O mai­or prê­mio de um cro­nis­ta

Folha de Londrina - - Cidades -

Aca­bo de re­ce­ber o mai­or prê­mio que um es­cri­tor po­de­ria al­me­jar. Não é o No­bel, nem o Ca­mões, nem o Ma­cha­do de As­sis, mui­to me­nos o Ja­bu­ti. É ape­nas um qua­dro na pa­re­de de uma casa de fa­mí­lia.

Es­te cro­nis­ta de se­te lei­to­res tem a hon­ra de anun­ci­ar que a sua “Car­ta a um ami­go que foi tão ce­do”, pu­bli­ca­da há al­guns di­as em ho­me­na­gem a Már­cio Arau­jo, foi emol­du­ra­da por seus pais e co­lo­ca­da na pa­re­de da re­si­dên­cia da fa­mí­lia. Des­se mo­do, o pai e a mãe de Mar­ci­nho po­de­rão re­ler aque­las pa­la­vras, olhar aque­la fo­to­gra­fia e mais uma vez sa­ber que o fi­lho de­les era uma pes­soa qu­e­ri­da e ines­que­cí­vel.

An­to­nio Can­di­do es­cre­veu cer­ta vez: “Não se ima­gi­na uma li­te­ra­tu­ra fei­ta de gran­des cro­nis­tas, que lhe des­sem o bri­lho uni­ver­sal dos gran­des ro­man­cis­tas, dra­ma­tur­gos e po­e­tas. Nem se pen­sa­ria em atri­buir o Prê­mio No­bel a um cro­nis­ta, por me­lhor que fos­se. (...) ‘Gra­ças a Deus’, se­ria o ca­so de di­zer, por­que sen­do as­sim ela fi­ca per­to de nós’”.

Tal­vez al­guns ami­gos con­ser­va­do­res es­te­jam sur­pre­sos com o fa­to de eu ci­tar Can­di­do, um au­tor de es­quer­da, mas o que ele dis­se é a pu­ra ver­da­de. A gló­ria do cro­nis­ta é a gló­ria da pe­que­nez, da sim­pli­ci­da­de, da pro­xi­mi­da­de. Meu No­bel con­sis­te em sa­ber que amai­nei, ain­da que mi­ni­ma­men­te, a dor no co­ra­ção de um pai e uma mãe que per­de­ram seu fi­lho ama­do. Eis, pa­ra mim, a gló­ria a que Ma­cha­do de As­sis se re­fe­re nu­ma fa­mo­sa fra­se re­pro­du­zi­da na se­de da Aca­de­mia Bra­si­lei­ra de Le­tras — “Es­ta a gló­ria que fi­ca, ele­va, hon­ra e con­so­la”.

Se o que você pro­cu­ra é di­nhei­ro ou po­der, acon­se­lho que não se tor­ne um es­cri­tor, mui­to me­nos um es­cri­tor de crô­ni­cas. Se você quer uma vi­da tran­qui­la, sem con­fli­tos ou dis­cus­sões, a ati­vi­da­de li­te­rá­ria tam­bém não é acon­se­lhá­vel. Você só de­ve se de­di­car à es­cri­ta se pos­sui um amor in­con­di­ci­o­nal pe­lo idi­o­ma e o con­si­de­ra uma es­tra­da

Shut­ters­tock

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.