Ação con­tra Re­nan es­tá fo­ra da pau­ta

Correio da Bahia - - Mais -

Re­nan e Lú­cia tro­ca­ram far­pas pú­bli­cas após o se­na­dor cha­mar de “jui­ze­co” o juiz ti­tu­lar da 10ª Va­ra Fe­de­ral do DF, Val­lis­ney de Sou­za Oli­vei­ra, res­pon­sá­vel por au­to­ri­zar a Ope­ra­ção Métis, nas de­pen­dên­ci­as do Se­na­do.

No dia se­guin­te, Cár­men Lú­cia re­ba­teu. Sem ci­tar o pe­e­me­de­bis­ta no­mi­nal­men­te, exi­giu res­pei­to e afir­mou que to­das as ve­zes em que um ma­gis­tra­do é ofen­di­do, ela pró­pria sen­te-se agre­di­da.

PANOS QUEN­TES

“Foi um reu­nião mui­to pro­du­ti­va. Eu apro­vei­tei a opor­tu­ni­da­de pa­ra cum­pri­men­tar res­pei­to­sa­men­te a pre­si­den­te Cár­men Lú­cia em no­me do Con­gres­so e do po­vo de Ala­go­as. Dis­se que ti­nha mui­to or­gu­lho e que ia le­var is­so pa­ra a vi­da to­da o fa­to de con­vi­ver com ela co­mo pre­si­den­te do Su­pre­mo Tri­bu­nal Fe­de­ral. Ela ho­je é exem­plo do pa­drão de ca­rá­ter a ser se­gui­do pe­los bra­si­lei­ros”, afir­mou Re­nan após dei­xar o en­con­tro.

Ques­ti­o­na­do se a par­tir da reu­nião, em que fo­ram dis­cu­ti­das al­gu­mas pro­pos­tas pa­ra a se­gu­ran­ça pú­bli­ca, o im­bró­glio po­de­ria se con­si­de­ra­do “pá­gi­na vi­ra­da”, o se­na­dor res­pon­deu: “O cli­ma foi ame­no e res­pei­to­so. A reu­nião foi mui­to boa. Fi­ze­mos al­gu­mas su­ges­tões e o en­con­tro é um exem­plo a ser se­gui­do. Mas não sei o que vai acon­te­cer”.

O even­to tam­bém con­tou com a pre­sen­ça do mi­nis­tro da Jus­ti­ça, Ale­xan­dre de Mo­ra­es. No meio do ten­si­o­na­men­to en­tre os re­pre­sen­tan­tes dos Três Po­de­res, o mi­nis­tro de­cla­rou que os agen­tes do Se­na­do ha­vi­am ex­tra­po­la­do as su­as com­pe­tên­ci­as ao re­a­li­za­rem su­pos­tas ações de con­train­te­li­gên­cia pa­ra pre­ju­di­car in­ves­ti­ga­ções da Po­lí­cia Fe­de­ral. As de­cla­ra­ções do mi­nis­tro re­vol­ta­ram Re­nan que o cha­mou de “che­fe­te de po­lí­cia”.

No mes­mo dia, o se­na­dor dis­se que te­ria di­fi­cul­da­des de par­ti­ci­par de qual­quer en­con­tro com o mi­nis­tro. On­tem Re­nan dis­se: “Meu car­go não pos­si­bi­li­ta is­so. Te­nho que exer­cê-lo na ple­ni­tu­de, até o fi­nal. Sen­tei com ele e com to­dos os mi­nis­tros”. A pre­si­den­te do Su­pre­mo Tri­bu­nal Fe­de­ral (STF), mi­nis­tra Cár­men Lú­cia, dei­xou o jul­ga­men­to da de­nún­cia apre­sen­ta­da pe­la Pro­cu­ra­do­ria-Ge­ral da Re­pú­bli­ca (PGR) con­tra o pre­si­den­te do Se­na­do, Re­nan Ca­lhei­ros (PMDB-AL), fo­ra da pau­ta de no­vem­bro da Cor­te. A in­ves­ti­ga­ção tra­mi­ta des­de 2007 e a acu­sa­ção foi for­ma­li­za­da em 2013. Ca­be à pre­si­den­te do STF de­fi­nir a pau­ta de jul­ga­men­to das ses­sões do tri­bu­nal. A úl­ti­ma ses­são ple­ná­ria des­te ano es­tá mar­ca­da pa­ra 19 de de­zem­bro, mas a pau­ta ain­da não foi di­vul­ga­da.

No dia 4 de ou­tu­bro, o mi­nis­tro Ed­son Fa­chin, re­la­tor do processo, li­be­rou pa­ra jul­ga­men­to a de­nún­cia. Ca­so o ple­ná­rio do STF acei­te a de­nún­cia da PGR, Re­nan se tor­na­rá réu e res­pon­de­rá a uma ação pe­nal por pe­cu­la­to, fal­si­da­de ide­o­ló­gi­ca e uso de do­cu­men­to fal­so.

Na de­nún­cia ofe­re­ci­da ao STF, a PGR con­si­de­rou que Re­nan re­ce­beu pro­pi­na pe­la cons­tru­to­ra Men­des Jú­ni­or pa­ra apre­sen­tar emen­das que be­ne­fi­ci­a­ri­am a em­prei­tei­ra.

Na pró­xi­ma quin­ta-fei­ra, o STF jul­ga­rá um processo que po­de ame­a­çar a per­ma­nên­cia de Re­nan na pre­si­dên­cia do Se­na­do. Na ação, o par­ti­do Re­de ar­gu­men­ta que o pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca não po­de res­pon­der a ações pe­nais por cri­mes co­muns – Re­nan es­tá na li­nha su­ces­só­ria de Mi­chel Te­mer, de­pois do pre­si­den­te da Câ­ma­ra, Ro­dri­go Maia (DEM-RJ).

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.