Mu­dan­ça em pa­co­te contra cor­rup­ção pro­vo­ca re­a­ções

Correio da Bahia - - Mais - Agên­ci­as mais@cor­rei­o24ho­ras.com.br

Os de­pu­ta­dos fe­de­rais apro­va­ram, na ma­dru­ga­da de on­tem, no ple­ná­rio da Câ­ma­ra, pe­lo me­nos 11 mu­dan­ças no tex­to do pro­je­to de me­di­das de com­ba­te à cor­rup­ção que ti­nha si­do acei­to na co­mis­são es­pe­ci­al, na se­ma­na pas­sa­da. Des­con­ten­tes com o pa­re­cer do re­la­tor, de­pu­ta­do Onyx Lo­ren­zo­ni (DEM-RS), par­la­men­ta­res vo­ta­ram emen­das e des­ta­ques que in­cluí­ram no­vos te­mas e, so­bre­tu­do, re­ti­ra­ram tre­chos que di­fi­cul­tam in­ves­ti­ga­ções e fle­xi­bi­li­zam a pu­ni­ção de cor­rup­tos.

Na vo­ta­ção em ple­ná­rio, o par­ti­do que mais propôs mu­dan­ças foi o PT. A le­gen­da su­ge­riu pe­lo me­nos três des­ta­ques e emen­das pa­ra re­ti­rar tre­chos do pa­co­te an­ti­cor­rup­ção, en­tre eles, o que su­pri­miu a pre­vi­são de o Mi­nis­té­rio Pú­bli­co po­der ce­le­brar acor­dos de le­ni­ên­cia. Du­ran­te a dis­cus­são do pa­co­te na co­mis­são es­pe­ci­al, o PT já ti­nha con­se­gui­do apro­var du­as al­te­ra­ções, en­tre elas a re­ti­ra­da do cha­ma­do teste de in­te­gri­da­de. Além do PT, o PR e o blo­co PP/PTB/PSC su­ge­ri­ram du­as al­te­ra­ções, ca­da. PMDB, PDT, PSB e Psol tam­bém su­ge­ri­ram ca­da um uma mu­dan­ça pa­ra re­ti­rar ar­ti­gos do pa­co­te.

Os dois te­mas in­cluí­dos no pa­co­te du­ran­te a vo­ta­ção no ple­ná­rio fo­ram a pre­vi­são do cri­me de abu­so de au­to­ri­da­de pa­ra juí­zes, de­sem­bar­ga­do­res e mem­bros do Mi­nis­té­rio Pú­bli­co e a pu­ni­ção a po­li­ci­ais, ma­gis­tra­dos e in­te­gran­tes do MP que vi­o­la­rem o di­rei­to ou prer­ro­ga­ti­va de ad­vo­ga­dos. Aques­tão do abu­so foi apro­va­do por emen­da da ban­ca­da do PDT. Já a pu­ni­ção pa­ra vi­o­la­ção de prer­ro­ga­ti­vas foi pro­pos­ta pe­lo de­pu­ta­do Car­los Ma­run (PMDB-MS), a pe­di­do da Or­dem dos Ad­vo­ga­dos do Bra­sil (OAB).

CRÍ­TI­CAS

Onyx Lo­ren­zo­ni con­si­de­rou “hi­po­cri­sia” de seus co­le­gas apro­va­rem seu re­la­tó­rio pa­ra de­pois des­fi­gu­ra­rem o tex­to de me­di­das an­ti­cor­rup­ção. Ele diz acre­di­tar que o Se­na­do não se­rá ca­paz de re­cu­pe­rar seu pa­re­cer. “Na mi­nha vi­são, hou­ve uma hi­po­cri­sia. Vo­ta­ram pa­ra usar o ar­gu­men­to de que apoi­am as dez me­di­das e de­pois fi­ze­ram pi­ca­di­nho de­las. Não es­pe­ra­va”, dis­se.

Pa­ra Lo­ren­zo­ni, o Se­na­do não se­rá ca­paz de re­cu­pe­rar seu tex­to. “Num Se­na­do que tem Re­nan Ca­lhei­ros de pre­si­den­te não dá pa­ra es­pe­rar mui­to. A não ser que fa­çam de­pois de fe­ve­rei­ro, quan­do a Ca­sa te­rá um no­vo pre­si­den­te”, afir­mou o de­pu­ta­do. Re­nan tam­bém é al­vo da Ope­ra­ção La­va Ja­to.

On­tem, exa­ta­men­te às 20h30, hou­ve re­gis­tros de pes­so­as ba­ten­do pa­ne­las em di­ver­sas ci­da­des do país, pro­tes­tan­do contra as mu­dan­ças no pro­je­to, apro­va­das pe­la Câ­ma­ra. O pro­tes­to foi ar­ti­cu­la­do atra­vés de re­des so­ci­ais.

PA­PEL DA C­MA­RA

O pre­si­den­te da Câ­ma­ra dos De­pu­ta­dos, Ro­dri­go Maia (DEM-RJ), re­a­giu na noi­te de on­tem a crí­ti­cas fei­tas contra a for­ma co­mo a Ca­sa vo­tou o pa­co­te an­ti­cor­rup­ção. Des­ta­can­do a to­do mo­men­to que a vo­ta­ção foi trans­pa­ren­te e no­mi­nal, Maia dis­se que a Ca­sa exer­ceu seu pa­pel ins­ti­tu­ci­o­nal, le­gis­lou com in­de­pen­dên­cia e que pre­ci­sa ter su­as prer­ro­ga­ti­vas res­pei­ta­das.

“Por­que o re­sul­ta­do do pro­ces­so le­gis­la­ti­vo não foi o que al­guns qu­e­ri­am, não dá pa­ra a

En­ri­que­ci­men­to ilí­ci­to Tre­cho que tor­na­va cri­me en­ri­que­ci­men­to ilí­ci­to de fun­ci­o­ná­ri­os pú­bli­cos foi re­ti­ra­do.

Cri­me he­di­on­do O agra­va­men­to das pe­nas por cor­rup­ção, tor­na­da cri­me he­di­on­do, per­ma­ne­ceu no pro­je­to.

Re­cur­sos pe­nais A li­mi­ta­ção de re­cur­sos ju­di­ci­ais pa­ra fins pro­te­la­tó­ri­os foi man­ti­da.

Pres­cri­ção de pe­nas Fo­ram gen­te fa­lar que a Câ­ma­ra fez al­go equi­vo­ca­do, a Câ­ma­ra to­mou sua de­ci­são por mai­o­ria. E a his­tó­ria jul­ga­rá ca­da um da­que­les que vo­tou”, dis­se.

Após mais de du­as ho­ras de reu­nião com lí­de­res par­ti­dá­ri­os, Maia dei­xou a reu­nião ne­gan­do que hou­ves­se re­ta­li­a­ção ao Mi­nis­té­rio Pú­bli­co e à Ma­gis­tra­tu­ra. Ele res­sal­tou que os po­de­res são in­de­pen­den­tes e harmô­ni­cos e que on­tem a Câ­ma­ra exer­ceu sua in­de­pen­dên­cia de for­ma de­mo­crá­ti­ca. “Não exis­te pro­ces­so de­mo­crá­ti­co on­de al­guém só ven­ça, só saia da­qui vi­to­ri­o­so”, de­cla­rou. O de­pu­ta­do dis­se que não acei­ta­rá que ques­ti­o­nem a le­gi­ti­mi­da­de do pro­ces­so le­gis­la­ti­vo. “A prer­ro­ga­ti­va de le­gis­lar é do Le­gis­la­ti­vo”, re­pe­tiu.

Maia lem­brou que os crí­ti­cos par­ti­ci­pa­ram de au­di­ên­ci­as du­ran­te a fa­se de aná­li­se na co­mis­são es­pe­ci­al e le­gi­ti­ma­ram o pro­ces­so le­gis­la­ti­vo. Ele in­sis­tiu que a Câ­ma­ra re­jei­tou par­te das pro­pos­tas, mas man­te­ve 15 pon­tos do re­la­tó­rio, por­tan­to sua de­ci­são pre­ci­sa ser res­pei­ta­da. “A prer­ro­ga­ti­va da de­ci­são do vo­to nin­guém po­de ti­rar da Câ­ma­ra e do Se­na­do”, afir­mou Maia, rei­te­ran­do que a Câ­ma­ra não é “car­tó­rio” pa­ra ca­rim­bar de­ci­sões de ou­tros.

So­bre as crí­ti­cas da vo­ta­ção du­ran­te a ma­dru­ga­da, Maia res­pon­deu que a vo­ta­ção na co­mis­são es­pe­ci­al tam­bém se deu na ma­dru­ga­da e que nin­guém ques­ti­o­nou a si­tu­a­ção.

Ele dis­se que crí­ti­cas são bem vin­das, in­cluin­do a da pre­si­den­te do Su­pre­mo Tri­bu­nal Fe­de­ral, mi­nis­tra Cár­men Lú­cia, e que vão tra­ba­lhar pa­ra su­pe­rar a cri­se po­lí­ti­ca e econô­mi­ca, com ba­se no diá­lo­go fran­co e aber­to.

On­ze pon­tos su­ge­ri­dos pe­lo Mi­nis­té­rio Pú­bli­co são re­jei­ta­dos

Re­por­tan­te do bem foi re­ti­ra­do o pa­ga­men­to de re­com­pen­sas por de­nún­ci­as de cri­mes de cor­rup­ção.

Cai­xa 2 a re­gra que pre­vê a cri­mi­na­li­za­ção da prá­ti­ca de cai­xa 2 per­ma­ne­ce.

Lu­cro do cri­me A re­gra que pre­via o con­fis­co de re­cur­sos pro­ve­ni­en­tes do cri­me foi re­jei­ta­da.

Par­ti­dos A Câ­ma­ra re­jei­tou a res­pon­sa­bi­li­za­ção de par­ti­dos po­lí­ti­cos e a sus­pen­são do re­gis­tro da le­gen­da por cri­mes gra­ves.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.