Go­ver­no mi­ni­mi­za gra­va­ções de Ca­le­ro

Correio da Bahia - - Brasil -

CRI­SE O Pla­nal­to re­a­giu on­tem à divulgação de tre­chos de con­ver­sas gra­va­das pe­lo ex-mi­nis­tro da Cultura Mar­ce­lo Ca­le­ro com in­te­gran­tes do go­ver­no. Após dei­xar o car­go, na se­ma­na pas­sa­da, Ca­le­ro acu­sou mi­nis­tros e o pró­prio pre­si­den­te Mi­chel Te­mer de pres­si­o­ná-lo para que in­ter­fe­ris­se para al­te­rar um pa­re­cer do Ins­ti­tu­to do Pa­trimô­nio His­tó­ri­co e Ar­tís­ti­co Na­ci­o­nal (Iphan) so­bre um em­pre­en­di­men­to imo­bi­liá­rio em Sal­va­dor. O Pla­nal­to ten­ta dar ao epi­só­dio uma in­ter­pre­ta­ção de que a gra­va­ção não com­pro­me­te o pre­si­den­te ou o go­ver­no. Po­rém, mi­nis­tros e de­pu­ta­dos ou­vi­dos pe­la re­por­ta­gem di­zem que há, sim, um re­ceio em re­la­ção a áu­di­os ain­da des­co­nhe­ci­dos. A trans­cri­ção das pri­mei­ras gra­va­ções ana­li­sa­das pe­la Po­lí­cia Fe­de­ral fo­ram di­vul­ga­das on­tem pe­la Glo­bonews. Em uma de­las, Ca­le­ro con­ver­sa por te­le­fo­ne com Te­mer e diz que, de­pois de ter fei­to uma “re­fle­xão mui­to gran­de”, de­ci­diu mes­mo dei­xar o go­ver­no. “Que­ro pe­dir mi­nha de­mis­são e que­ro que o se­nhor acei­te, por gen­ti­le­za, por­que eu não ve­jo mais con­di­ções e es­pa­ço de es­tar no go­ver­no”. Te­mer, en­tão, afir­ma que res­pei­ta a de­ci­são do ex-co­la­bo­ra­dor. “On­tem, eu acho que até fui um pou­co in­con­ve­ni­en­te, né? In­sis­tin­do mui­to para vo­cê per­ma­ne­cer. Con­fes­so que não ve­jo ra­zão para is­so, mas vo­cê te­rá as su­as ra­zões”, diz o pre­si­den­te Te­mer na gra­va­ção. Em de­poi­men­to es­pon­tâ­neo à PF, um dia de­pois des­sa con­ver­sa, o ex-mi­nis­tro dis­se que Te­mer o ha­via “en­qua­dra­do” para aten­der aos in­te­res­ses do ex-mi­nis­tro Ged­del Vi­ei­ra Lima (Se­cre­ta­ria de Go­ver­no) na bri­ga com o Iphan. Em­bo­ra o tre­cho do áu­dio que se re­fe­re a Te­mer te­nha si­do con­si­de­ra­do pe­lo Pla­nal­to co­mo o de uma con­ver­sa “pro­to­co­lar”, a pre­o­cu­pa­ção do pre­si­den­te é com as gra­va­ções ain­da não di­vul­ga­das, en­vol­ven­do o mi­nis­tro da Ca­sa Ci­vil, Eli­seu Pa­di­lha, e o pró­prio Ged­del. Para o se­cre­tá­rio exe­cu­ti­vo do Pro­gra­ma de Par­ce­ri­as de In­ves­ti­men­tos (PPI), Mo­rei­ra Fran­co, a divulgação dos áu­di­os, po­rém, dei­xa cla­ro que tu­do não pas­sa de uma “es­pe­ta­cu­la­ri­za­ção” para pre­ju­di­car o go­ver­no. “Que­rem es­pe­ta­cu­la­ri­zar al­go que a vi­da es­tá mos­tran­do que não é na­da”, dis­se. On­tem, Ca­le­ro ne­gou, no Fa­ce­bo­ok, que te­nha "agi­do a ser­vi­ço do PSDB" ao de­nun­ci­ar Ged­del. O ex-mi­nis­tro se re­fe­ria a in­for­ma­ções de que o seu an­ti­go par­ti­do iria se be­ne­fi­ci­ar com a de­ses­ta­bi­li­za­ção do go­ver­no. "Nos­sa de­te­ri­o­ra­ção mo­ral e éti­ca che­gou a um ní­vel tal, que mui­ta gen­te acha im­pos­sí­vel al­guém sim­ples­men­te fa­zer o cor­re­to e bus­cam uma ex­pli­ca­ção que não exis­te", es­cre­veu.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.