Lí­der de Mi­an­mar evi­ta­rá cúpula da ONU

Sob acu­sa­ção de per­mi­tir lim­pe­za ét­ni­ca de rohingyas, No­bel da paz cita cri­se in­ter­na pa­ra não vi­a­jar a No­va York

Folha De S.Paulo - - Mundo -

Des­de iní­cio de em­ba­tes com mi­li­ta­res, mais de 370 mil mem­bros de mi­no­ria ét­ni­ca fu­gi­ram pa­ra Ban­gla­desh

Em meio a crí­ti­cas da co­mu­ni­da­de in­ter­na­ci­o­nal pe­la violência so­fri­da pe­la mi­no­ria ét­ni­ca rohingya, Aung San Suu Kyi, lí­der de fa­to de Mi­an­mar e ga­nha­do­ra do prê­mio No­bel da paz, anun­ci­ou nes­ta quar­ta (13) que não irá à As­sem­bleia Ge­ral da ONU.

Um por­ta-voz in­for­mou que a pri­o­ri­da­de no mo­men­to é im­pe­dir que a violência se es­pa­lhe pe­lo país.

A cri­se co­me­çou no dia 25 de agos­to, qu­an­do re­bel­des rohingyas ata­ca­ram 20 de­le­ga­ci­as no Es­ta­do de Rakhi­ne, no oes­te do país, on­de se con­cen­tra a mi­no­ria rohingya.

Em res­pos­ta, o Exér­ci­to tem con­du­zi­do o que cha­mou de “ope­ra­ções de lim­pe­za”, que afir­ma vi­sar a de­ten­ção de “ter­ro­ris­tas” e a pro­te­ção da po­pu­la­ção ci­vil.

O ga­bi­ne­te de Suu Kyi afir­mou que ob­te­ve in­for­ma­ções so­bre o pla­ne­ja­men­to de ata­ques ter­ro­ris­tas e que a se­gu­ran­ça se­ria re­for­ça­da.

O pre­si­den­te de Mi­an­mar, Htin Kyaw, es­tá hos­pi­ta­li­za­do, por is­so o país será re­pre­sen­ta­do na As­sem­bleia Ge­ral da ONU pe­lo vi­ce-pre­si­den­te Henry Van Tio.

se­cre­tá­rio-ge­ral da ONU, An­to­nio Gu­ter­res, dis­se nes­ta quar­ta que não há ter­mo mais apro­pri­a­do pa­ra des­cre­ver o ca­so do que “lim­pe­za ét­ni­ca”. Ele pe­diu às au­to­ri­da­des bir­ma­ne­sas que sus­pen­dam as ações mi­li­ta­res e que “re­co­nhe­çam o di­rei­to de re­tor­no da­que­les que ti­ve­ram que dei­xar Mi­an­mar”.

Na se­gun­da (11), o al­to co­mis­sá­rio da ONU pa­ra os Di­rei­tos Hu­ma­nos, Zeid Ra’ad Al Hus­sein, dis­se que a si­tua- ção era um “exem­plo clás­si­co de lim­pe­za ét­ni­ca”.

O Con­se­lho de Se­gu­ran­ça da ONU de­ve se reu­nir nes­ta quar­ta pe­la se­gun­da vez des­de o iní­cio da cri­se. O Em­bai­xa­dor do Rei­no Uni­do na ONU, Matthew Ry­croft, dis­se es­pe­rar que os paí­ses mem­bros con­cor­dem com um co­mu­ni­ca­do ofi­ci­al so­bre o tra­ta­men­to dos rohingyas.

Des­de agos­to, a ONU es­ti­ma que mais de 370 mil pes­so­as te­nham fu­gi­do de Mi­anO mar pa­ra Ban­gla­desh. Mui­tos dos re­cém-che­ga­dos es­tão se alo­jan­do em es­co­las e em bar­ra­cas im­pro­vi­sa­das.

An­tes da cri­se atu­al, cer­ca de 400 mil rohingyas já mo­ra­vam em dois cam­pos de re­fu­gi­a­dos nas ci­da­des de Ku­tu­pa­long e Na­paya­ra, pró­xi­mas à fron­tei­ra. O go­ver­no ben­ga­li in­for­mou que irá for­ne­cer 810 hec­ta­res de ter­ras pa­ra a ins­ta­la­ção de um no­vo cam­po em Cox’s Ba­zar.

Os rohingyas não têm di­rei­to à ci­da­da­nia bir­ma­ne­sa. Co­mo apá­tri­das, eles não têm aces­so a ser­vi­ços bá­si­cos no país, co­mo edu­ca­ção e saú­de, e são proi­bi­dos de vo­tar.

O pri­mei­ro-mi­nis­tro ben­ga­li, Sheikh Ha­si­na, pro­me­teu aju­da aos re­cém-che­ga­dos e exi­giu que Mi­an­mar “re­ce­ba de vol­ta seus ci­da­dãos”.

A gran­de mai­o­ria dos rohingya em Ban­gla­desh vi­ve em con­di­ções pre­cá­ri­as e não dis­põe de água po­tá­vel, as­sis­tên­cia mé­di­ca e co­mi­da su­fi­ci­en­te.

No ano pas­sa­do, vá­ri­os lau­re­a­dos com o No­bel —Ma­la­la You­saf­zai, Des­mond Tu­tu e 11 ou­tros— as­si­na­ram uma car­ta aber­ta “aler­tan­do so­bre o po­ten­ci­al ge­no­cí­dio” dos rohingyas.

Suu Kyi tem si­do cri­ti­ca­da por não con­de­nar as ope­ra­ções mi­li­ta­res e por ne­gar que ha­ja violência con­tra os rohingyas. Al­guns crí­ti­cos che­ga­ram a pe­dir a re­vo­ga­ção do No­bel, con­ce­di­do em 1991.

Com mai­o­ria bu­dis­ta, Mi­an­mar é mar­ca­do pe­la in­fluên­cia de mon­ges ra­di­cais que de­nun­ci­am os rohingyas, que são mu­çul­ma­nos, co­mo uma ame­a­ça. Per­se­gui­dos no país, eles são vis­tos por mui­tos co­mo imi­gran­tes ile­gais.

Em 2016, Suu Kyi de­fen­deu em seu dis­cur­so na As­sem­bleia Ge­ral da ONU os es­for­ços do go­ver­no pa­ra so­lu­ci­o­nar a cri­se dos rohingyas.

Adi­nan Abi­di/Reu­ters

Ma­ni­fes­tan­tes pro­tes­tam con­tra o ‘as­sas­si­na­to dos rohingyas’ em No­va Dé­li, na Ín­dia

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.