Oi pro­to­co­la no­vo pla­no de re­cu­pe­ra­ção na Jus­ti­ça

Folha de Londrina - - Economia&negócios - Agência Bra­sil

A Oi pro­to­co­lou na quar­ta (11) o pla­no de re­cu­pe­ra­ção ju­di­ci­al na 7ª Va­ra Em­pre­sa­ri­al do Tri­bu­nal de Jus­ti­ça do Es­ta­do do Rio de Janeiro, res­pon­sá­vel por con­du­zir o pro­ces­so. A pro­pos­ta, que al­te­ra as con­di­ções pa­ra a ne­go­ci­a­ção com cre­do­res, foi apro­va­da on­tem (10) pelo con­se­lho de ad­mi­nis­tra­ção e pe­la di­re­to­ria e pre­vê uma capitalização de R$ 9 bi­lhões.

Des­se to­tal, parte vi­ria da con­ver­são de dí­vi­das em par­ti­ci­pa­ção aci­o­ná­ria, cer­ca de R$ 3,6 bi­lhões; R$ 3,5 bi­lhões em di­nhei­ro apor­ta­do por bondhol­ders (de­ten­to­res de tí­tu­los) e R$ 2,5 bi­lhões vin­dos dos acionistas. A em­pre­sa es­pe­ra con­se­guir con­sen­so en­tre acionistas, bondhol­ders e cre­do­res pa­ra que a pro­pos­ta pos­sa ser co­lo­ca­da em vo­ta­ção em As­sem­bleia de Cre­do­res, já mar­ca­da pa­ra o dia 23 de outubro.

“Com a capitalização, o pa­ta­mar de in­ves­ti­men­to anu­al da com­pa­nhia pas­sa­rá de R$ 5 bi­lhões ao ano pa­ra apro­xi­ma­da­men­te R$ 7 bi­lhões ao ano, pe­los pró­xi­mos três anos. O adi­ci­o­nal de in­ves­ti­men­to a ser fei­to anu­al­men­te se­rá des­ti­na­do a pro­je­tos de ex­pan­são de fi­bra óti­ca, au­men­to da co­ber­tu­ra 4G, pro­je­tos de di­gi­ta­li­za­ção e TI”, dis­se a em­pre­sa por meio de no­ta.

Além dis­so, a Oi dis­se que vai ne­go­ci­ar com os bondhol­ders, que reú­nem mon­tan­te su­pe­ri­or a R$ 22 bi­lhões de cré­di­tos. “A com­pa­nhia já as­si­nou acor­dos de con­fi­den­ci­a­li­da­de com re­pre­sen­tan­tes des­tes gru­pos e ini­ci­ou dis­cus­sões pa­ra bus­car apro­va­ção ao pla­no de re­cu­pe­ra­ção da Oi”, dis­se a te­le em no­ta.

Em agos­to, a Oi apre­sen­tou pa­ra a Agência Na­ci­o­nal de Telecomunicações (Ana­tel) uma pro­pos­ta de re­cu­pe­ra­ção ju­di­ci­al, que in­cluía uma capitalização de R$ 8 bi­lhões. Na oca­sião, a agência de­ter­mi­nou, di­an­te do que con­si­de­rou in­con­sis­tên­ci­as, que o pla­no fos­se re­fei­to an­tes de ser sub­me­ti­do aos cre­do­res no fi­nal de se­tem­bro.

A si­tu­a­ção das dí­vi­das da Oi com a Ana­tel ain­da es­tá sem re­so­lu­ção. A em­pre­sa dis­se que a partir des­te mo­men­to, “há am­pla opor­tu­ni­da­de de avan­ça­rem as dis­cus­sões com ins­ti­tui­ções e au­tar­qui­as pú­bli­cas que são cre­do­res da Oi e também com as au­to­ri­da­des e re­gu­la­dor do Go­ver­no, que vêm se ma­ni­fes­tan­do pu­bli­ca­men­te pelo in­te­res­se co­mum de pre­ser­var os ser­vi­ços pres­ta­dos pe­la Oi e os em­pre­gos ge­ra­dos pe­la com­pa­nhia.”

A em­pre­sa de­ve cer­ca de R$ 11 bi­lhões em mul­tas à agência re­gu­la­do­ra. Na tar­de de ter­ça (10), após se reu­nir com o mi­nis­tro da Fa­zen­da, Hen­ri­que Mei­rel­les, a mi­nis­tra da Ad­vo­ca­cia Ge­ral da União (AGU), Grace Men­don­ça, dis­se que o go­ver­no co­gi­ta uma mu­dan­ça na le­gis­la­ção pa­ra aju­dar a Oi, ca­so a so­lu­ção de­fi­ni­da pelo gru­po não te­nha res­pal­do na le­gis­la­ção vi­gen­te.

O go­ver­no po­de­ria en­vi­ar uma pro­pos­ta (pro­je­to de lei ou me­di­da pro­vi­só­ria) ao Con­gres­so, se­gun­do a ad­vo­ga­da-ge­ral da União. “É um iní­cio de tra­ba­lho. Não há a ex­clu­são de ne­nhu­ma pos­si­bi­li­da­de”, dis­se após a reu­nião do gru­po.

A AGU é res­pon­sá­vel por fa­zer a in­ter­lo­cu­ção jun­to à Jus­ti­ça dos in­te­res­ses do go­ver­no e da Agência Na­ci­o­nal de Telecomunicações (Ana­tel) e par­ti­ci­pa de um gru­po de tra­ba­lho com re­pre­sen­tan­tes de vá­ri­os mi­nis­té­ri­os pa­ra en­con­trar uma saí­da le­gal pa­ra a com­pa­nhia.

O gru­po Oi fez a re­qui­si­ção do pe­di­do de re­cu­pe­ra­ção ju­di­ci­al em 20 de ju­nho de 2016. O ca­so é o mai­or e mais com­ple­xo pro­ces­so de re­cu­pe­ra­ção ju­di­ci­al da his­tó­ria do país. A em­pre­sa dis­se que vem tra­ba­lhan­do pa­ra re­sol­ver o im­bró­glio.

Brasília - A em­pre­sa de­ve cer­ca de R$ 11 bi­lhões em mul­tas à Ana­tel

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.