Plan­ta de Va­lo­res

Folha de Londrina - - Opinião -

A pri­mei­ra, gran­de e rui­do­sa ma­ni­fes­ta­ção con­tra o au­men­to abu­si­vo do IPTU em Lon­dri­na ocor­reu em uma das ad­mi­nis­tra­ções de An­to­nio Be­li­na­ti. A nova ad­mi­nis­tra­ção mu­ni­ci­pal, tam­bém Be­li­na­ti, que mal ini­ci­ou seus tra­ba­lhos, já anun­ci­ou o es­can­da­lo­so au­men­to do Im­pos­to Pre­di­al e Ter­ri­to­ri­al Ur­ba­no sob o pre­tex­to da gran­de va­lo­ri­za­ção imo­bi­liá­ria e a de­fa­sa­gem ocor­ri­da após a úl­ti­ma atu­a­li­za­ção da Plan­ta de Va­lo­res. O IPTU de Lon­dri­na, cu­ja alí­quo­ta é fi­xa em 1% so­bre o va­lor ve­nal dos imó­veis re­si­den­ci­ais, é um dos mais al­tos de to­do o país, su­pe­ran­do o da ci­da­de de Cu­ri­ti­ba, cu­ja alí­quo­ta, va­riá­vel, é em mé­dia 0,5% so­bre o va­lor ve­nal do imó­vel. Não se dis­cu­te a ne­ces­si­da­de de se atu­a­li­zar a Plan­te de Va­lo­res. Se há o de­se­jo ou a ne­ces­si­da­de de se atu­a­li­zá-la, que a fa­çam, po­rém, re­du­zin­do na mes­ma pro­por­ção a res­pec­ti­va alí­quo­ta. Se a ina­dim­plên­cia em re­la­ção ao pa­ga­men­to des­te tri­bu­to é ho­je ex­pres­si­va, sua ten­dên­cia é au­men­tar ain­da mais. Ti­ve a opor­tu­ni­da­de, du­ran­te a ad­mi­nis­tra­ção pas­sa­da, de en­ca­mi­nhar a to­dos os ve­re­a­do­res, via e-mail, có­pi­as dos lan­ça­men­tos de pe­lo me­nos três imó­veis de di­fe­ren­tes bair­ros de Cu­ri­ti­ba a fim de pro­var-lhes que a alí­quo­ta do IPTU da­que­la ci­da­de é, em mé­dia, a me­ta­de da que é apli­ca­da em nos­sa ci­da­de. Por­tan­to, que se atu­a­li­ze a Plan­ta de Va­lo­res, mas que se re­du­za a alí­quo­ta do IPTU.

ARÃO MO­REI­RA DOS SANTOS NETO (ad­vo­ga­do e ex-pro­cu­ra­dor-ge­ral do Mu­ni­cí­pio) – Lon­dri­na

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.