Far­ma­cêu­ti­cas au­men­tam apor­te em re­mé­di­os com mar­ca

Folha De S.Paulo - - Mercado Cristina.frias1@grupofolha.com.br -

A bus­ca por mar­gens mais ele­va­das tem le­va­do as far­ma­cêu­ti­cas es­pe­ci­a­li­za­das em ge­né­ri­cos a apostar no seg­men­to de pres­cri­ção.

A pa­ra­na­en­se Pra­ti-Do­na­duz­zi, que tem 95% de seu fa­tu­ra­men­to ori­gi­na­do na ven­da de me­di­ca­men­tos sem mar­ca, de­ve­rá en­trar nes­se mer­ca­do no ano que vem, diz o pre­si­den­te, Eder Maf­fis­so­ni.

“Va­mos per­der um pou­co da de­pen­dên­cia dos ge­né­ri­cos. Além de um lan­ça­men­to na área de neu­ro­lo­gia, te­mos mais pa­ten­tes em fa­se de re­gis­tro [na An­vi­sa].”

O la­bo­ra­tó­rio pla­ne­ja in­ves­tir cer­ca de R$ 100 mi­lhões em 2018 —pou­co mais da me­ta­de dis­so de­ve­rá ir pa­ra o de­sen­vol­vi­men­to de novos pro- du­tos, afir­ma Maf­fis­so­ni.

A di­ver­si­fi­ca­ção é uma ten­dên­cia na in­dús­tria, se­gun­do Nel­son Mus­so­li­ni, pre­si­den­te-exe­cu­ti­vo do Sin­dus­far­ma (en­ti­da­de do se­tor).

“É um ca­mi­nho na­tu­ral. O ge­né­ri­co é um ex­ce­len­te ne­gó­cio, mas é pre­ci­so ter su­as pró­pri­as mar­cas, so­bre­tu­do pa­ra ga­nhar ren­ta­bi­li­da­de.”

A EMS tem au­men­ta­do os apor­tes em mo­lé­cu­las mais com­ple­xas, que tra­zem re­cei­ta mais ele­va­da, diz Ri­car­do Mar­ques, di­re­tor da em­pre­sa.

“A mé­dio e lon­go pra­zo, em até cin­co anos, os itens que exi­gem in­ves­ti­men­to mais al­to te­rão um des­ta­que mai­or.”

R$ 10,7 BI­LHÕES

foi o fa­tu­ra­men­to da EMS em 2016, que in­ves­te 6% do mon­tan­te em pes­qui­sa

R$ 954 MI­LHÕES

é a re­cei­ta lí­qui­da pre­vis­ta pa­ra es­te ano da Pra­ti-Do­na­duz­zi

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.