Er­ro de to­dos os la­dos

Correio da Bahia - - Esporte - Fernanda Va­re­la

O jo­go de on­tem não te­ve na­da de poé­ti­co e fu­giu to­tal­men­te aos ver­sos dos No­vos Bai­a­nos, que dizem que o Bahia tran­qui­li­za co­ra­ções. O em­pa­te de 3x3 com o Bo­ta­fo­go, na Fon­te No­va, foi com emo­ção até o úl­ti­mo lan­ce, li­te­ral­men­te.

Após a par­ti­da, os jo­ga­do­res do tri­co­lor ad­mi­ti­ram que va­ci­la­ram em ca­sa. Au­tor do gol sal­va­dor, Al­li­o­ne não es­con­deu a cha­te­a­ção ao dei­xar o gra­ma­do. “A gen­te que­ria ga­nhar. Ten­ta­mos tu­do, mas não deu. Não sei di­zer on­de erramos. Eles não cri­a­ram mui­to, a gen­te te­ve mais si­tu­a­ções de pe­ri­go, mas erramos mui­to lá na fren­te, como vem acon­te­cen­do sem­pre. Te­mos que me­lho­rar”, ava­li­ou o meia.

Se o ar­gen­ti­no ban­cou que o pe­lo­tão de fren­te foi um dos res­pon­sá­veis pelo ti­me não ter ven­ci­do, o mes­mo fez o za­guei­ro Ti­a­go, que fa­lhou no pri­mei­ro gol al­vi­ne­gro e tam­bém ad­mi­tiu a par­ce­la de cul­pa dos ho­mens de de­fe­sa.

“Fu­te­bol não tem mui­ta jus­ti­ça. Se ti­ves­se, a gen­te te­ria saí­do do jo­go com os três pon­tos. Fal­tou um pou­qui­nho de com­pe­tên­cia, na ver­da­de. Eles ti­ve­ram três opor­tu­ni­da­des e fi­ze­ram três gols. O Cam­pe­o­na­to Bra­si­lei­ro é as­sim e a gen­te tem que se ade­quar a is­so tam­bém. Ti­ve­mos mui­tas opor­tu­ni­da­des e a fi­na­li­za­ção pe­cou. Mas a de­fe­sa tam­bém pe­cou, por­que fo­ram três gols so­fri­dos, o que não po­de acon­te­cer”, dis­se.

Tam­bém au­tor de um gol, o meia Vi­ní­cius pre­fe­riu não la­men­tar. De olho no úl­ti­mo jo­go an­tes da pa­ra­da pa­ra a Co­pa do Mun­do, fa­lou so­bre o pe­so de ver o ti­me en­tre os pi­o­res do Bra­si­lei­rão du­ran­te a pau­sa.

“Foi vá­li­do ar­ran­car o em­pa­te, mas te­mos que pensar na qu­ar­ta-fei­ra, qu­an­do te­mos um jo­go di­fí­cil con­tra o Co­rinthi­ans. Com cer­te­za é ruim pa­rar pa­ra a Co­pa com o ti­me na zo­na, por­que nós sa­be­mos da gran­de­za do Bahia. Não po­de­mos es­tar bri­gan­do lá em­bai­xo, mas, in­fe­liz­men­te, es­sa é a nossa re­a­li­da­de hoje. Fi­ze­mos um bom jo­go con­tra o Bo­ta­fo­go, mas to­ma­mos gol mui­to ce­do, is­so é ruim. Mas o que va­le é a en­tre­ga do gru­po, que não de­sis­tiu. Fi­ca­mos tris­tes, as­sim como o tor­ce­dor, mas jun­tos va­mos su­pe­rar is­so”, ana­li­sou o jo­ga­dor.

O Bahia não ven­ce há qua­tro ro­da­das, com três der­ro­tas e um em­pa­te no pe­río­do.

Bahia e Bo­ta­fo­go fazem um jo­go mui­to mo­vi­men­ta­do na Fon­te No­va, com três gols pa­ra cada ti­me. De­fen­so­res ti­ve­ram mui­to tra­ba­lho

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.