ATU­A­ÇÕES DO LEÃO

Correio da Bahia - - Esporte -

Vol­tou a fa­zer

mi­la­gres Não foi bem no la­do di­rei­to Não fez o pê­nal­ti, coi­ta­do Vo­lan­te mo­der­no. Fez gol O lan­ce ca­pi­tal da par­ti­da foi o fo­co da re­cla­ma­ção do téc­ni­co ru­bro-ne­gro Ar­gel Fucks após o em­pa­te em 2x2 con­tra o Flu­mi­nen­se, on­tem, no Ma­ra­ca­nã. Pa­ra ele, o pê­nal­ti mal mar­ca­do foi con­sequên­cia de al­go mui­to an­te­ri­or ao jo­go. Com Sport e Vi­tó­ria bri­gan­do pe­lo re­bai­xa­men­to, Ar­gel ques­ti­o­nou o fa­to do ár­bi­tro per­nam­bu­ca­no Ni­el­son No­guei­ra Di­as ser de­sig­na­do pa­ra api­tar o du­e­lo.

“Não con­si­go en­ten­der a co­e­rên­cia no fu­te­bol bra­si­lei­ro. Se a gen­te bri­ga di­re­ta­men­te com o Sport, não po­de um jo­go im­por­tan­te co­mo es­te um per­nam­bu­ca­no api­tar. Com um er­ro gro­tes­co da­que­le, dá mar­gem de sus­pei­tar qual­quer ti­po de coi­sa. Sa­be­mos que fu­te­bol se jo­ga fo­ra do cam­po tam­bém”, bra­dou Ar­gel, que ain­da re­ve­lou um diá­lo­go que um dos au­xi­li­a­res te­ve com um atle­ta ru­bro-ne­gro.

“Sa­be­mos que foi um er­ro du­plo. Se ele mar­cou pê­nal­ti, por que não ex­pul­sar o Vic­tor Ra­mos? Meu jo­ga­dor ain­da es­cu­tou de um dos au­xi­li­a­res is­to: ‘Is­so acon­te­ce. Não tem mais que cho­rar na­da, pas­sou’. Só qu­e­ro ar­bi­tra­gem ho­nes­ta e co­e­rên­cia. Ou en­tão va­mos pre­ci­sar que o juiz Sér­gio Mo­ro api­te os jo­gos do Campeonato Bra­si­lei­ro”, dis­se Ar­gel.

So­bre o fu­tu­ro, Ar­gel co­bra uma me­di­da dis­ci­pli­nar pa­ra o qua­dro de ar­bi­tra­gem. “O juiz es­ta­va a 10 me­tros do lan­ce. To­dos vi­ram. O Bra­sil to­do viu o lan­ce. O que es­tá acon­te­cen­do nes­te Campeonato Bra­si­lei­ro são ver­da­dei­ros er­ros gros­sei­ros, que nem pre­ci­sa­ria de tec­no­lo­gia pa­ra ver aqui­lo. Eles se reú­nem pa­ra pu­nir jo­ga­do­res e téc­ni­cos, mas não ve­jo ár­bi­tros se­rem pu­ni­dos”, com­ple­ta.

Ar­gel co­men­tou que o pê­nal­ti cau­sou re­vol­ta nos atle­tas e que is­so atra­pa­lhou seu tra­ba­lho no in­ter­va­lo. “Não pre­ci­sa nem di­zer que pre­ju­di­cou nos­sa par­ti­da. Mu­dou o des­ti­no do jo­go. Os atle­tas en­tra­ram no ves­tiá­rio com rai­va. Eu po­de­ria ter con­ver­sa­do so­bre pla­no tá­ti­co, mas ti­ve que con­ter os âni­mos, pe­dir cal­ma, fa­zer o pa­pel de psi­có­lo­go”, dis­se o trei­na­dor.

A in­co­e­rên­cia, no en­tan­to, é pa­ra os dois la­dos. Quin­ta, na vi­tó­ria de 1x0 do Sport so­bre a Pon­te Pre­ta, o ár­bi­tro era o bai­a­no Jaíl­son Frei­tas e um dos au­xi­li­a­res, Ales­san­dro Ma­tos, tam­bém é bai­a­no.

Após o em­pa­te, o Leão só re­to­ma aos trei­nos se­gun­da. Ar­gel te­rá o re­tor­no do ata­can­te Zé Lo­ve e do vo­lan­te Jo­sé We­li­son, mas não con­ta­rá com Mar­ce­lo, sus­pen­so, di­an­te do Atlé­ti­co Pa­ra­na­en­se, no dia 6 de no­vem­bro.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.