Se­nhor Fa­zen­dão

Correio da Bahia - - Vida - Bru­no Qu­ei­roz bru­no.qu­ei­roz@re­de­bahia.com.br

“Era dis­so que eu pre­ci­sa­va pa­ra dar uma ala­van­ca­da na car­rei­ra. Te­nho cer­te­za de que vai ser um gran­de ano”. A afir­ma­ção foi di­ta pe­lo vo­lan­te Ju­ni­nho no dia da sua apre­sen­ta­ção no Bahia, 6 de ja­nei­ro. E ele não es­ta­va fa­lan­do da bo­ca pra fo­ra.

Par­te da “pro­fe­cia” de­pen­de da con­cre­ti­za­ção do ob­je­ti­vo mai­or, no dia 26 de no­vem­bro, que é o aces­so à Sé­rie A. A ou­tra, no en­tan­to, ele tem fei­to ques­tão de con­fir­mar du­ran­te a tem­po­ra­da. De fa­to, o Bahia tem si­do um gran­de pro­pul­sor pa­ra a car­rei­ra de Ju­ni­nho. Os nú­me­ros no clu­be mos­tram por que ele é o jo­ga­dor mais re­gu­lar do elen­co.

A co­me­çar pe­lo nú­me­ro de par­ti­das dis­pu­ta­das em 2016. Ju­ni­nho es­te­ve pre­sen­te em 52 dos 57 jo­gos re­a­li­za­dos na tem­po­ra­da. Ne­nhu­ma le­são gra­ve, ne­nhu­ma ex­pul­são e 12 car­tões ama­re­los so­man­do to­das as com­pe­ti­ções em que atu­ou. Uma fór­mu­la sim­ples, ali­a­da a uma de­di­ca­ção um tan­to in­co­mum.

“Ten­to me cui­dar ao má­xi­mo. Até meus ami­gos brin­cam que usu­fruo mui­to da es­tru­tu­ra do clu­be. Acho que é o que a gen­te tem que fa­zer. O dia que dá pa­ra che­gar mais ce­do pa­ra re­cu­pe­rar e es­tar 100% nos jo­gos, pro­cu­ro fa­zer”, con­ta. Por mui­tas ve­zes, in­clu­si­ve, Ju­ni­nho che­ga ao Fa­zen­dão an­tes até da mai­o­ria dos fun­ci­o­ná­ri­os. “On­tem mes­mo (quar­ta) eu che­guei às 9h da ma­nhã, ho­je (quin­ta) che­guei às 11h”. O de­ta­lhe é que nos dois di­as ci­ta­dos o trei­na­men­to es­ta­va mar­ca­do pa­ra as 15h.

NO­VA PAR­CE­RIA

Ju­ni­nho te­rá um no­vo par­cei­ro no meio-cam­po tri­co­lor no jo­go de ama­nhã con­tra o Ce­a­rá, às 16h, na Fon­te No­va, já que Luiz An­to­nio es­tá sus­pen­so pe­lo ter­cei­ro car­tão ama­re­lo. O ca­mi­sa 5 tri­co­lor acre­di­ta, no en­tan­to, que não ha­ve­rá pro­ble­ma de en­tro­sa­men­to com Re­nê Jú­ni­or, pro­vá­vel es­co­lhi­do pa­ra a va­ga.

“Luiz An­to­nio é um ami­go de lon­ga da­ta, lá do Rio de Ja­nei­ro. Até por is­so fa­ci­li­tou o nos­so en­tro­sa­men­to. É uma per­da, mas quem vai en­trar tem qua­li­da­de. Não é à toa que es­tá jo­gan­do no Bahia. Acre­di­to que pa­ra jo­gar no Bahia tem que ter qua­li­da­de e Re­nê (Jú­ni­or) vem de­mons­tran­do que es­tá pre­pa­ra­do. Te­nho cer­te­za que ele fa­rá um gran­de jo­go e vai nos aju­dar”.

Pa­ra Ju­ni­nho, não há gran­de di­fe­ren­ça en­tre os dois. “Re­nê e Luiz, em ter­mos de qua­li­da­de, acho que são bem pa­re­ci­dos. São jo­ga­do­res que mar­cam bem e têm qua­li­da­de pa­ra jo­gar”, ana­li­sa.

No trei­no de on­tem, fe­cha­do à im­pren­sa, o téc­ni­co Gu­to Fer­rei­ra tra­ba­lhou si­tu­a­ções de gol, com en­fren­ta­men­to de ata­que e de­fe­sa. Moi­sés trei­nou no­va­men­te com bo­la e de­ve ser ti­tu­lar ama­nhã. Her­na­ne, que ha­via si­do pou­pa­do da ati­vi­da­de na vés­pe­ra, tam­bém trei­nou nor­mal­men­te e não pre­o­cu­pa.

Ob­ce­ca­do por trei­nos, Ju­ni­nho é o que mais atu­ou no Bahia em 2016

Ju­ni­nho che­ga ce­do aos trei­nos e mos­tra nos nú­me­ros que é o jo­ga­dor mais re­gu­lar do Bahia no ano: dis­pu­tou 52 jo­gos e ain­da mar­cou 10 gols

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.