24h Por le­ga­do, PMDB pen­sa em lan­çar can­di­da­to

Correio da Bahia - - Brasil -

PRE­SI­DÊN­CIA O pre­si­den­te do PMDB e lí­der do go­ver­no no Se­na­do, Ro­me­ro Ju­cá (RR), dis­se on­tem que a si­gla po­de lan­çar can­di­da­to à Pre­si­dên­cia da República na elei­ção de 2018. Se­gun­do ele, o pre­si­den­te Mi­chel Te­mer vai dei­xar um le­ga­do que se­rá “uma das es­pi­nhas dor­sais” das dis­cus­sões do plei­to do pró­xi­mo ano. “Se não ti­ver nin­guém pa­ra de­fen­der es­se le­ga­do, o PMDB não vai fi­car ór­fão e vai lan­çar um can­di­da­to à Pre­si­dên­cia da República pa­ra de­fen­der es­se le­ga­do. Mi­chel Te­mer fez má­gi­ca, ele fez mais do que Mis­ter M e Da­vid Cop­per­fi­eld jun­tos”, de­cla­rou Ju­cá.

Pa­ra o lí­der do go­ver­no, o PSDB te­rá que de­ci­dir se é a fa­vor ou não das me­di­das to­ma­das pe­lo pre­si­den­te Te­mer. Ele ad­mi­tiu que a saí­da do tu­ca­no Bru­no Araú­jo do car­go de mi­nis­tro das Ci­da­des, an­te­on­tem, ace­le­rou a re­for­ma mi­nis­te­ri­al, e dis­se que a per­ma­nên­cia do par­ti­do nos car­gos de­pen­de­rá de “qual ta­ma­nho o PSDB quer ter den­tro do go­ver­no”. “A von­ta­de de no­me­ar pa­ra car­gos em mi­nis­té­ri­os é du­pla. Não va­mos for­çar o PSDB a na­da. Mas o PSDB po­de aju­dar in­de­pen­den­te­men­te de ter car­go ou não, é um par­ti­do im­por­tan­te”, res­sal­tou.

Ju­cá con­si­de­ra que a re­for­ma mi­nis­te­ri­al de­ve ocor­rer até o fi­nal do ano, com no­mes ex­pe­ri­en­tes e que não se­rão can­di­da­tos à elei­ção em 2018, pa­ra que os no­vos mi­nis­tros pos­sam tra­ba­lhar com o or­ça­men­to des­de o iní­cio do ano que vem. “Se não vo­cê vai ter um mi­nis­tro no Na­tal, Ano-No­vo e Car­na­val, se­rá um mi­nis­tro fes­ti­vo”, dis­se. O pe­e­me­de­bis­ta ci­tou o no­me do atu­al pre­si­den­te da Cai­xa, Gil­ber­to Oc­chi, de­fen­di­do por in­te­gran­tes do PP, co­mo uma boa op­ção pa­ra as­su­mir a va­ga de mi­nis­tro das Ci­da­des, dei­xa­da por Araú­jo. “Pre­ci­sa­mos de um no­me ex­pe­ri­en­te, pois o mi­nis­tro te­rá pou­co tem­po, não dá pa­ra co­lo­car al­guém no car­go que es­tá co­me­çan­do a apren­der”, de­fen­deu. Há oi­to di­as, o PP deu até mes­mo um ul­ti­ma­to a Te­mer e ame­a­çou pa­ra­li­sar as vo­ta­ções na Câ­ma­ra se os tu­ca­nos não saís­sem do go­ver­no e se o es­pa­ço do par­ti­do no go­ver­no não fos­se am­pli­a­do. O pre­si­den­te con­cor­da em en­tre­gar Ci­da­des pa­ra o PP, mas quer a si­gla fe­cha­da a fa­vor da re­for­ma.

O pre­si­den­te Mi­chel Te­mer de­ci­diu con­di­ci­o­nar a no­va dis­tri­bui­ção de ca­dei­ras nos mi­nis­té­ri­os aos vo­tos que fo­rem da­dos pe­los par­ti­dos ali­a­dos pa­ra a re­for­ma da Pre­vi­dên­cia. Em­pe­nha­do em apro­var na Câ­ma­ra mu­dan­ças no re­gi­me de apo­sen­ta­do­ria até me­a­dos de de­zem­bro, Te­mer quer dei­xar as tro­cas na equi­pe acer­ta­das, mas só en­tre­gar efe­ti­va­men­te car­gos pa­ra o Cen­trão ou ou­tras si­glas após con­fe­rir o pai­nel de vo­ta­ção. Te­mer apos­ta to­das as su­as fi­chas pa­ra apro­var uma re­for­ma da Pre­vi­dên­cia, mes­mo que se­ja um pro­je­to me­nor que o pen­sa­do ini­ci­al­men­te pe­lo go­ver­no.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.