Mo­ra­dor de rua é sus­pei­to de as­sas­si­nar do­na de cre­che

Correio da Bahia - - Bahia - TAILANE MU­NIZ

ARE­NO­SO A téc­ni­ca em en­fer­ma­gem apo­sen­ta­da Ma­ria Amé­lia Santos, 63 anos, do­na da cre­che-es­co­la Me­ni­no Je­sus, no bair­ro do Are­no­so, foi es­tu­pra­da e mor­ta na noi­te de an­te­on­tem. O sus­pei­to é um mo­ra­dor de rua, de pre­no­me Eric, que, se­gun­do a fa­mí­lia da ví­ti­ma, foi ex­pul­so da co­mu­ni­da­de há qua­tro anos após ten­tar rou­bar uma ca­sa. An­tes dis­so, ele ti­nha si­do aco­lhi­do pe­la ví­ti­ma, na cre­che, em tro­ca de pe­que­nos ser­vi­ços. Até a tar­de de on­tem, ele per­ma­ne­cia fo­ra­gi­do. As fi­lhas de Ma­ria Amé­lia dis­se­ram que Eric foi vis­to, an­te­on­tem, por du­as tes­te­mu­nhas, sain­do da ins­ti­tui­ção, com dois bo­ti­jões de gás, por vol­ta das 21h30. “Ele es­tu­prou, ma­tou e rou­bou dois bo­ti­jões de gás. Te­nho cer­te­za que ele te­ria vol­ta­do pa­ra rou­bar ou­tras coi­sas, mas che­ga­mos an­tes”, afir­mou Ma­ria Cris­ti­na dos Santos, 44, uma das fi­lhas da ido­sa. Ma­ria Amé­lia mo­ra­va nos fun­dos da cre­che e foi en­con­tra­da nua, com um fe­ri­men­to na ca­be­ça. No lo­cal, a po­lí­cia en­con­trou ves­tí­gi­os de ma­co­nha e um co­po com ca­cha­ça. “Ele (Eric) e um so­bri­nho se ali­men­ta­vam aqui. Nós nun­ca pen­sa­mos nis­so, por­que ele pa­re­cia ser um ra­paz de bem”, con­tou Cris­ti­na, acres­cen­tan­do que Eric é usuá­rio de dro­gas e atu­al­men­te es­ta­va mo­ran­do no Bair­ro da Paz. A ou­tra fi­lha de Ma­ria Amé­lia, Pa­trí­cia Ema­nu­e­la Santos, 28, foi quem en­con­trou o cor­po da mãe. Pa­trí­cia con­tou que, quan­do foi pa­ra a igre­ja, por vol­ta das 19h, pas­sou pe­la fren­te da cre­che e no­tou que o por­tão da en­tra­da es­ta­va aber­to e o ma­ri­do de­la fe­chou. “Quan­do eu vol­tei da igre­ja, por vol­ta de 22h, vi­mos que, de no­vo, o por­tão es­ta­va en­tre­a­ber­to. Nos apro­xi­ma­mos e fe­cha­mos, de­pois se­gui­mos pa­ra ca­sa. Quan­do che­ga­mos per­to, mi­nha fi­lha in­da­gou ‘mãe, quem era aque­la pes­soa na es­ca­da da cre­che?’”, re­la­tou ela, jus­ti­fi­can­do que só vol­tou pa­ra o lo­cal de­pois da ob­ser­va­ção da fi­lha. Ao vol­tar, Pa­trí­cia foi di­re­to pa­ra os fun­dos, on­de a mãe cos­tu­ma­va dor­mir, e en­con­trou a por­ta e a ja­ne­la fe­cha­das. “Achei es­tra­nho, por­que ela dor­mia com as lu­zes ace­sas e a TV li­ga­da. Só lem­bro de­la nua, dei­ta­da na­que­le col­chão, cheia de san­gue”, dis­se ela. O cri­me se­rá in­ves­ti­ga­do pe­la de­le­ga­da Ja­mi­la Ci­da­de, da De­le­ga­cia de Ho­mi­cí­di­os, do De­par­ta­men­to de Ho­mi­cí­di­os e Pro­te­ção à Pes­soa (DHPP).

Ma­ria Amé­lia Santos, 63 anos

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.