Ja­not 9 x 0 Te­mer

Folha De S.Paulo - - Opinião -

BRA­SÍ­LIA - Às vés­pe­ras de vi­rar al­vo da se­gun­da de­nún­cia, Mi­chel Te­mer so­freu uma du­ra der­ro­ta no Su­pre­mo. Por una­ni­mi­da­de, a cor­te ne­gou o pe­di­do pa­ra afas­tar Ro­dri­go Ja­not das in­ves­ti­ga­ções que o en­vol­vem. O pro­cu­ra­dor ven­ceu o pre­si­den­te de go­le­a­da: 9 a 0.

A de­fe­sa que­ria que Ja­not fos­se de­cla­ra­do sus­pei­to por “au­sên­cia de im­par­ci­a­li­da­de”. Se o tri­bu­nal acei­tas­se a te­se, os dois inqué­ri­tos con­tra Te­mer iri­am pa­ra as ca­len­das. As­sim, ele não te­ria mais mo­ti­vos pa­ra se pre­o­cu­par com a Lava Jato.

O ad­vo­ga­do Antô­nio Cláu­dio Ma­riz dis­se que seu cli­en­te “quer tra­ba­lhar, mas não con­se­gue”, por­que “a ca­da mo­men­to uma no­va de­nún­cia apa­re­ce”. Ele ain­da acu­sou a im­pren­sa, a cul­pa­da de sem­pre, de “dar eco pa­ra pro­pa­gar o mal” con­tra Te­mer.

“Dei­xem-no em paz!”, su­pli­cou o cau­sí­di­co, an­tes de di­zer que as acu­sa­ções de cor­rup­ção têm cau­sa­do gran­de “so­fri­men­to” ao pre­si­den­te, à mu­lher e a um “ir­mão do­en­te”.

Se a ideia era ar­ran­car lá­gri­mas, não fun­ci­o­nou. Os no­ve juí­zes pre­sen­tes ou­vi­ram o dis­cur­so sem de­mons­trar qual­quer emo­ção. O mi­nis­tro Gil­mar Men­des, que cos­tu­ma se sen­si­bi­li­zar com os dra­mas de Te­mer, pre­fe­riu não apa­re­cer pa­ra vo­tar.

“Os fa­tos des­cri­tos não con­fi­gu­ram cau­sa de sus­pei­ção”, re­su­miu a mi­nis­tra Ro­sa We­ber. “O pre­si­den­te não foi o al­vo ex­clu­si­vo do pro­cu­ra­dor. Ou­tros par­ti­dos e ou­tros po­lí­ti­cos fo­ram igual­men­te atin­gi­dos”, en­dos­sou Ri­car­do Lewan­dows­ki.

A ses­são ga­nhou tom de de­sa­gra­vo ao pro­cu­ra­dor. “Não pos­so dei­xar de re­co­nhe­cer a atu­a­ção res­pon­sá­vel, le­gí­ti­ma e in­de­pen­den­te de Ja­not, que tem exer­ci­do a che­fia do Mi­nis­té­rio Pú­bli­co com gran­de se­ri­e­da­de”, dis­se o de­ca­no Cel­so de Mel­lo.

Os elo­gi­os não li­vram Ja­not de ex­pli­car melhor as re­la­ções sus­pei­tís­si­mas en­tre seu ex-au­xi­li­ar Mar­cel­lo Mil­ler e a JBS. Mes­mo as­sim, o pro­cu­ra­dor ven­ceu de la­va­da. Pa­ra Te­mer, fi­ca um lem­bre­te: a vi­da po­de ser mais di­fí­cil qu­an­do os jul­ga­do­res não tro­cam vo­tos por car­gos e emen­das.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.