Ba­se de Temer diz ter vo­tos su­fi­ci­en­tes pa­ra rejeitar denúncia

Folha de Londrina - - Política - Agência Bra­sil

Bra­sí­lia - Par­la­men­ta­res da ba­se ali­a­da já estão cal­cu­lan­do os vo­tos na apre­ci­a­ção da denúncia con­tra o pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca, Mi­chel Temer, e os mi­nis­tros Eli­seu Pa­di­lha (Casa Ci­vil) e Mo­rei­ra Fran­co (Se­cre­ta­ria-Ge­ral), na Co­mis­são de Cons­ti­tui­ção e Justiça (CCJ). A expectativa de um dos principais ar­ti­cu­la­do­res do go­ver­no, deputado Be­to Mansur (PRB-SP), é de al­can­çar en­tre 39 e 42 vo­tos pe­la apro­va­ção do re­la­tó­rio do deputado Bo­ni­fá­cio de An­dra­da (PSDB-MG), que re­co­men­da ao ple­ná­rio a re­jei­ção da denúncia.

“Po­de­mos ter en­tre 39 e 42 [vo­tos fa­vo­rá­veis ao go­ver­no]. Is­so porque se a lí­der do PSB, [de­pu­ta­da] Te­re­za Cristina [MS], dei­xar a liderança e o partido ban­de­ar pa­ra a es­quer­da, nós va­mos per­der dois vo­tos. Se ela per­ma­ne­cer, até porque é o lí­der que in­di­ca, nós man­te­re­mos dois vo­tos dos qua­tro do PSB. Tam­bém exis­te a pos­si­bi­li­da­de de ter­mos vo­tos do PSDB, que com­põe a co­mis­são, em fun­ção do tra­ba­lho que foi fei­to pelo relator”, ana­li­sou Mansur.

Pa­ra Mansur, a denúncia tam­bém se­rá bar­ra­da no ple­ná­rio. “Já na ter­ça-fei­ra [17], nós de­ve­re­mos vo­tar e de­ci­dir na CCJ. Aí se en­ca­mi­nha pa­ra o ple­ná­rio na se­ma­na do dia 23, que é uma se­gun­da-fei­ra. Nós po­de­re­mos vo­tar no dia 24 ou no dia 25 no ple­ná­rio e aí a gente vai dis­cu­tir po­li­ti­ca­men­te se dá con­ti­nui­da­de ou arquiva a denúncia. Na mi­nha vi­são, a opo­si­ção não te­rá con­di­ções de ter 342 vo­tos pa­ra dar con­ti­nui­da­de. En­tão, nós va­mos ar­qui­var es­sa denúncia”, ava­lia.

Pa­ra de­pu­ta­dos da opo­si­ção, a pers­pec­ti­va de re­jei­ção da denúncia deve ser man­ti­da com a apro­va­ção do re­la­tó­rio de An­dra­da. No en­tan­to, pa­ra o lí­der do PT, deputado Carlos Za­rat­ti­ni (SP), a vo­ta­ção do ple­ná­rio po­de sur­pre­en­der as ex­pec­ta­ti­vas do go­ver­no.

“Exis­te uma cer­ta de­gra­da­ção da ba­se. Nós es­ta­mos ven­do no PSDB de­pu­ta­dos que­ren­do vo­tar con­tra­ri­a­men­te a Temer, no pro­ces­so de seu afas­ta­men­to e mui­tos ou­tros de­pu­ta­dos de di­ver­sos par­ti­dos que vo­ta­ram a fa­vor na pri­mei­ra vo­ta­ção se ma­ni­fes­tan­do com a in­ten­ção de vo­tar con­tra­ri­a­men­te. En­tão, nós po­de­mos, in­clu­si­ve, ter uma surpresa aí”, dis­se Za­rat­ti­ni. “O que está pin­tan­do é uma surpresa e po­de ter a re­ver­são dos nú­me­ros ra­pi­da­men­te”, com­ple­tou.

Se­gun­do Za­rat­ti­ni, a opo­si­ção não deve usar ar­ti­fí­ci­os de manobra pa­ra pro­lon­gar as dis­cus­sões so­bre a denúncia na CCJ. “No ple­ná­rio, nós va­mos fa­zer uma denúncia da for­ma que está se dando es­se pro­ces­so to­do, que im­pe­de qual­quer in­ves­ti­ga­ção so­bre o pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca e os indícios que exis­tem são for­tís­si­mos e de­ve­ri­am ser investigados”, dis­se.

DENÚNCIA

Es­ta é a se­gun­da vez que o pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca é denunciado ao STF no exer­cí­cio do man­da­to, em de­cor­rên­cia de in­ves­ti­ga­ções na Ope­ra­ção La­va Ja­to. Na pri­mei­ra oca­sião, Temer foi denunciado por cor­rup­ção pas­si­va. A denúncia foi recusada pelo ple­ná­rio da Câ­ma­ra, quan­do 263 de­pu­ta­dos vo­ta­ram fa­vo­ra­vel­men­te ao pa­re­cer do deputado Paulo Abi Ac­kel (PSDB-MG), que tam­bém pe­dia pe­la re­jei­ção da pe­ça.

Nes­ta se­gun­da denúncia, o ex-procurador-ge­ral da Re­pú­bli­ca, Ro­dri­go Ja­not, de­nun­ci­ou o pre­si­den­te Mi­chel Temer e os mi­nis­tros Eli­seu Pa­di­lha (Casa Ci­vil) e Mo­rei­ra Fran­co (Se­cre­ta­ria-Ge­ral) pelo crime de or­ga­ni­za­ção cri­mi­no­sa. Mi­chel Temer tam­bém foi denunciado por obs­tru­ção de Justiça, acu­sa­ção que tam­bém foi rejeitada pelo relator.

Lu­la Mar­ques/AGPT

Na vés­pe­ra do fe­ri­a­do, pou­cos par­la­men­ta­res marcaram presença no ple­ná­rio da Câ­ma­ra ontem: go­ver­nis­tas cal­cu­lam vo­tos pa­ra sal­var Temer e mi­nis­tros

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.