Ra­pi­di­nhas

Guia Astral - - Tá No Site -

Me de­cla­rei e ele veio com es­sa

– E co­mo o ca­ra não pos­ta fo­tos com es­sa tal na­mo­ra­da, vo­cê acha que é tu­do men­ti­ra, Bru­na? Se o ra­paz dis­se a ver­da­de ou não, is­so mos­tra que ele não es­tá a fim de vo­cê, qu­e­ri­da, e ar­ru­mou uma des­cul­pa pra te afastar. Me­lhor de­sen­ca­nar e bo­la pra fren­te! Uma ho­ra ou ou­tra, vo­cê vai en­con­trar e se apai­xo­nar por al­guém que tam­bém te ama.

Gos­ta de mim ou só quer se­xo?

– Se quer sa­ber qual é a des­se ca­ra, Elai­ne, pres­te aten­ção nas ati­tu­des de­le, se ele só te pro­cu­ra pra tran­sar ou se te cha­ma pra sair. A gen­te mos­tra o que sen­te pe­los ges­tos e ati­tu­des.

Mas se ain­da ti­ver dú­vi­da, o jei­to é che­gar ne­le e abrir o jo­go: per­gun­tar se o lan­ce de vo­cês é pra va­ler. É ar­ris­ca­do, mas, pra ter cer­te­za, só as­sim mes­mo.

Ele mu­da de­mais

– Quer di­zer que o ra­paz é um amor quan­do es­tão jun­tos, mas te tra­ta com fri­e­za quan­do es­tá lon­ge, He­loi­se, e is­so te dei­xa per­di­di­nha? Cal­ma, o ge­mi­ni­a­no é as­sim mes­mo, in­cons­tan­te, e es­sas mu­dan­ças de hu­mor são nor­mais – co­mo vo­cê tam­bém é ge­mi­ni­a­na, de­ve­ria até es­tar acos­tu­ma­da. Apro­vei­te, pois a com­bi­na­ção dos sig­nos de vo­cês é um su­ces­so.

Ami­za­de co­lo­ri­da

– Olha, Ke­li­a­ne, co­mo cin­co anos atrás o ca­ra era sol­tei­ro, tu­do bem vo­cês te­rem ti­do uma ami­za­de co­lo­ri­da. Mas ago­ra o jo­go mu­dou e o ho­mem es­tá ca­sa­do. Mes­mo que sin­ta que ain­da ro­la um sen­ti­men­to en­tre vo­cês, in­ves­tir nes­se lan­ce é pro­cu­rar chi­fre em ca­be­ça de ca­va­lo e vo­cê po­de aca­bar se ma­chu­can­do. Tal­vez se­ja me­lhor se afastar e evi­tar en­con­trar com o ra­paz pra não cor­rer o ris­co de en­trar nu­ma en­ras­ca­da, va­leu?

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.