For­tes chu­vas atin­gem 38 mu­ni­cí­pi­os no Pa­ra­ná

Ba­lan­ço da De­fe­sa Ci­vil apon­ta que 4.000 pes­so­as fo­ram afe­ta­das; es­tra­gos fo­ram re­gis­tra­dos prin­ci­pal­men­te no Oes­te e Nor­te Pi­o­nei­ro

Folha de Londrina - - Cidades - Mi­ca­e­la Ori­ka­sa Re­por­ta­gem Lo­cal

ADe­fe­sa Ci­vil do Pa­ra­ná tra­ba­lha em di­ver­sas re­giões pa­ra sa­nar os es­tra­gos cau­sa­dos pe­las for­tes chu­vas. Até as 18h des­ta se­gun­da-fei­ra (30), o bo­le­tim da De­fe­sa Ci­vil re­gis­tra­va 4.007 pes­so­as afe­ta­das em 38 mu­ni­cí­pi­os. Em to­do o Es­ta­do, 93 pes­so­as fi­ca­ram de­sa­bri­ga­das, ou se­ja, ti­ve­ram que sair de su­as ca­sas e ain­da não fo­ram pa­ra abri­gos ou ca­sas de ou­tras pes­so­as.

A pre­vi­são é que o nú­me­ro de afe­ta­dos au­men­te, já que a De­fe­sa Ci­vil con­ti­nua acom­pa­nhan­do os mu­ni­cí­pi­os. “Ain­da não hou­ve pe­di­dos de aju­da hu­ma­ni­tá­ria, mas a si­tu­a­ção ten­de a evo­luir”, afir­mou o che­fe ope­ra­ci­o­nal da De­fe­sa Ci­vil, ca­pi­tão Ro­me­ro Nu­nes da Sil­va Fi­lho.

No Oes­te, em Cas­ca­vel, uma ga­ro­ta de 15 anos mor­reu afo­ga­da. Ela foi ar­ras­ta­da pe­la en­xur­ra­da na tar­de de do­min­go (29), pró­xi­mo à Fon­te dos Mo­sai­cos, em um fun­do de va­le do bair­ro Can­cel­li. Se­gun­do in­for­ma­ções da te­nen­te Mar­ce­la Nas­ci­men­to, que aten­deu a ocor­rên­cia, um gru­po de ado­les­cen­tes es­ta­va em­bai­xo de uma pon­te por on­de pas­sa o rio São Fran­cis­co Ver­da­dei­ro. “Os três ga­ro­tos que es­ta­vam no lo­cal, ti­ve­ram fe­ri­men­tos le­ves e fo­ram li­be­ra­dos. Eles dis­se­ram que não co­nhe­ci­am a ví­ti­ma”, afir­mou.

Ain­da de acor­do com a te­nen­te, o cor­po da ga­ro­ta foi lo­ca­li­za­do cer­ca de 800 me­tros de dis­tân­cia do lo­cal da que­da, de­pois de 20 mi­nu­tos de bus­ca. “No mo­men­to da ocor­rên­cia, por vol­ta das 15h30, cho­via mui­to for­te. A chu­va ain­da não ces­sou e se­gui­mos tra­ba­lhan­do nos pon­tos de ala­ga­men­to e des­mo­ro­na­men­to”, apon­tou.

Nas ro­do­vi­as, a tem­pes­ta­de pro­vo­cou a que­da de bar­rei­ra na ma­dru­ga­da, no km 92 da BR-467, em Cas­ca­vel. Ho­ras de­pois, a pis­ta foi par­ci­al­men­te li­be­ra­da e má­qui­nas tra­ba­lha­vam na re­mo­ção da la­ma e cas­ca­lho. Em Cas­ca­vel, o Si­me­par re­gis­trou os mai­o­res vo­lu­mes de chu­va – 240 mi­lí­me­tros – des­de a tar­de de do­min­go. No mês de ou­tu­bro, a mé­dia de to­da a re­gião Oes­te é de 27 mi­lí­me­tros.

NOR­TE PI­O­NEI­RO

Na re­gião de Si­quei­ra Cam­pos, no Nor­te Pi­o­nei­ro, os ven­tos che­ga­ram a 72 km por hora. Hou­ve que­das de ár­vo­res e uma de­las atin­giu uma casa no sí­tio Ga­ra­nha­ni, no bair­ro Boa Vis­ta. O ma­jor Wil­son Oli­vei­ra Pau­li­no, da 3ª Corp­dec (Co­or­de­na­do­ria Re­gi­o­nal de Pro­te­ção e De­fe­sa Ci­vil), es­ta­va no lo­cal pres­tan­do aten­di­men­to ao ca­sal que mo­ra no sí­tio. Em Cam­ba­rá, 200 ca­sas fo­ram da­ni­fi­ca­das, afe­tan­do mil pes­so­as e de­sa­bri­gan­do ou­tras cin­co, se­gun­do in­for­mou a De­fe­sa Ci­vil Es­ta­du­al.

A BR-369, no quilô­me­tro 14, en­tre Cam­ba­rá e Ou­ri­nhos (SP), a ro­do­via es­tá in­ter­di­ta­da nos dois sen­ti­dos em ra­zão de um gran­de ala­ga­men­to na pis­ta. Os mo­to­ris­tas es­tão sen­do ori­en­ta­dos a des­vi­ar pe­la PR-431 e não exis­te pre­vi­são que o tre­cho se­ja li­be­ra­do até que a água acu­mu­la­da es­cor­ra.

Em Pa­ra­na­vaí (No­ro­es­te), so­men­te na ma­dru­ga­da cho­veu 54,2 mi­lí­me­tros, o que sig­ni­fi­ca 35% da mé­dia his­tó­ri­ca pa­ra to­do o mês na ci­da­de, que é de 154,8mm. Se­gun­do o Si­me­par (Sis­te­ma Me­te­o­ro­ló­gi­co do Pa­ra­ná), em ou­tu­bro tam­bém já cho­veu 20% a mais que a mé­dia his­tó­ri­ca. Du­ran­te a ma­dru­ga­da, os ven­tos che­ga­ram a 71,64 km/h e der­ru­ba­ram mui­tas ár­vo­res. Le­van­ta­men­to ini­ci­al re­a­li­za­do pe­la Se­cre­ta­ria de Meio Am­bi­en­te es­ti­ma que apro­xi­ma­da­men­te 50 ár­vo­res caí­ram em vá­ri­os pon­tos da ci­da­de. Se­gun­do a Co­pel, até as 16h, um to­tal de 2.506 imó­veis da ci­da­de ain­da es­ta­vam sem ener­gia elé­tri­ca. Os bom­bei­ros in­for­ma­ram que 28 fa­mí­li­as ti­ve­ram as ca­sas des­te­lha­das ou pro­ble­mas com va­za­men­tos e pro­cu­ra­ram a De­fe­sa Ci­vil pa­ra re­ti­rar lo­nas.

TRÉGUA

A par­tir des­ta ter­ça-fei­ra (31), a chu­va de­ve dar um trégua em to­do o Es­ta­do, mas a che­ga­da de uma fren­te fria po­de der­ru­bar li­gei­ra­men­te a tem­pe­ra­tu­ra. A pre­vi­são do Si­me­par é de que o tem­po se man­te­rá fir­me até quin­ta­fei­ra (2). De­pois, vol­ta a cho­ver em to­do o Es­ta­do. “Do­min­go o tem­po me­lho­ra, in­clu­si­ve com al­tas tem­pe­ra­tu­ras pas­san­do dos 30 graus”, co­men­tou o me­te­o­ro­lo­gis­ta Rei­nal­do Kneib.

O mês de ou­tu­bro é ti­pi­ca­men­te chu­vo­so, mas as tem­pes­ta­des que caí­ram so­bre o Pa­ra­ná nos úl­ti­mos di­as têm uma ex­pli­ca­ção, se­gun­do Kneib. “O en­con­tro do trans­por­te de umi­da­de e ca­lor vin­do da re­gião amazô­ni­ca pa­ra a nos­sa re­gião fez com que uma tem­pes­ta­de mais se­ve­ra caís­se so­bre o Es­ta­do.”

ALER­TA

A ins­ta­la­ção do Cen­tro de Ge­ren­ci­a­men­to de Ris­cos e De­sas­tres au­xi­lia a De­fe­sa Ci­vil na to­ma­da de de­ci­sões em si­tu­a­ções co­mo a que ocor­re ago­ra. O re­sul­ta­do prá­ti­co é o au­men­to da emis­são de aler­tas à po­pu­la­ção. Des­de me­a­dos de ou­tu­bro, os aler­tas de even­tos me­te­o­ro­ló­gi­cos se­ve­ros são dis­pa­ra­dos a to­do Pa­ra­ná por SMS. Pa­ra se ca­das­trar, é só en­vi­ar um SMS pa­ra o nú­me­ro 40199 com o CEP de sua re­si­dên­cia ou de ou­tros lu­ga­res de in­te­res­se.

A pre­vi­são do Si­me­par é que o tem­po se man­te­rá fir­me até quin­ta-fei­ra

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.