Com um sor­ri­so de Pin­guim

Correio da Bahia - - Mais -

Te­nho um ami­go que­ri­do, leitor aten­to, que pe­de no­tí­ci­as agra­dá­veis a ca­da Tri­lha. No­tí­ci­as de um pro­je­to in­te­li­gen­te pa­ra o Cen­tro His­tó­ri­co, te­sou­ro da Baía que o PT re­du­ziu a um pa­trimô­nio “sem ei­ra nem bei­ra, sem ra­mo de figueira”. Anún­cio de es­tra­té­gi­as efi­ca­zes pa­ra o tu­ris­mo bai­a­no, ob­je­to do seu la­bor que o lu­lo­pe­tis­mo des­mon­tou com o pro­je­to “ar­ra­sa quar­tei­rão tu­rís­ti­co” de Do­min­gos Le­o­nel­li e Nel­son Pel­le­gri­no. O re­tor­no das pro­gra­ma­ções ar­tís­ti­cas que a ci­da­de ofe­re­ceu nos anos no­ven­ta, au­tóc­to­nes, in­te­li­gen­tes, e que o pe­tis­ta Marcio Mei­rel­les des­mon­tou tão com­ple­ta­men­te que tem pra­ti­ca­do men­di­cân­cia pa­ra man­ter seu te­a­tro. Por is­so, eu ten­to no­ti­ci­ar su­ces­sos, mes­mo por­que nin­guém su­por­ta mais tan­to fra­cas­so na economia, na in­dús­tria, na cul­tu­ra, nas re­la­ções in­ter­na­ci­o­nais, mas é di­fí­cil por­que as di­fi­cul­da­des em que o lu­lo­pe­tis­mo nos me­teu com su­as ges­tões pe­ri­cu­lo­sas ain­da es­tão dis­tan­tes de aca­bar.

E é im­pos­sí­vel es­cre­ver no­tí­ci­as al­vis­sa­rei­ras re­ce­ben­do cen­te­nas de de­nún­ci­as, in Box, mui­tas da Bahi­a­tur­sa, com fo­tos de fun­ci­o­ná­ri­os mo­no­glo­tas be­ben­do cham­pa­nhe em fei­ras in­ter­na­ci­o­nais com a ver­ba do tu­ris­mo. Ou ig­no­rar as re­des so­ci­ais que de­se­jam Ou­tu­bro de 2018 ama­nhã, pa­ra le­var o PT, Leão Bo­ca de Cocô e Mar­ce­lo Ni­lo, to­dos unidos con­tra os in­te­res­ses da Bahia, pa­ra os ca­fun­dós de Ju­das, ter­ri­tó­rio ide­al pa­ra os que são elei­tos pe­lo po­vo pa­ra me­lho­rar su­as vi­das, e as ar­ruí­nam.

As “es­quer­das bai­a­nas” têm ges­tões his­to­ri­ca­men­te ne­fas­tas. O go­ver­no Wal­dir Pi­res e Ni­lo Co­e­lho, nos idos dos oi­ten­ta, foi me­dío­cre, mas du­rou ape­nas qua­tro anos. A pre­fei­tu­ra de Lí­di­ce da Ma­ta (PSDB) nos idos dos no­ven­ta foi me­dío­cre, mas du­rou ape­nas qua­tro anos. Mas a ges­tão Ja­ques Wag­ner/Rui Cos­ta su­plan­ta a to­das em má qua­li­da­de por­que pre­ju­di­ca a Bahia há dez anos, seis de­les com a com­pa­nhia lo­bo­to­mi­za­da de João Hen­ri­que na pre­fei­tu­ra. Wag­ner te­ve a par­ce­ria fe­de­ral de 2007 a 2015, a mai­or par­te do tem­po com Lu­la na­ve­gan­do em céu de bri­ga­dei­ro, e não fez na­da pe­la Bahia. Aliás, fez: des­truiu o que exis­tia de tal ma­nei­ra que es­tá di­fí­cil re­cons­truir, por­que pro­vo­cou mi­gra­ção em mas­sa, des­mon­tan­do o ca­pi­tal hu­ma­no pro­du­ti­vo.

Ago­ra, de­pois das elei­ções mu­ni­ci­pais, com o mas­sa­cre que se viu, e um ba­cu­le­jo da PF na se­de do PT pa­ra in­ves­ti­gar frau­de elei­to­ral em 2014, os pe­tis­tas pa­re­cem ba­ra­tas ton­tas. Em três di­as, no­ti­ci­a­ram as can­di­da­tu­ras de Wag­ner ao go­ver­no e Rui Cos­ta ao Se­na­do, Ot­to Alen­car ao go­ver­no e Wag­ner ao Se­na­do, no­tí­ci­as que não ame­a­çam o es­ta­do, por en­quan­to.

Mas as ou­tras, as de que se­rão usa­dos 470 mil eu­ros pra pa­gar es­tu­dos de ins­ta­la­ção de te­le­fé­ri­cos, a res­sur­rei­ção da pon­te Sal­va­dor- Ita­pa­ri­ca, a de­mo­li­ção do Cen­tro de Con­ven­ções, que de­sa­bou inex­pli­ca­vel­men­te no meio de uma re­for­ma ban­ca­da com di­nhei­ro chi­nês, ou a cri­a­ção de uma su­per-se­cre­ta­ria pa­ra blin­dar Ja­ques Wag­ner com fo­ro pri­vi­le­gi­a­do, to­das es­sas ame­a­çam o es­ta­do.

Em pa­ra­le­lo, o go­ver­na­dor Rui Cos­ta anun­cia coi­sas ter­rí­veis com sor­ri­sos do Pin­guim, co­mo a di­fi­cul­da­de de pa­gar a fo­lha dos fun­ci­o­ná­ri­os pú­bli­cos por­que a ar­re­ca­da­ção só faz cair. E na­da faz pa­ra au­men­tar a pro­du­ção, úni­ca ma­nei­ra de ar­re­ca­dar im­pos­tos, de­ta­lhe que os po­pu­lis­tas sem­pre es­que­cem, mas as ur­nas ja­mais.

As ‘es­quer­das bai­a­nas’ têm ges­tões his­to­ri­ca­men­te

ne­fas­tas. O go­ver­no Wal­dir Pi­res e Ni­lo Co­e­lho, nos idos dos oi­ten­ta, foi me­dío­cre, mas du­rou ape­nas qua­tro anos.

A pre­fei­tu­ra de Lí­di­ce da Ma­ta (PSDB) nos idos dos no­ven­ta foi me­dío­cre, mas du­rou ape­nas qua­tro anos. Mas a ges­tão Ja­ques

Wag­ner/Rui Cos­ta su­plan­ta a to­das em má

qua­li­da­de

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.