São Cris­tó­vão tem pro­tes­to e ôni­bus in­cen­di­a­do após mor­te de jo­vem

Correio da Bahia - - Bahia - LAU­RA FER­NAN­DES

AÇÃO DA PM Um ôni­bus da em­pre­sa Cos­ta Ver­de foi in­cen­di­a­do por vol­ta das 13h de on­tem, obs­truin­do a prin­ci­pal via de São Cris­tó­vão, sen­ti­do ae­ro­por­to, na al­tu­ra do Sal­va­dor Nor­te Shop­ping. Um gru­po de ho­mens ar­ma­dos pa­rou o co­le­ti­vo que fa­zia a li­nha Pra­ça da Sé / Vi­las do Atlân­ti­co e ate­ou fo­go, mas ne­nhum pas­sa­gei­ro fi­cou fe­ri­do. De acor­do com o su­per­vi­sor ope­ra­ci­o­nal da Cos­ta Ver­de, Ed­mil­son Cou­to, 52 anos, o mo­to­ris­ta do ôni­bus con­tou que os ho­mens já che­ga­ram co­lo­can­do fo­go e não es­pe­ra­ram os pas­sa­gei­ros saí­rem. “Não de­ram opor­tu­ni­da­de pa­ra as pes­so­as des­ce­rem. In­fe­liz­men­te, qu­em so­fre é a po­pu­la­ção”, la­men­tou. Se­gun­do a Po­lí­cia Mi­li­tar, os ho­mens que in­cen­di­a­ram o veí­cu­lo fu­gi­ram em di­re­ção à lo­ca­li­da­de de Pla­ne­ta dos Ma­ca­cos e es­ta­ria agin­do em re­ta­li­a­ção à mor­te de Fa­bi­a­no dos San­tos Sil­va, 19, al­ve­ja­do du­ran­te uma ação po­li­ci­al na mes­ma re­gião, an­te­on­tem. A si­tu­a­ção tam­bém mo­ti­vou um gru­po de 15 mu­lhe­res a fa­zer um pro­tes­to na Ave­ni­da São Cris­tó­vão ain­da on­tem, por vol­ta das 14h, com car­ta­zes que pe­di­am jus­ti­ça e re­cla­ma­vam da ação po­li­ci­al. Se­gun­do a ma­jor Mi­la­ne­zi, da 12ª Com­pa­nhia In­de­pen­den­te de Po­lí­cia Mi­li­tar (CIPM), a ma­ni­fes­ta­ção foi pa­cí­fi­ca e o trân­si­to foi li­be­ra­do após ne­go­ci­a­ção e o po­li­ci­a­men­to foi re­for­ça­do no bair­ro. Se­gun­do a Se­cre­ta­ria da Se­gu­ran­ça Pú­bli­ca (SSP), o re­for­ço es­tá sen­do fei­to por po­li­ci­ais do Pe­lo­tão Es­pe­ci­al Tá­ti­co Ope­ra­ci­o­nal (Pe­to) da 49ª CIPM, da Ope­ra­ção Gê­me­os e das Ron­das Es­pe­ci­ais (Ron­desp). De acor­do com a po­lí­cia, a ação de an­te­on­tem co­me­çou quan­do po­li­ci­ais que fa­zi­am ron­da por vol­ta das 23h, no Pla­ne­ta dos Ma­ca­cos, fo­ram re­ce­bi­dos a ti­ros por apro­xi­ma­da­men­te cin­co ho­mens. No re­vi­de da po­lí­cia, Fa­bi­a­no foi atingido. Mas, se­gun­do mo­ra­do­res, que pre­fe­ri­ram não se iden­ti­fi­car, ele es­ta­va em uma pas­te­la­ria e, após com­prar o lan­che, vi­rou uma es­qui­na, quan­do qua­tro po­li­ci­ais co­me­ça­ram a ati­rar. “Pe­ga­ram o me­ni­no na co­var­dia. Qu­em aca­ba com a gen­te é po­lí­cia. Mi­nha ne­ta de 6 anos qua­se mor­reu só por­que es­ta­va na pas­te­la­ria”, dis­se uma mu­lher. “Ele era um me­ni­no bom, que não ti­nha en­vol­vi­men­to com dro­gas nem na­da. Se quer pren­der, pren­da, o que não po­de é fa­zer uma bar­ba­ri­da­de des­sa”, in­dig­nou-se um tio de Fa­bi­a­no. O ra­paz ain­da foi le­va­do ao Hos­pi­tal Me­nan­dro de Fa­ria, em Lau­ro de Frei­tas, mas não re­sis­tiu aos fe­ri­men­tos. Os

PMs dis­se­ram ter en­con­tra­do com ele um re­vól­ver ca­li­bre 22 e dro­gas. O ca­so se­rá in­ves­ti­ga­do pe­la Cor­re­ge­do­ria da Po­lí­cia Mi­li­tar. A po­lí­cia não in­for­mou se o jo­vem ti­nha re­gis­tro de pas­sa­gem por de­le­ga­cia.

Mo­ra­do­res exi­bem car­ta­zes com pe­di­dos de jus­ti­ça pe­la mor­te de ra­paz, a ti­ros, du­ran­te in­cur­são da PM

Ôni­bus foi in­ter­cep­ta­do e in­cen­di­a­do. Pas­sa­gei­ros es­ca­pa­ram ile­sos

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.