­men­to do BNDES”, afir­ma a no­ta. A Ode­bre­cht não co­men­tou. O ad­vo­ga­do de Tai­gua­ra, Roberto Pod­val, dis­se que só vai se ma­ni­fes­tar nos au­tos.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.