24h Te­mer diz que ro­ga a Deus por dias me­lho­res

Correio da Bahia - - Brasil -

NÃO FOI A APA­RE­CI­DA O pre­si­den­te Mi­chel Te­mer di­vul­gou nas re­des so­ci­ais um ví­deo por con­ta da ce­le­bra­ção do dia de Nos­sa Se­nho­ra Apa­re­ci­da, pa­dro­ei­ra do Bra­sil, co­me­mo­ra­do on­tem. Na men­sa­gem, além de nar­rar parte da his­tó­ria da san­ta, Te­mer diz que ro­ga a Deus por dias me­lho­res. “Olhe­mos pa­ra o fu­tu­ro com fé e es­pe­ran­ça; fa­ça­mos nos­sa parte. Lo­go vi­rão re­sul­ta­dos de paz e pro­gres­so pa­ra to­do o po­vo bra­si­lei­ro”, diz o pre­si­den­te. “Eu e mi­nha fa­mí­lia nos uni­mos aos ro­mei­ros, aos de­vo­tos e de­vo­tas de Nos­sa Se­nho­ra da Con­cei­ção Apa­re­ci­da, ro­gan­do a Deus por dias me­lho­ras pa­ra to­das as fa­mí­li­as do Bra­sil”, com­ple­tou.

Na se­ma­na pas­sa­da, em pas­sa­gem por Belém (PA), após fa­zer ace­nos à Igre­ja ca­tó­li­ca, ao par­ti­ci­par de ce­rimô­nia de as­si­na­tu­ra do pro­to­co­lo de in­ten­ções pa­ra des­ti­nar à Arqui­di­o­ce­se de Belém uma área de 10,8 mil me­tros qua­dra­dos, o pre­si­den­te e mi­nis­tros que es­ta­vam em sua co­mi­ti­va ti­ve­ram uma pa­ra­da fo­ra da agen­da pa­ra fa­zer uma vi­si­ta ao Tem­plo Cen­tral da As­sem­bleia de Deus.

No ví­deo, Te­mer ex­pli­ca a his­tó­ria de Nos­sa Se­nho­ra e diz que o ter­cei­ro cen­te­ná­rio do en­con­tro da ima­gem de Nos­sa Se­nho­ra nas águas do rio Pa­raí­ba faz da da­ta de ho­je um mo­men­to es­pe­ci­al. “Eu que­ro dei­xar o re­gis­tro de meu res­pei­to e apre­ço por todos os de­vo­tos e de­vo­tas da mãe de Nos­so Se­nhor Je­sus Cris­to, e sob a in­di­ca­ção de Nos­sa Se­nho­ra da Con­cei­ção Apa­re­ci­da, pa­dro­ei­ra do Bra­sil, re­ce­be, há exa­tos 300 anos, o ca­ri­nho e o amor de tan­tas ge­ra­ções de bra­si­lei­ros e bra­si­lei­ras”, diz.

Ci­tan­do tre­cho do li­vro He­breus, da Bí­blia, Te­mer dis­se que “a fé, en­si­na He­breus 11, era uma das tan­tas pas­sa­gens ins­pi­ra­do­ras do texto sa­gra­do ‘é o fun­da­men­to da es­pe­ran­ça, é uma cer­te­za a res­pei­to do que não se vê. Foi ela que fez a gló­ria dos nos­sos an­te­pas­sa­dos’”.

O pre­si­den­te diz ain­da que o epi­só­dio “sim­bo­li­za a pró­pria his­tó­ria dos mui­tos bra­si­lei­ros e bra­si­lei­ras que ja­mais per­de­ram a es­pe­ran­ça e que, ven­cen­do to­das as di­fi­cul­da­des, acre­di­tam e cons­tro­em um fu­tu­ro me­lhor pa­ra si mes­mos, su­as fa­mí­li­as e pa­ra to­do o Bra­sil”.

Com a po­pu­la­ri­da­de bai­xa, o pre­si­den­te en­fren­ta atu­al­men­te a segunda de­nún­cia cri­mi­nal apre­sen­ta­da con­tra ele pe­la Pro­cu­ra­do­ria-Ge­ral da Re­pú­bli­ca.

“Se eu fos­se pre­si­den­te do Bra­sil, eu vi­ria, não é?”, dis­se o rei­tor do San­tuá­rio Na­ci­o­nal, padre João Ba­tis­ta, a jor­na­lis­tas, após a mis­sa cam­pal. Ele foi ques­ti­o­na­do so­bre o as­sun­to por jor­na­lis­tas. “Eu acho que é uma ques­tão até de as­ses­so­ria. Vai ver os as­ses­so­res não aten­ta­ram pra isso. Olha, é a pa­dro­ei­ra do Bra­sil. É al­go im­por­tan­te.

Mas a gen­te res­pei­ta”, afir­mou o sa­cer­do­te.

Ba­tis­ta ci­tou co­mo ex­ce­ção o go­ver­na­dor Ge­ral­do Alck­min (PSDB), de­cla­ra­da­men­te ca­tó­li­co, que dis­se fre­quen­tar Apa­re­ci­da des­de quan­do era pre­fei­to da vi­zi­nha Pin­da­mo­nhan­ga­ba.

“Nós con­vi­da­mos, cla­ro, mas não é tra­di­ção”, co­men­tou o padre, que dis­se não ter re­ce­bi­do jus­ti­fi­ca­ti­va for­mal. As au­to­ri­da­des pre­sen­tes fo­ram vai­a­das bre­ve­men­te pe­los fiéis, quan­do fo­ram anun­ci­a­das no iní­cio da ce­rimô­nia. “Não ou­vi vaia ne­nhu­ma”, res­pon­deu Alck­min, quan­do ques­ti­o­na­do so­bre a ma­ni­fes­ta­ção do pú­bli­co. Ele es­ta­va acom­pa­nha­do de in­te­gran­tes do go­ver­no pau­lis­ta na ca­te­dral.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.