PSTC des­car­ta par­ti­da em Cor­né­lio e ter­cei­ri­za pa­ra o São Pau­lo bus­ca de es­tá­dio

Lon­dri­na, Brasília e Cui­a­bá apa­re­cem co­mo op­ções pa­ra a par­ti­da con­tra o São Pau­lo na Co­pa do Bra­sil; Tri­co­lor as­su­miu as ne­go­ci­a­ções após con­ver­sa com clu­be pro­co­pen­se

Folha de Londrina - - Primeira Página - Ví­tor Ogawa Re­por­ta­gem Lo­cal

Op­re­si­den­te do PSTC Pro­co­pen­se, Má­rio Ira­mi­na, des­car­tou a re­a­li­za­ção do jo­go en­tre PSTC e São Pau­lo em Cor­né­lio Pro­có­pio, no Es­tá­dio Mu­ni­ci­pal Ubi­ra­ja­ra Medeiros, pe­la se­gun­da fa­se da Co­pa do Bra­sil. Na tar­de de quin­ta-fei­ra (16), a Con­fe­de­ra­ção Bra­si­lei­ra de Fu­te­bol (CBF) di­vul­gou que a par­ti­da se­rá re­a­li­za­da, dia 1º de mar­ço, às 19h30, no en­tan­to, a de­fi­ni­ção do lo­cal ain­da é uma in­cóg­ni­ta.

O ti­me pro­co­pen­se tem a van­ta­gem do man­do de cam­po e a Pre­fei­tu­ra de Cor­né­lio che­gou a se mo­bi­li­zar pa­ra que a par­ti­da fos­se re­a­li­za­da no Ubi­ra­ja­ra Medeiros, mas um Ter­mo de Ajus­ta­men­to de Con­du­ta (TAC) de 2013, que pe­de uma sé­rie de ade­qua­ções no lo­cal, ali­a­do às ques­tões de se­gu­ran­ças apon­ta­das pe­la Po­lí­cia Mi­li­tar e pe­lo Cor­po de Bom­bei­ros, aca­ba­ram com as es­pe­ran­ças da po­pu­la­ção em as­sis­tir um jo­go his­tó­ri­co pa­ra o mu­ni­cí­pio.

“Vou ser bem fran­co e de­fi­ni­ti­vo. A PM e o Cor­po de Bom­bei­ros não as­se­gu­ram que pos­sam dar co­ber­tu­ra pa­ra um jo­go des­ses pa­ra 2.200 pes­so­as. Co­mo 10% dos in­gres­sos de­vem ser pa­ra a tor­ci­da do São Pau­lo, a fal­ta de in­gres­sos pa­ra os tor­ce­do­res po­de cri­ar um tu­mul­to ao re­dor do cam­po, ca­so ve­nham mais tor­ce­do­res do que a ca­pa­ci­da­de do es­tá­dio. Ima­gi­ne o que po­de acon­te­cer”, aler­tou.

Ele tam­bém re­ve­lou que “ter­cei­ri­zou” a ne­go­ci­a­ção pa­ra de­fi­nir o es­tá­dio da par­ti­da com a se­gu­ran­ça ne­ces­sá­ria pa­ra o Tri­co­lor Pau­lis­ta. “Três di­re­to­res do São Pau­lo li­ga­ram pa­ra mim e se ofe­re­ce­ram pa­ra ne­go­ci­ar com os es­tá­di­os on­de po­de­ri­am re­a­li­zar a par­ti­da. Co­mo o São Pau­lo pos­sui mais ex­pe­ri­ên­cia e mai­or po­der de ne­go­ci­a­ção que o PSTC, re­sol­ve­mos que iría­mos bri­gar jun­tos pa­ra de­fi­nir a ques­tão do lo­cal com es­sas con­di­ções e, ao mes­mo tem­po, ga­ran­tir mai­or per­cen­tu­al de ga­nho de bi­lhe­te­ria e os gas­tos com a pro­mo­ção do jo­go”, in­for­mou.

Ira­mi­na jus­ti­fi­cou que o São Pau­lo es­tá mais acos­tu­ma­do com es­se ti­po de ne­go­ci­a­ção e que a di­re­to­ria são­pau­li­na es­tá ve­ri­fi­can­do os úl­ti­mos de­ta­lhes pa­ra a re­a­li­za­ção da par­ti­da.

Três lo­cais es­tão en­tre os mais co­ta­dos pa­ra abri­gar o jo­go. O pri­mei­ro de­les, pe­la pro­xi­mi­da­de com a ci­da­de de Cor­né­lio Pro­có­pio, é o Es­tá­dio do Ca­fé, em Lon­dri­na, que atu­al­men­te es­tá com a ca­pa­ci­da­de li­mi­ta­da a re­ce­ber no má­xi­mo 10 mil tor­ce­do­res em fun­ção de pro­ble­mas nas câ­me­ras de se­gu­ran­ça que fo­ram quei­ma­das por um raio. Os dis­po­si­ti­vos são uma exi­gên­cia do Es­ta­tu­to do Tor­ce­dor e a Fun­da­ção de Es­por­tes de Lon­dri­na (FEL) po­de uti­li­zar os ser­vi­ços da Guar­da Mu­ni­ci­pal pa­ra re­sol­ver o pro­ble­ma. As­sim, o Ca­fé po­de re­ce­ber até 30 mil tor­ce­do­res.

Os ou­tros dois es­tá­di­os que po­dem re­ce­ber a par­ti­da são are­nas que re­ce­be­ram jo­gos du­ran­te a Co­pa do Mun­do de 2014, a Are­na Pan­ta­nal, em Cui­a­bá (MT), eu Es­tá­dio Ma­né Gar­rin­cha, em Brasília (DF). Os dois es­tá­di­os se tor­na­ram “ele­fan­tes bran­cos” de­pois do Mun­di­al com pou­cas par­ti­das re­a­li­za­das. Por is­so, são al­vos de em­pre­sá­ri­os em ne­go­ci­a­ções pa­ra gran­des jo­gos.

O São Pau­lo pos­sui mais ex­pe­ri­ên­cia e mai­or po­der de ne­go­ci­a­ção”

Com o Ubi­ra­ja­ra Medeiros fo­ra, o Es­tá­dio do Ca­fé é a úni­ca al­ter­na­ti­va pa­ra que a de­ci­são pe­la va­ga se­ja re­a­li­za­da no Nor­te do Pa­ra­ná

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.