Sim­pa­ti­as pa­ra 2019

19 sim­pa­ti­as es­pe­ci­ais pra vo­cê con­quis­tar tu­do o que de­se­ja no no­vo ano

Guia Astral - - Indice -

Con­si­ga o que de­se­ja no amor, tra­ba­lho, fi­nan­ças, saú­de...

Dei­xar quem ama lou­co por vo­cê

Se­pa­re uma pe­ça ín­ti­ma bran­ca (po­de ser uma cal­ci­nha), que nun­ca te­nha si­do usa­da, e co­le ne­la um pa­pel bran­co com o no­me com­ple­to do seu pa­que­ra es­cri­to. Vis­ta es­sa pe­ça se­te mi­nu­tos por dia, du­ran­te uma se­ma­na. De­pois, re­ti­re o pa­pel e jo­gue no li­xo. La­ve e use a pe­ça usa­da nor­mal­men­te após o ri­tu­al.

Ter di­nhei­ro o ano to­do

Co­lo­que se­te mo­e­das de pe­que­no va­lor den­tro de um sa­qui­nho bran­co e pin­gue du­as go­tas de per­fu­me de la­van­da. De­pois dis­tri­bua as mo­e­das nos can­tos da sua ca­sa, fa­zen­do o si­nal da cruz. Re­co­lha as mo­e­das no dia se­guin­te e use-as nor­mal­men­te. Jo­gue o sa­qui­nho fo­ra.

Man­ter a saú­de em or­dem

To­dos os di­as, ao se le­van­tar, to­me um co­po de água. Em se­gui­da, re­ci­te o Sal­mo 31, pe­din­do a San­ta Ri­ta de Cás­sia que aben­çoe sua saú­de, tor­nan­do vo­cê uma pes­soa sau­dá­vel e fe­liz.

Fi­car sen­su­al na ca­ma

Fer­va um li­tro de água com as pé­ta­las de du­as ro­sas ver­me­lhas. Es­pe­re es­fri­ar, coe e des­pe­je no seu cor­po, do pes­co­ço pra bai­xo. Jo­gue os res­tos no li­xo.

Fa­mí­lia sem pro­ble­mas fi­nan­cei­ros

Quan­do a fa­mí­lia es­ti­ver em di­fi­cul­da­des fi­nan­cei­ras, co­zi­nhe len­ti­lha e, du­ran­te três di­as, co­mam uma co­lher (so­pa) da len­ti­lha to­dos jun­tos em vol­ta da me­sa, se­gu­ran­do uma mo­e­da nas mãos e re­pe­tin­do: “Di­nhei­ro, di­nhei­ro, di­nhei­ro, ma­ni­fes­te-se aqui e ago­ra”.

Con­se­guir su­ces­so no tra­ba­lho

Num do­min­go, vá até uma igre­ja pa­ra as­sis­tir a uma mis­sa e le­ve com vo­cê um pa­pel do­bra­di­nho, com o seu no­me es­cri­to três ve­zes e a ora­ção Pai-Nos­so ano­ta­da uma vez. Quan­do ter­mi­nar a mis­sa, acen­da uma ve­la bran­ca no lo­cal apro­pri­a­do e dei­xe o pa­pel no al­tar. Saia da igre­ja sem olhar pa­ra trás.

Sor­te em tu­do

En­ter­re du­as mo­e­das de qual­quer va­lor em um va­so de vi­o­le­ta. Dei­xe-o em ci­ma da ge­la­dei­ra da sua ca­sa e, sem­pre que for re­gar a plan­ta, re­ze um Pai-Nos­so. Re­no­ve a ter­ra do va­so to­do ano, jo­gan­do a an­ti­ga no li­xo e re­ti­ran­do as mo­e­das. La­ve-as bem e dê a quem pre­ci­sa, co­lo­can­do ou­tras no lu­gar.

Tra­zer pro­te­ção pa­ra o lar

Em­bru­lhe três ca­be­ças de alho em um pa­no bran­co e amar­re com fi­ta bran­ca. Pen­du­re o

pa­co­te na en­tra­da da sua ca­sa, de pre­fe­rên­cia na pa­re­de aci­ma da por­ta. Dei­xe nes­se lo­cal por se­te di­as. De­pois, en­ter­re o alho num va­so e jo­gue o pa­no e a fi­ta no li­xo.

Afas­tar a po­bre­za

Chu­pe al­gu­mas uvas e pe­gue três se­men­tes. Jo­gue-as num jar­dim ou va­so, en­quan­to diz: “Se­men­te, que for­ta­le­ce e dá vi­da, cres­ça as­sim co­mo o meu di­nhei­ro de­ve cres­cer e ser­vir pa­ra o meu sus­ten­to. Vi­dei­ra, afas­te a po­bre­za. Vi­dei­ra, me­lho­re a mi­nha vi­da”. Saia do lu­gar sem olhar pra trás.

Man­ter o se­xo sem­pre ar­den­te

Em um do­min­go, cor­te uma pi­men­ta-ma­la­gue­ta ao meio e co­lo­que um pa­pel­zi­nho com o no­me do seu par­cei­ro es­cri­to den­tro de­la. En­ter­re num va­so de bar­ro, pe­din­do que os mo­men­tos ín­ti­mos se tor­nem mais ar­den­tes e que vo­cê te­nha mais pra­zer na ca­ma com o ama­do.

Aca­bar com as dí­vi­das

Acen­da uma ve­la bran­ca num pi­res e co­lo­que uma mo­e­da de bai­xo va­lor ao la­do. Re­ze uma Sal­ve-Rai­nha, pe­din­do o que de­se­ja a San­ta Edwi­ges. Quan­do a ve­la ter­mi­nar de quei­mar, em­bru­lhe a mo­e­da e o que res­tou da ve­la num pe­da­ço de pa­no bran­co. La­ve e uti­li­ze o pi­res nor­mal­men­te. Car­re­gue o pa­co­ti­nho sem­pre com vo­cê, na bol­sa ou car­tei­ra.

Con­ti­nu­ar no em­pre­go

Em um pa­pel ro­xo, es­cre­va se­te ve­zes a fra­se: “Pe­ço ao meu anjo da guar­da que me aju­de a ga­ran­tir o em­pre­go”. No mes­mo pa­pel, em­bru­lhe um ga­lho de ar­ru­da* e três den­tes de alho. Dei­xe es­se em­bru­lho em sua ga­ve­ta por um mês. Jo­gue tu­do no li­xo e re­pi­ta o ri­tu­al to­dos os anos, de pre­fe­rên­cia no mes­mo dia.

Ter ener­gia o ano in­tei­ro

Com­pre um me­tro de fi­ta ama­re­la e um ma­ço de ve­las ama­re­las. Em sua ca­sa, pas­se a fi­ta pe­lo seu cor­po, en­quan­to diz ao seu anjo da guar­da: “Meu que­ri­do anjo da guar­da, per­mi­ta-me ter mui­ta saú­de e ener­gia em to­da a mi­nha vi­da”. Acen­da uma ve­la por dia, so­bre um pi­res, até aca­bar o ma­ço. Dei­xe a fi­ta em uma ga­ve­ta de rou­pas em que só vo­cê me­xa pe­lo tem­po que qui­ser. La­ve e use o pi­res nor­mal­men­te no fim.

Ar­ru­mar ser­vi­ço

Co­lo­que dois in­cen­sos de ben­joim em meio co­po de ar­roz cru e acen­da-os. Quan­do ter­mi­nar de quei­mar, fa­ça uma cruz com as cin­zas em sua tes­ta e re­ze du­as Ave-Ma­ri­as, agra­de­cen­do a São Jo­sé Ope­rá­rio. Lim­pe seu ros­to, jo­gue o ar­roz no li­xo, la­ve e use o co­po nor­mal­men­te.

Au­men­tar a sen­su­a­li­da­de

Mo­lhe um chu­ma­ço de al­go­dão em per­fu­me de la­van­da e en­ro­le em um pe­da­ço de pa­no ver­de. Gu­ar­de nu­ma ga­ve­ta de rou­pas ín­ti­mas e fa­ça uma ora­ção ao seu anjo da guar­da. As­sim que per­der o chei­ro, jo­gue o al­go­dão e o pa­no no li­xo.

Sor­te com di­nhei­ro o ano to­do

Com­pre um pin­gen­te de tre­vo-de-qua­tro-fo­lhas (de qual­quer ma­te­ri­al) e ben­za-o com água ben­ta. Re­ze uma Ave-Ma­ria e um Pai-Nos­so. Car­re­gue o pin­gen­te com vo­cê, na bol­sa ou car­tei­ra, pre­fe­ren­ci­al­men­te du­ran­te o ano to­do e sem dei­xar que o ve­jam.

Con­se­guir pro­mo­ção

To­da se­gun­da-fei­ra, quan­do es­ti­ver in­do pa­ra o seu tra­ba­lho, vá até uma igre­ja que te­nha es­ca­da­ria e su­ba se­te de­graus. A ca­da um que pi­sar, pen­se na pro­mo­ção que de­se­ja. Re­pi­ta es­te ri­tu­al du­ran­te se­te se­ma­nas se­gui­das. No úl­ti­mo dia, re­ze se­te Pais-Nos­sos e agra­de­ça pe­la gra­ça que po­de­rá re­ce­ber.

Ter uma vi­da de sor­te

De­se­nhe um sol e, no cen­tro de­le, es­cre­va tu­do o que de­se­ja. Do­bre o pa­pel e gu­ar­de nu­ma ga­ve­ta. Ao me­nos uma vez por dia, olhe pa­ra o pa­pel e men­ta­li­ze que os de­se­jos ano­ta­dos po­dem se re­a­li­zar quan­do vo­cê me­nos es­pe­rar. Só jo­gue o pa­pel no li­xo quan­do con­se­guir tu­do o que ano­tou ne­le.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.