Em­pre­sa diz que to­das as nor­mas fo­ram cum­pri­das

Folha De S.Paulo - - Ciência+saúde -

DE SÃO PAU­LO

Pro­cu­ra­da pe­la re­por­ta­gem, a Gas­tra­ding, em­pre­sa res­pon­sá­vel pe­lo Pro­je­to Ver­de Atlân­ti­co Ener­gi­as res­sal­ta que a ge­ra­ção de ener­gia elé­tri­ca po­de che­gar a 1,7 gi­gawatt e 20 mi­lhões de me­tros cú­bi­cos de gás na­tu­ral podem ser trans­por­ta­dos di­a­ri­a­men­te, “ener­gia su­fi­ci­en­te pa­ra abas­te­cer 1,7 mi­lhão de mo­ra­do­res da re­gião”.

O in­cre­men­to se­ria re­le­van­te pa­ra a ma­triz ener­gé­ti­ca do es­ta­do, que atu­al­men­te pro­duz 8,1 gi­gawatts e que pre­ci­sa im­por­tar de ou­tros es­ta­dos até com­ple­tar os 14,5 gi­gawatts que, em média, são ne­ces­sá­ri­os, in­for­ma a no­ta.

So­bre a fren­te par­la­men­tar con­trá­ria ao em­pre­en­di­men­to, a em­pre­sa afir­ma que es­tão à dis­po­si­ção pa­ra es­cla­re­cer quais­quer dú­vi­das so­bre o pro­je­to e que “em ne­nhum mo­men­to os re­pre­sen­tan­tes da fren­te nos con­vo­ca­ram [pa­ra apre­sen­tá-lo]”.

“O gás na­tu­ral é uma al­ter­na­ti­va a ou­tras ma­tri­zes ener­gé­ti­cas mais po­lui­do­ras, co­mo as tér­mi­cas mo­vi­das a car­vão e óleo”, diz a no­ta.

Em re­la­ção ao inqué­ri­to ins­tau­ra­do pe­lo Mi­nis­té­rio Pú­bli­co Fe­de­ral pa­ra fis­ca­li­zar o pro­ces­so de li­cen­ci­a­men­to am­bi­en­tal, a Gas­tra­ding diz que te­ve sua atu­a­ção au­to­ri­za­da pe­los ór­gãos res­pon­sá­veis e que já re­a­li­zou mais de 70 reu­niões e en­con­tros com en­ti­da­des da so­ci­e­da­de ci­vil, “nos quais a em­pre­sa apre­sen­tou o pro­je­to e ti­rou dú­vi­das da po­pu­la­ção, além das qua­tro au­di­ên­ci­as pú­bli­cas já re­a­li­za­das”. “O es­tu­do de im­pac­to am­bi­en­tal [...] aten­de a to­das as nor­mas e exi­gên­ci­as le­gais em vi­gor.”

A res­pei­to das acu­sa­ções so­bre es­tar des­cum­prin­do o Zo­ne­a­men­to Eco­ló­gi­co e Econô­mi­co, se­gun­do a Gas­tra­ding, o pro­je­to da ter­me­lé­tri­ca “se­gue ri­go­ro­sa­men­te a le­gis­la­ção e es­tá em con­for­mi­da­de com o pla­no di­re­tor do mu­ni­cí­pio de Pe­ruí­be”.

A em­pre­sa tam­bém diz que a im­plan­ta­ção da li­nha de trans­mis­são en­tre Pe­ruí­be e Cu­ba­tão não irá in­ter­fe­rir nas ro­tas dos ani­mais, “pois o pro­je­to con­si­de­ra a ma­nu­ten­ção da ve­ge­ta­ção exis­ten­te en­tre as torres”, as quais con­ta­rão com si­na­li­za­do­res pa­ra aler­tar os ani­mais.

“Além dis­so, o lan­ça­men­to dos ca­bos das li­nhas de trans­mis­são será re­a­li­za­do por dro­nes, téc­ni­ca que evi­ta frag­men­ta­ção des­tes am­bi­en­tes, ou se­ja, é mais mo­der­na e mais sus­ten­tá­vel.” (FTM)

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.