Do­en­ça in­cu­rá­vel

Folha de Londrina - - Opinião -

Nos idos de 1930-50, de­ba­tía­mos so­bre cer­tas do­en­ças que cau­sa­vam gran­de apre­en­são a to­da a so­ci­e­da­de. A lou­cu­ra, a mor­feia e a tuberculose ti­nham por parte do go­ver­no fe­de­ral um com­ba­te os­ten­si­vo e res­pon­sá­vel. São Paulo e Mi­nas fo­ram os dois Es­ta­dos mais ata­ca­dos pe­las re­fe­ri­das do­en­ças. O go­ver­no não pou­pa­va es­for­ços nem con­di­ção fi­nan­cei­ra pa­ra com­ba­tê-las. Exis­ti­am pro­fis­si­o­nais es­pe­ci­a­li­za­dos em ca­da área de atu­a­ção. Com cu­ri­o­si­da­de da po­pu­la­ção, vi­a­tu­ras também es­pe­ci­a­li­za­das per­cor­ri­am to­das as ci­da­des, trans­por­tan­do os do­en­tes aos ma­nicô­mi­os e le­pro­sá­ri­os lo­ca­li­za­dos em ci­da­des cha­ves. Es­tas ci­da­des, pelo tra­ba­lho que exer­ci­am, se tor­na­ram fa­mo­sas e di­fe­ren­ci­a­das. Ju­que­ri e Bar­ba­ce­na fo­ram du­as que se des­ta­ca­vam no ce­ná­rio na­ci­o­nal. De épo­ca em épo­ca, apa­re­cem no­vas do­en­ças que nos as­sus­tam e nos ti­ram do co­mo­dis­mo. A den­gue, a zi­ca e ou­tras me­no­res são do­en­ças atu­ais que re­que­rem da so­ci­e­da­de mui­ta aten­ção qu­an­to à sua pro­pa­ga­ção. De to­das es­tas do­en­ças, pa­ra a so­ci­e­da­de bra­si­lei­ra a que mais tem me­xi­do com nos­so brio e nos­so des­te­mor é a “in­ca­ra­ter”, que tra­du­zi­da pa­ra o nos­so por­tu­guês sig­ni­fi­ca “fal­ta de ca­rá­ter” ou “sem-ver­go­nhi­ce en­cu­ba­da”. Pe­la sua de­ter­mi­na­ção e fe­ro­ci­da­de, es­sa do­en­ça tem tra­zi­do que­bra­dei­ra a todos os seg­men­tos pro­du­ti­vos, prin­ci­pal­men­te no co­mér­cio. Sem res­tri­ção, tem atin­gi­do os pe­que­nos bo­te­cos e a gran­de Pe­tro­bras. Também as fi­nan­ças de todos os Es­ta­dos foi atin­gi­da por esta epi­de­mia. Tra­ta-se de uma ter­rí­vel do­en­ça que ata­ca prin­ci­pal­men­te a clas­se po­lí­ti­ca, ou me­lhor: é aco­ber­ta­da es­pe­ci­al­men­te pe­la clas­se po­lí­ti­ca. Só al­can­ça­re­mos êxi­to nes­ta nos­sa em­prei­ta­da se dei­xar­mos de cons­truir es­co­las e hos­pi­tais e em­pre­gar­mos o di­nhei­ro so­men­te na cons­tru­ção de mais de­ze­nas de pe­ni­ten­ci­a­ri­as e também re­zar­mos pa­ra que apa­re­çam mui­tos e mui­tos Ser­gi­os Mo­ros.

WELLINGTON AMA­RAL SAMPAIO (ad­mi­nis­tra­dor apo­sen­ta­do) – Lon­dri­na

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.