O bi­cam­peã

Correio da Bahia - - Vida - Bru­no Qu­ei­roz, de Goi­â­nia bru­no.qu­ei­roz@re­de­bahia.com.br

Su­biu o Bahia.

Tá va­len­do Fes­ta an­tes, du­ran­te qua­se to­do o pri­mei­ro tem­po e de­pois. A tor­ci­da do Bahia foi até Goi­â­nia bus­car o aces­so e as­sim o fez. Se o pon­to ne­ces­sá­rio não veio, já que a equi­pe per­deu pa­ra o Atlé­ti­co-GO por 2x1, os tri­co­lo­res pre­sen­tes no Es­tá­dio Olím­pi­co fo­ram o pon­to al­to. O tri­co­lor pre­ci­sou es­pe­rar 15 mi­nu­tos pa­ra co­me­mo­rar, já que con­tou com a aju­di­nha do Oes­te, que ven­ceu o Náu­ti­co por 2x0. O jo­go no Re­ci­fe atra­sou de­vi­do a in­va­são de tor­ci­da do Tim­bu. O que in­te­res­sa, po­rém, é que o Bahia es­tá na Sé­rie A de 2017, após uma cam­pa­nha in­crí­vel de re­cu­pe­ra­ção no se­gun­do tur­no, on­de fez 38 pon­tos.

A pri­mei­ra boa chan­ce do Bahia acon­te­ceu lo­go aos dois mi­nu­tos do jo­go. Luiz An­to­nio co­brou es­can­teio e Ti­a­go ca­be­ce­ou por ci­ma do gol.

O Es­qua­drão con­tro­la­va o jo­go, ten­ta­va al­gu­mas ta­be­las com o quar­te­to ofen­si­vo, mas pe­ca­va no úl­ti­mo pas­se. Ré­gis, por du­as ve­zes, pu­xou bem o con­tra-ata­que, mas pren­deu de­mais a bo­la e des­per­di­çou bo­as opor­tu­ni­da­des.

Se a par­ti­da no Olím­pi­co não em­pol­ga­va, a tor­ci­da tri­co­lor pre­sen­te no es­tá­dio co­me­mo­rou mui­to ao sa­ber do gol do Oes­te so­bre o Náu­ti­co, no Re­ci­fe. O ban­co de re­ser­vas do Bahia, ao sa­ber do re­sul­ta­do, in­for­mou ime­di­a­ta­men­te aos jo­ga­do­res em cam­po.

A si­tu­a­ção, que já era boa, fi­cou me­lhor mais uma vez por uma no­tí­cia ex­ter­na. O sis­te­ma de som do es­tá­dio in­for­mou o gol do Ce­a­rá so­bre o Vas­co, que cau­sou uma co­me­mo­ra­ção ge­ral.

En­quan­to is­so, no gra­ma­do, as equi­pes se­gui­am tí­mi­das. O Atlé­ti­co ten­ta­va ex­plo­rar a ve­lo­ci­da­de de seus pon­tas, Mag­no e Gil­si­nho. O Bahia con­se­guia che­gar bem, mas con­ta­va com um Ré­gis pou­co ins­pi­ra­do. Na ver­da­de, até os 35 mi­nu­tos do 1º tem­po.

O ca­mi­sa 10 tri­co­lor fez gran­de jo­ga­da pela es­quer­da, cha­mou o mar­ca­dor pa­ra dan­çar e fez o cru­za­men­to de pé di­rei­to. A bo­la pas­sou por Vic­tor Ran­gel e Her­na­ne, mas não por Edi­gar Ju­nio, que to­cou pa­ra o fun­do do gol: 1x0.

Tu­do da­va cer­to. En­quan­to a tor­ci­da tri­co­lor co­me­mo­ra­va o gol de Edi­gar, o Oes­te fa­zia 2x0 no Náu­ti­co, pa­ra au­men­tar a fes­ta em Goi­â­nia e em Sal­va­dor. Mas o cli­ma de cer­te­za foi que­bra­do aos 47. Após ta­be­la com Mag­no, Pe­dro Bam­bu cru­zou pa­ra Gil­si­nho, que ajei­tou de ca­be­ça e Ju­ni­or Vi­ço­sa fu­zi­lou, sem chan­ces pa­ra o go­lei­ro Mu­ri­el. O de­ta­lhe é que o gol acon­te­ceu quan­do Edu­ar­do es­ta­va fo­ra de cam­po, sen­do aten­di­do. Ele aca­bou subs­ti­tuí­do por Tin­ga.

HA­JA CO­RA­ÇÃO

As du­as equi­pes vol­ta­ram do in­ter­va­lo da mes­ma for­ma que ter­mi­na­ram a pri­mei­ra eta­pa. No pri­mei­ro mi­nu­to, Her­na­ne ten­tou uma meia bi­ci­cle­ta e qua­se fez o se­gun­do. Kle­ver im­pe­diu. Me­lhor em cam­po, o Bahia te­ve ou­tra boa chan­ce num con­tra-ata­que pu­xa­do por Ré­gis. O meia ser­viu Moi­sés, que chu­tou cru­za­do, mas an­tes que Her­na­ne che­gas­se na bo­la, a de­fe­sa cor­tou.

En­quan­to is­so, no Rio, o Vas­co con­se­guia a vi­ra­da pa­ra ci­ma do Ce­a­rá com dois gols de Thal­les. Se fal­ta­va mo­ti­va­ção ao Atlé­ti­co, prin­ci­pal­men­te no se­gun­do tem­po, so­bra­va ao tri­co­lor. Não ha­via bo­la per­di­da pa­ra os jo­ga­do­res, que não ti­tu­be­a­vam na ho­ra de fa­zer uma fal­ta e im­pe­dir o con­tra-ata­que ad­ver­sá­rio.

Aos 24 mi­nu­tos, Gu­to pro­mo­veu a se­gun­da mu­dan­ça na equi­pe, que foi a en­tra­da de Ca­já no lu­gar de Ré­gis. Dois mi­nu­tos de­pois, o gol­pe. Matheus Ribeiro cru­zou da di­rei­ta, Gil­si­nho ten­tou de ca­be­ça e Mu­ri­el sal­vou. No re­bo­te, a za­ga do Bahia se atra­pa­lhou e a bo­la so­brou pa­ra Jor­gi­nho vi­rar a par­ti­da. So­fri­men­to.

O Vas­co, que ven­cia o Ce­a­rá, já ul­tra­pas­sa­va o tri­co­lor, mas o aces­so mes­mo as­sim ia se con­fir­man­do, já que o Oes­te se­guia ven­cen­do o Náu­ti­co por 2x0. A par­tir daí, en­quan­to ha­via in­va­são de cam­po por lá, foi só es­pe­rar o tem­po pas­sar pa­ra co­me­mo­rar mais um re­tor­no à Sé­rie A, lu­gar de on­de não de­ve­ria ter saí­do. Po­de co­me­mo­rar, tor­ce­dor tri­co­lor. O bi­cam­peão vol­tou.

Tri­co­lor per­de do Atlé­ti­co-GO, mas fi­ca na fren­te do Náu­ti­co e so­be

Edi­gar Ju­nio mar­ca con­tra o Atlé­ti­co e ter­mi­na a Sé­rie B com oi­to gols

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.