Pre­sen­te de Natal ga­ran­ti­do

Correio da Bahia - - Mais - Juliana Mon­ta­nha e Pris­ci­la Na­ti­vi­da­de mais@cor­rei­o24ho­ras.com.br

A tra­di­ção de pre­sen­te­ar no Natal es­tá ga­ran­ti­da e o 13º es­tá che­gan­do pa­ra aju­dar. Apro­xi­ma­da­men­te 107,6 mi­lhões de con­su­mi­do­res de­vem pre­sen­te­ar al­guém nes­se Natal, se­gun­do es­ti­ma­ti­va do Ser­vi­ço de Pro­te­ção ao Cré­di­to (SPC Bra­sil) e da Con­fe­de­ra­ção Na­ci­o­nal de Di­ri­gen­tes Lo­jis­tas (CNDL) em to­das as ca­pi­tais. Com a gra­na cur­ta, es­ses pre­sen­tes têm fon­te de ori­gem de­fi­ni­da: cin­co em ca­da dez bra­si­lei­ros que re­ce­bem 13º (52,9%) uti­li­za­rão ao me­nos par­te do va­lor do sa­lá­rio ex­tra nas com­pras de Natal.

O nú­me­ro des­te ano re­pre­sen­ta um aumento de qua­se 10% em re­la­ção ao mes­mo le­van­ta­men­to re­a­li­za­do em 2015, quan­do 43% dos en­tre­vis­ta­dos dis­se­ram que uti­li­za­ri­am o re­cur­so ex­tra pa­ra as com­pras de Natal. Ain­da se­gun­do a pes­qui­sa mais re­cen­te, 10,8% pre­ten­dem gas­tar to­do o va­lor com pre­sen­tes.

No en­tan­to, o Pa­pai No­el só vai pas­sar per­to das lo­jas que es­ti­ve­rem com pro­mo­ções e des­con­tos, is­to por­que 51,6% dos con­su­mi­do­res vão es­co­lher a lo­ja não pe­lo per­fil de quem irá pre­sen­te­ar, mas pe­lo preço dos pro­du­tos. Qua­tro em ca­da dez (40,3%) con­su­mi­do­res pre­ten­dem gas­tar me­nos nes­te Natal fren­te ao de 2015 e pe­lo me­nos 85,3%vão pes­qui­sar bas­tan­te an­tes de fe­char a com­pra.

“Nin­guém vai

dei­xar

de pre­sen­te­ar. O que o es­tu­do mos­trou é que o que caiu mais uma vez foi o va­lor dos pre­sen­tes. Ain­da há en­di­vi­da­men­to, de­sem­pre­go e cau­te­la na ho­ra de con­su­mir”, res­sal­ta o edu­ca­dor fi­nan­cei­ro do Por­tal Meu Bol­so Fe­liz, Jo­sé Vig­no­li.

Ain­da se­gun­do a pes­qui­sa, 27% dos en­tre­vis­ta­dos irão uti­li­zar o re­cur­so ex­tra com ou­tra fi­na­li­da­de. Pa­ra Vig­no­li, o uso do 13º de­ve ser pri­o­ri­za­do pa­ra o pa­ga­men­to de dí­vi­das. “É im­por­tan­te que as pes­so­as fa­çam um le­van­ta­men­to do que pre­ci­sa ser pa­go e do que ain­da es­tá pa­ra acon­te­cer, pres­ta­ções e par­ce­las a ven­cer. A par­tir daí, o con­su­mi­dor de­ve de­fi­nir o quan­to vai gas­tar em pre­sen­tes, sem es­que­cer as des­pe­sas de iní­cio de ano. Co­mo as coi­sas es­tão aper­ta­das, o 13º po­de ser um gran­de alí­vio, mas se for mal usa­do é um des­per­dí­cio”, pon­tua o edu­ca­dor fi­nan­cei­ro.

Mes­mo com 72,2% dos con-

Me­ta­de dos bra­si­lei­ros vai usar o 13º com com­pras de Natal

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.