De uma car­rei­ra que o le­vou a par­ti­ci­par de de­ze­nas de cam­pa­nhas elei­to­rais.

Folha De S.Paulo - - Mundo - MARCOS AU­GUS­TO GONÇALVES

DE NO­VA YORK

“Ele não era per­fei­to, mas Ro­ger Ai­les era meu ami­go e eu o ama­va”, de­cla­rou o ex­pre­si­den­te Ge­or­ge W. Bush após a no­tí­cia de que o fun­da­dor da re­de de TV Fox News ha­via mor­ri­do na ma­nhã des­ta quin­ta (18) aos 77 anos. “Não sei se eu te­ria si­do pre­si­den­te sem seu gran­de ta­len­to e aju­da leal”, com­ple­tou o re­pu­bli­ca­no, que go­ver­nou os EUA de 2001-2009.

Ai­les, um con­ser­va­dor con­tro­ver­so e ta­len­to­so, atu­ou nas cam­pa­nhas de ou­tros dois pre­si­den­tes re­pu­bli­ca­nos, Ri­chard Ni­xon (1969-74) e Ro­nald Re­a­gan (1981-89), até ser con­vi­da­do pe­lo em­pre­sá­rio Ru­pert Mur­do­ch pa­ra fun­dar a Fox News, que es­tre­ou em ou­tu­bro de 1996.

“Ro­ger e eu com­par­ti­lha­mos uma gran­de ideia que ele exe­cu­tou de uma ma­nei­ra que nin­guém mais po­de­ria ter fei­to”, de­cla­rou Mur­do­ch.

Com lin­gua­gem aces­sí­vel e agres­si­va, in­cli­na­ção con­ser­va­do­ra e um ti­me de ân­co­ras e co­men­ta­ris­tas li­ga­dos à opi­nião de di­rei­ta nos EUA, co­mo Bill O’Reilly e Se­an Han­nity, a emis­so­ra tor­nou­se um su­ces­so de au­di­ên­cia. Ai­les co­me­çou a do­mi­nar as téc­ni­cas de atrair au­di­ên­cia des­de que tra­ba­lhou, na dé­ca­da de 1960, co­mo pro­du­tor do “The Mi­ke Dou­glas Show”, um pro­gra­ma de en­tre­vis­tas e va­ri­e­da­des exi­bi­do em es­ca­la na­ci­o­nal de 1963 a 1981.

Cri­ti­ca­do por jor­na­lis­tas e po­lí­ti­cos li­be­rais por ado­tar uma li­nha edi­to­ri­al im­pac­tan­te e aber­ta­men­te con­ser­va­do­ra, ele cos­tu­ma­va di­zer que o jor­na­lis­mo da Fox era jus­to e equi­li­bra­do. “Se pa­re­ce­mos con­ser­va­do­res”, de­cla­rou cer­ta vez, “é por­que os ou­tros es­tão tão in­do mui­to pa­ra a es­quer­da”.

A acu­sa­ção alu­dia a ri­vais co­mo a CNN e a CBS, que ele, com iro­nia, di­zia sig­ni­fi­ca­rem, res­pec­ti­va­men­te “Clin­ton News Network” (re­de de no­tí­ci­as Clin­ton) e “Com­mu­nist Bro­ad­cas­ting Sys­tem” (sis­te­ma co­mu­nis­ta de TV).

Em 1968, Ai­les dei­xou a pro­du­ção do “The Mi­ke Dou­glas Show” e co­me­çou a atu­ar co­mo es­tra­te­gis­ta de co­mu­ni­ca­ção pa­ra a can­di­da­tu­ra de Ri­chard Ni­xon —o iní­cio TREI­NAN­DO TRUMP In­flu­en­te no Par­ti­do Re­pu­bli­ca­no, ele e tam­bém foi um dos ar­tí­fi­ces da tra­je­tó­ria po­lí­ti­ca de Do­nald Trump, atu­an­do co­mo seu con­se­lhei­ro.

Co­mo um dos ho­mem mais po­de­ro­sos da mí­dia ame­ri­ca­na, Ai­les co­me­çou a acon­se­lhar Trump em 2015, an­tes de o re­pu­bli­ca­no se lan­çar can­di­da­to. En­con­tra­vam-se e fa­la­vam pe­lo te­le­fo­ne re­gu­lar­men­te, e Ai­les par­ti­ci­pou das ses­sões de pre­pa­ra­ção de Trump pa­ra os de­ba­tes com sua opo­nen­te Hil­lary Clin­ton.

An­tes da elei­ção, em ju­lho de 2016, Ai­les foi afas­ta­do da di­re­ção da Fox News por um es­cân­da­lo de as­sé­dio se­xu­al. Gret­chen Carl­son, uma exMiss EUA que tra­ba­lha­va na emis­so­ra, o pro­ces­sou por fazer in­si­nu­a­ções e ame­a­çá-la.

A mor­te foi anun­ci­a­da por sua mu­lher, Eli­za­beth. Ele so­freu uma he­mor­ra­gia no cé­re­bro após cair em sua ca­sa, em Palm Be­a­ch, com­pli­ca­da pe­lo fa­to de ser he­mo­fí­li­co.

“O se­gre­do da vi­da”, dis­se Ai­les cer­ta vez é “en­con­trar al­go que vo­cê gos­ta de fazer e en­con­trar al­guém que vai pa­gá-lo pa­ra is­so.”

Fred Prou­ser-24.jul.2006/Reuters

O co­fun­da­dor da Fox News, Ro­ger Ai­les, par­ti­ci­pa de de­ba­te em as­so­ci­a­ção de críticos

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.