A vi­tó­ria de Trump

Correio da Bahia - - Front Page -

Em en­tre­vis­ta a uma ame­ri­ca­na em No­va York, per­gun­tei se ela não te­mia que as pes­qui­sas es­ti­ves­sem ca­mu­flan­do os vo­tos da­que­les que ti­nham ver­go­nha em de­cla­rar apoio ao ago­ra pre­si­den­te Do­nald Trump (é pre­ci­so acei­tar is­so lo­go de uma vez). “Quem dis­se is­so pra vo­cê? Ob­vi­a­men­te um re­pu­bli­ca­no!”, e sor­riu. Ela cer­ta­men­te es­tá pen­san­do nis­so ago­ra, as­sim co­mo eu.

Não, eu não pre­vi is­so. Tal­vez nem quem te­nha pre­vis­to fos­se ca­paz de evi­tar. Mas, sim, ou­vi de um re­pu­bli­ca­no. “Se as pes­qui­sas es­tão com es­sa di­fe­ren­ça de 2%, en­tão Trump vai ga­nhar. As pes­so­as não es­tão se sentindo con­for­tá­vel de di­zer aqui­lo que pen­sam, mas Trump lhe deu es­sa co­ra­gem”, dis­se a mim o ve­re­a­dor Al Tau­ten­ber­ger, na Fi­la­dél­fia. Ele es­ta­va cer­to, e vo­cê e eu, que sor­ri­mos e du­vi­da­mos, ago­ra sa­be­mos bem que foi exa­ta­men­te is­so que acon­te­ceu. Se vo­cê sa­bia que Trump ven­ce­ria, po­de di­zer: “Eu avi­sei”.

Hil­lary não te­ve chan­ce con­tra o tra­tor Trump, que dis­se o que o ame­ri­ca­no que­ria ou­vir. Na elei­ção mar­ca­da pe­lo vo­to de ódio, da re­jei­ção, o elei­to­ra­do que não que­ria a ex­tre­ma­men­te re­jei­ta­da Hil­lary vi­ras­se pre­si­den­te com­pa­re­ceu em pe­so às ur­nas. Dis­se o que que­ria e o que pre­ci­sa­va ser di­to pa­ra ven­cer. Re­for­çou a po­ei­ra da des­con­fi­an­ça so­bre a de­mo­cra­ta, dis­se que pro­te­ge­ria o país de in­va­sões de imi­gran­tes e pro­me­teu uma Amé­ri­ca gran­de de no­vo. Era is­so o que a mai­o­ria dos ame­ri­ca­nos que­ria. Só is­so.

Hil­lary ten­tou, mas não con­se­guiu trans­for­mar es­ta dis­pu­ta nu­ma lu­ta de gê­ne­ro, do ho­mem bran­co agres­si­vo e des­res­pei­to­so con­tra a pos­sí­vel pri­mei­ra mu­lher pre­si­den­te. A di­vi­são nes­ta elei­ção foi da clas­se mé­dia em­po­bre­ci­da con­tra aque­les que so­fre­ram me­nos com a cri­se econô­mi­ca. As pe­que­nas ci­da­des ru­rais en­go­li­ram as me­tró­po­les, que vi­ra­ram ilhas azuis cer­ca­das de ver­me­lho. Nin­guém le­vou a sé­rio a his­tó­ria de cons­truir um mu­ro na fron­tei­ra com o Mé­xi­co. Mas a ima­gem da mu­lher ca­paz de qual­quer coi­sa pa­ra ven­cer pe­gou em cheio.

A mí­dia ame­ri­ca­na - e tal­vez de to­do o mun­do - não con­se­guiu cap­tar a in­sa­tis­fa­ção com o go­ver­no Oba­ma, que sai der­ro­ta­do tam­bém, e o en­can­ta­men­to da clas­se mé­dia bran­ca com o bi­li­o­ná­rio. Ao dis­cur­sar após Hil­lary re­co­nhe­cer a der­ro­ta, Trump dis­se que go­ver­na­ria pa­ra unir a na­ção de no­vo. Vai ter uma di­fí­cil ta­re­fa, uma vez que o país es­tá em cho­que e di­vi­di­do. Mas va­mos to­dos nos acos­tu­man­do de uma vez. Trump ago­ra é pre­si­den­te.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.