Em­pre­en­de­do­ris­mo ino­va­dor

Folha de Londrina - - Opinião -

Ocrowd­fun­ding, ou o fi­nan­ci­a­men­to co­le­ti­vo, pas­sou a ser pra­ti­ca­do em 2005, nos Estados Unidos. No Bra­sil, ga­nhou projeção a par­tir de 2011 e, de lá pa­ra cá, foi ga­nhan­do es­ca­la. Tan­to que a CVM (Co­mis­são de Va­lo­res Mo­bi­liá­ri­os) edi­tou re­cen­te­men­te a Ins­tru­ção Nor­ma­ti­va 588 es­ta­be­le­cen­do re­gras pa­ra a mo­da­li­da­de tra­ta­da co­mo crowd­fun­ding equity ou de in­ves­ti­men­to. O objetivo do ór­gão é dar se­gu­ran­ça ju­rí­di­ca aos par­ti­ci­pan­tes des­sa mo­da­li­da­de, po­pu­lar­men­te co­nhe­ci­da co­mo “va­qui­nha vir­tu­al”. O fi­nan­ci­a­men­to co­le­ti­vo vem sen­do usa­do prin­ci­pal­men­te por star­tups na ar­re­ca­da­ção de re­cur­sos pa­ra de­sen­vol­ve­rem pro­du­tos ino­va­do­res. O con­su­mi­dor de­ci­de apoi­ar a ideia pa­ra ver o projeto sair do pa­pel. Após 12 anos de vida, o crowd­fun­ding co­me­ça a au­men­tar de ta­ma­nho e ganhar no­va rou­pa­gem. O exem­plo vem de Cu­ri­ti­ba, onde uma cer­ve­ja­ria está usan­do a plataforma e pe­din­do aju­da dos clientes pa­ra a construção de uma no­va se­de. A par­ti­ci­pa­ção é por meio da com­pra de ca­mi­se­tas, bo­nés e lu­mi­no­sos da mar­ca, ou mes­mo com­pran­do co­tas do projeto. De­pois, os apoi­a­do­res da cam­pa­nha da cer­ve­ja­ria po­de­rão ser trans­for­ma­dos em aci­o­nis­tas. O crowd­fun­ding é uma plataforma ino­va­do­ra e vem al­can­çan­do um pú­bli­co in­ve­já­vel gra­ças ao po­der da in­ter­net. As re­des so­ci­ais de­ram uma for­ça in­crí­vel. É a eco­no­mia co­la­bo­ra­ti­va aju­dan­do a mo­vi­men­tar as en­gre­na­gens que mo­vem em­pre­sas de ta­ma­nhos diferentes. Se o mun­do está se trans­for­man­do ra­pi­da­men­te, no se­tor econô­mi­co não po­de­ria ser di­fe­ren­te, com idei­as ino­va­do­ras im­pac­tan­do so­bre o sis­te­ma tra­di­ci­o­nal de fi­nan­ci­a­men­to. Va­le con­si­de­rar tam­bém que a mo­da­li­da­de re­fle­te a for­te ten­dên­cia dos no­vos tem­pos, em que o con­su­mi­dor, os seus de­se­jos e seus há­bi­tos ganham mui­to po­der.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.