MP-BA apu­ra de­nún­ci­as de tor­tu­ra pra­ti­ca­da por PMs con­tra pre­sos

Correio da Bahia - - Bahia -

IN­VES­TI­GA­ÇÕES ILE­GAIS O Mi­nis­té­rio Pú­bli­co da Bahia (MP-BA) in­ves­ti­ga de­nún­ci­as con­tra po­li­ci­ais mi­li­ta­res que atu­am no es­ta­do. En­tre as de­nún­ci­as, há sus­pei­tas de es­pan­ca­men­to, tor­tu­ra e con­du­ção de in­ves­ti­ga­ções ile­gais por par­te da PM, so­bre­tu­do no in­te­ri­or do es­ta­do. À fren­te das in­ves­ti­ga­ções es­tá a pro­mo­to­ra pú­bli­ca Isa­bel Ade­lai­de, que de­ci­diu abrir os inqué­ri­tos em maio des­te ano após so­li­ci­ta­ção de juí­zes bai­a­nos. Até o mo­men­to, além dos ca­sos de tor­tu­ra, tam­bém é in­ves­ti­ga­do se po­li­ci­ais mi­li­ta­res con­du­zi­ram, por con­ta pró­pria, in­ves­ti­ga­ções cri­mi­nais, o que é proi­bi­do por lei, já que as in­ves­ti­ga­ções ca­bem à Po­lí­cia Ci­vil. O CORREIO pro­cu­rou o MP-BA, que con­fir­mou a in­ves­ti­ga­ção, mas in­for­mou que a pro­mo­to­ra Isa­bel Ade­lai­de não fa­la­ria so­bre o as­sun­to, pa­ra não atra­pa­lhar as in­ves­ti­ga­ções. Em no­ta, a as­ses­so­ria da Se­cre­ta­ria da Se­gu­ran­ça Pú­bli­ca (SSP-BA) in­for­mou que a Po­lí­cia Mi­li­tar atua den­tro da le­ga­li­da­de e que os mi­li­ta­res en­vol­vi­dos nas de­nún­ci­as são in­ves­ti­ga­dos pe­la Cor­re­ge­do­ria da ins­ti­tui­ção. “Só em 2016, 15 PMs fo­ram de­mi­ti­dos por con­du­tas dis­cre­pan­tes ao de­ter­mi­na­do pe­lo co­man­do-ge­ral da PM. Ou­tros 558 po­li­ci­ais fo­ram pre­sos no pe­río­do, sem con­tar as ad­ver­tên­ci­as emi­ti­das”, diz a no­ta. Ain­da se­gun­do a SSP, não exis­te ten­são en­tre as cú­pu­las das po­lí­ci­as Mi­li­tar e Ci­vil, “que des­de 2011, com a im­plan­ta­ção do pro­gra­ma Pac­to pe­la Vi­da, in­ten­si­fi­ca­ram ain­da mais o tra­ba­lho in­te­gra­do, com­ba­ten­do a vi­o­lên­cia no es­ta­do”. Na ma­nhã de on­tem, du­ran­te vi­si­ta a obras no Cen­tro An­ti­go da ca­pi­tal, o go­ver­na­dor Rui Cos­ta (PT) dis­se que “o Mi­nis­té­rio Pú­bli­co cum­pre o seu de­ver de apu­rar” e que “o go­ver­no do es­ta­do es­ta­rá aber­to num diá­lo­go fran­co pa­ra iden­ti­fi­car pos­sí­veis er­ros ou des­vi­os”. O go­ver­na­dor, no en­tan­to, dis­se não ter co­nhe­ci­men­to das ir­re­gu­la­ri­da­des apon­ta­das pe­lo Mi­nis­té­rio Pú­bli­co, a não ser pe­la im­pren­sa. Ele de­mons­trou ain­da in­sa­tis­fa­ção com o fa­to de a in­ves­ti­ga­ção ter si­do pu­bli­ci­za­da. “Sen­tei com a re­pre­sen­tan­te do MP e dis­se o que eu acha­va que não es­ta­va cor­re­to e não fui pra im­pren­sa pa­ra anunciar que não es­ta­va sen­do fei­to de ma­nei­ra cor­re­ta. Es­tou dis­pos­to a cor­ri­gir qual­quer pro­ble­ma que te­nha si­do iden­ti­fi­ca­do”, dis­se. Ain­da se­gun­do Rui, o MP não fez pe­di­dos de reu­nião pa­ra fa­lar com o Exe­cu­ti­vo so­bre o as­sun­to. “Quan­do o MP achar con­ve­ni­en­te, pro­cu­ra o se­cre­tá­rio de Se­gu­ran­ça, o Co­man­do da Po­lí­cia Mi­li­tar pa­ra re­sol­ver o que de­ve ser re­sol­vi­do”, com­ple­tou, Pro­cu­ra­dos pa­ra co­men­tar as in­ves­ti­ga­ções, o Tri­bu­nal de Jus­ti­ça da Bahia (TJ-BA) e a Po­lí­cia Mi­li­tar (PM-BA) não re­tor­na­ram à reportagem.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.