Ho­téis na re­gião es­va­zi­am e re­du­zem cus­tos

Correio da Bahia - - Mais -

IN­VIÁ­VEL

Mas Rui dis­se que é in­viá­vel man­ter o Cen­tro de Con­ven­ções no Sti­ep. “É o lu­gar da mai­or sa­li­ni­da­de de Salvador. Se qu­e­re­mos con­cor­rer com even­tos, te­mos que pen­sar não só no cus­to do equi­pa­men­to, mas no cus­to de ma­nu­ten­ção”. Em de­fe­sa do Par­que de Ex­po­si­ções, ele res­sal­ta que o es­pa­ço já per­ten­ce ao es­ta­do, fi­ca pró­xi­mo de ho­téis em Lau­ro de Frei­tas, Ita­puã, Stel­la Ma­ris e Pa­ra­le­la, pró­xi­mo ao ae­ro­por­to e, em bre­ve, de­fron­te a uma es­ta­ção de me­trô.

O pre­fei­to de Salvador, ACM Ne­to (DEM), con­si­de­ra que o Par­que de Ex­po­si­ções po­de ser uma al­ter­na­ti­va. “Qu­e­re­mos ver um pro­je­to con­sis­ten­te, com co­me­ço, meio e fim. Não ape­nas um de­se­jo ex­pres­sa­do por meio de pa­la­vras. Per­deu-se tem­po e di­nhei­ro com es­tru­tu­ra que de­sa­bou. Re­no­vo a in­ten­ção da pre­fei­tu­ra de co­la­bo­rar no que for pre­ci­so pa­ra a cons­tru­ção do Cen­tro de Con­ven­ções, à al­tu­ra do que Salvador me­re­ce”, dis­se.

Par­te da fa­cha­da do Cen­tro de Con­ven­ções de Salvador de­sa­bou em se­tem­bro e dei­xou du­as pes­so­as fe­ri­das. O equi­pa­men­to es­ta­va in­ter­di­ta­do des­de maio de 2015, com inau­gu­ra­ção pre­vis­ta pa­ra ou­tu­bro. O go­ver­no já con­fir­mou que o equi­pa­men­to se­rá de­mo­li­do nu­ma ope­ra­ção de des­mon­te. En­quan­to não há uma de­ci­são con­cre­ta so­bre o fu­tu­ro do Cen­tro de Con­ven­ções (CCB), os ho­téis lo­ca­li­za­dos no en­tor­no do equi­pa­men­to con­ti­nu­am amar­gu­ran­do que­das na ocu­pa­ção e re­du­zin­do des­pe­sas, so­bre­tu­do com pes­so­al. Se­gun­do da­dos da As­so­ci­a­ção Bra­si­lei­ra da In­dús­tria de Ho­téis (Abih-BA), des­de 2013, quan­do o CCB se­di­ou seu úl­ti­mo con­gres­so an­tes de ser in­ter­di­ta­do, 12 ho­téis da ca­pi­tal fe­cha­ram as por­tas, e cer­ca de 20 mil pos­tos de tra­ba­lho na ca­deia do tu­ris­mo fo­ram per­di­dos. Ain­da de acor­do com a en­ti­da­de, a trans­fe­rên­cia do Cen­tro de Con­ven­ções do bair­ro de Ar­ma­ção pa­ra ou­tra re­gião da ci­da­de po­de acar­re­tar o fe­cha­men­to de dez mil lei­tos.

“Mui­ta coi­sa aqui no en­tor­no foi cons­truí­da em prol do Cen­tro de Con­ven­ções. O fo­co do pró­prio ho­tel é o tu­ris­mo de ne­gó­ci­os. Es­tá to­do mun­do pa­ra­do e an­si­o­so pa­ra que es­sa si­tu­a­ção se de­fi­na lo­go”, afir­mou o ge­ren­te ope­ra­ci­o­nal do Ho­tel São Salvador, Da­vid Mas­ca­re­nhas. Com ocu­pa­ção mé­dia, atu­al­men­te, em tor­no de 42%, o ho­tel com ca­pa­ci­da­de pa­ra hos­pe­dar 700 pes­so­as es­tá com ape­nas 190 dos lei­tos ocu­pa­dos. “Es­tá tu­do va­zio. Es­ta­mos eco­no­mi­zan­do de to­dos os la­dos, re­du­zin­do o con­su­mo de ener­gia e re­ne­go­ci­an­do contratos e pre­ços com for­ne­ce­do­res. Nós tam­bém ti­ve­mos que re­du­zir o qua­dro de fun­ci­o­ná­ri­os em 25%. Des­de que o Cen­tro de Con­ven­ções fe­chou, fi­ze­mos, pe­lo me­nos, dois cor­tes de pes­so­al”, acres­cen­tou.

Ou­tro ho­tel que tam­bém tem se vi­ra­do pa­ra ge­rar re­cei­ta é o Salvador Mar, lo­ca­li­za­do na es­qui­na do Cen­tro de Con­ven­ções. “A gen­te re­co­nhe­ce que a pre­fei­tu­ra tem re­qua­li­fi­ca­do a ci­da­de e con­so­li­da­do o Ré­veil­lon pa­ra a al­ta tem­po­ra­da, mas não te­mos co­mo vi­ver só de Ve­rão. Pre­ci­sa­mos de um Cen­tro de Con­ven­ções pa­ra que o tu­ris­mo de even­tos pos­sa mo­vi­men­tar Salvador nos ou­tros me­ses”, pon­tu­ou a di­re­to­ra do ho­tel, Lí­gia Uchôa. “Trou­xe­mos in­ves­ti­men­tos e fi­ca­mos de pé na cri­se es­pe­ran­do a re­qua­li­fi­ca­ção e não o des­mon­te do equi­pa­men­to.”

Com a trans­fe­rên­cia do XVII Con­gres­so In­ter­na­ci­o­nal de Odon­to­lo­gia da Bahia (Ci­o­ba) pa­ra a Are­na Fon­te No­va, o ho­tel per­deu 75% da ex­pec­ta­ti­va de ocu­pa­ção. O even­to que acon­te­ce em Salvador até do­min­go iria mar­car a en­tre­ga do Cen­tro de Con­ven­ções após dois anos de re­for­ma, se par­te do equi­pa­men­to não ti­ves­se de­sa­ba­do no dia 24 de se­tem­bro. “Ti­ve­mos que de­vol­ver mui­tas re­ser­vas. To­do es­se po­lo econô­mi­co vai que­brar se o Cen­tro de Con­ven­ções sair da­qui”, dis­se Lí­gia.

Faz um bom tem­po tam­bém que o re­cep­ci­o­nis­ta do Ho­tel Oceâ­ni­co Ed­val­do Li­ma, que fi­ca bem de fren­te à or­la de Ar­ma­ção, não tem vis­to mais o ho­tel 100% lo­ta­do. “Em épo­ca de con­gres­so não ti­nha quar­to li­vre nes­te ho­tel. De­pois que fe­chou o Cen­tro de Con­ven­ções, a nos­sa ocu­pa­ção caiu em tor­no de 70%. Ho­je há ape­nas três hós­pe­des”, la­men­tou. Com 57 apar­ta­men­tos, 38 de­les que não es­tão sen­do uti­li­za­dos irão ser fe­cha­dos es­ta se­ma­na. “Va­mos fa­zer uma re­for­ma pen­san­do na al­ta tem­po­ra­da pa­ra ver se a gen­te con­se­gue le­van­tar o ho­tel.”

Re­cep­ção do Ho­tel Salvador Mar, em Ar­ma­ção: re­ser­vas des­fei­tas

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.