Fe­ri­a­dos no meio de se­ma­na de­vem di­mi­nuir

Folha De S.Paulo - - Mercado Cristina.frias1@grupofolha.com.br -

Um dos acor­dos per­mi­ti­dos pe­la re­cen­te reforma trabalhista é o que pos­si­bi­li­ta tro­car o dia da se­ma­na em que um fe­ri­a­do é usu­fruí­do pe­los tra­ba­lha­do­res, des­de que apro­va­do em con­ven­ção co­le­ti­va e com as em­pre­sas.

Sin­di­ca­tos po­de­rão es­ta­be­le­cer o dia de fol­ga pa­ra se apro­xi­mar do fim de se­ma­na.

As pon­tes de­vem se re­du­zir com is­so —as que se man­ti­ve­rem po­dem ser com­pen­sa­das com ho­ras ex­tra ao lon­go da se­ma­na, diz Cás­sia Pi­zot­ti, do De­ma­rest.

“Es­sa pos­si­bi­li­da­de já exis­tia an­tes da reforma pa­ra al­gu­mas ca­te­go­ri­as, mas ago­ra fi­cou mais sim­ples.”

Es­se é um pon­to em que de­ve ha­ver con­ver­gên­cia en­tre fun­ci­o­ná­ri­os e em­pre­ga­do­res, diz Cle­men­te Ganz Lú­cio, di­re­tor téc­ni­co do Di­e­e­se (de­par­ta­men­to in­ter­sin­di­cal de es­tu­dos so­ci­o­e­conô­mi­cos).

“Há tem­pos de­fen­día­mos que o te­ma po­de­ria es­tar em agen­da de ne­go­ci­a­ção, as par­tes têm ca­pa­ci­da­de de au­tor­re­gu­la­ção pa­ra is­so. Pas­sar as fol­gas pa­ra se­gun­da ou sex­ta se­rá po­si­ti­vo pa­ra a economia e pa­ra as pes­so­as.”

A ten­dên­cia é que a tro­ca de dia vi­re pauta das cen­trais ao lon­go dos anos, e ha­ja har­mo­ni­za­ção na ado­ção das da­tas pa­ra di­fe­ren­tes se­to­res da economia, diz Lú­cio.

Ou­tros te­mas em que de­ve ha­ver acor­do são re­du­ção de ho­rá­rio de al­mo­ço em tro­ca de jor­na­da mais cur­ta e a ado­ção do ban­co de ho­ras anu­al, diz Otavio Pin­to e Sil­va, só­cio do Si­quei­ra Cas­tro.

“A reforma es­ta­be­le­ceu ex­pres­sa­men­te que es­ses te­mas e o do fe­ri­a­do se­jam vá­li­dos.”

Eloi De­chery, CEO da agência di­gi­tal de tu­ris­mo

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.