TEN­DÊN­CI­AS PA­RA BA­NHEI­ROS

IDEIAS E PRO­DU­TOS QUE PO­DEM SER USADOS NA HO­TE­LA­RIA

Hotelnews Magazine - - ESTILO - POR LORENA AMAZONAS

Ao ho•pe­da”-•e em um ho­tel, o cli­en­te e•pe”a te” uma ex­pe”i²ncia con­fo”tá­vel e ag”adá­vel em to­do• o• •en­ti­do•. Uma boa ca­ma pa”a uma be­la noi­te de •ono, en­xo­val ma­cio, tu­do cont”ibui pa”a atin­gi” e••e ob­je­ti­vo. E o ba­nhei”o não po­de •e” dei­xa­do de la­do. Pa”a ga”an­ti” um am­bi­en­te fun­ci­o­nal e in­te”e••an­te, há p”odu­to• di•po­ní­vei• no• •eg­men­to• de ”eve•ti­men­to•, lou­ça• e me­tai• “ue po­dem aju­da” a cump”i” e••a fun­ção. Com mai• de dez ano• de ex­pe”i²ncia no me”ca­do, a de•ig­ne” Me­li­na Ro­ma­no ac”edi­ta “ue, atu­al­men­te, a g”an­de tend²ncia é uti­li­za” ma­te”iai• “ue ofe”eçam con­cei­to e mo­de”ni­da­de, ma• “ue t”agam, aci­ma de tu­do, uma fa­ci­li­da­de pa­ra o ho­tel.

A de•ig­ne” foi ”e•pon•ável pe­la t”opi­ca­li­za­ção do yoo2 Rio de Ja­nei”o, p”imei”o emp”een­di­men­to da ban­dei”a no mun­do, c”ia­da pe­lo e•c”itó”io lond”ino de de•ign YOO Stu­dio. Bu•can­do alia” mo­de”ni­da­de e p”ati­ci­da­de, Me­li­na uti­li­zou ci­men­to “uei­ma­do na• pa”ede• do• ba­nhei”o• do• apa”ta­men­to• do ho­tel. “A pa”ede com ci­men­to “uei­ma­do não tem ”ejun­te• e ap”e•en­ta uma tex­tu”a uni­fo”me. T”az uma mo­de”ni­da­de pa”a o lo­cal e é fá­cil de lim­pa””, afi”ma.

Out”a van­ta­gem de••e ma­te”ial é po­de” apli­cá-lo em ci­ma de out”o ”eve•ti­men­to, o “ue po­de fa­ci­li­ta” na ho”a de um ”et”ofit, po” exem­plo. Ele tam­bém é du”ável e, no ca•o, do• ba­nhei”o•, é in­te”e••an­te dei­xá-lo im­pe”me­a­bi­li­za­do.

Po”ém, o ci­men­to “uei­ma­do é uma tex­tu”a “ue não acei­ta ”eto“ue•. Ca•o •eja ne­ce••á”io ”ea­li­za” al­gum ”epa”o na pa”ede, ela p”eci•a •e” in­tei”a ”efei­ta. Além di••o, o p”eço é um pou­co ele­va­do.

Ou­tros re­ves­ti­men­tos

O lad”ilho hid”áu­li­co tem uma hi•tó”ia an­ti­ga, “ue ”emon­ta do •écu­lo XIX, ma• ago”a e•tá cain­do no go•to do pú­bli­co no­va­men­te. Ele ofe”ece uma •é”ie de co”e• e mo­de­los, e aí ca­be ao ho­tel usar a cri­a­ti­vi­da­de pa­ra fa­ze” com­bi­na­çõe• e di•pô-lo• da fo”ma mai• in­te”e••an­te po••ível. Além di••o, há a po••ibi­li­da­de de cu•to­mi­zá-lo•. O ide­al é uti­li­zá-lo ape­na• em al­gu­ma• pa”te• do e•pa­ço, co­mo em uma pa­re­de, con­fe­rin­do um char­me a mais ao am­bi­en­te.

Po” •e” a”te•anal, uma pe­ça não é igual a out”a e, po” i••o, é ne­ce••á”io te” mui­to cui­da­do na in•ta­la­ção. “O met”o “uad”ado do lad”ilho não é tão ca”o. O “ue ag”ava mai• é a in•ta­la­ção, “ue é fei­ta po” mão de ob”a e•pe­ci­a­li­za­da. Fi­ca mai• ba”ato •e uti­li­za” ape­na• em á”ea• co­mun•”, afi”ma Me­li­na. Out”a op­ção de ”eve•ti­men­to •ão o• pa­péi• de pa”ede vi­ní­li­co• ou o• vi­ni­li­za­do•. O• p”imei”o• •ão fei­to• de vi­nil e, o• out”o•, •ão pa­péi• de pa”ede t”adi­ci­o­nai• t”ata­dos com vi­nil por ci­ma, o que os tor­na mais re­sis­ten­tes à umi­da­de. De•ta fo”ma, é po••ível lim­pá-lo• com pa­no úmi­do – ma• nun­ca jo­gan­do bal­de• de água em ci­ma. Ele• ap”e•en­tam bom cu•to be­ne­fí­cio e •ão de fá­cil in•ta­la­ção.

“E••e• ma­te”iai• dei­xam o ba­nhei”o mai• bo­ni­to e o am­bi­en­te maio”. Ma• é ne­ce••á”io to­ma” cui­da­do pa”a “ue não •ejam co­lo­ca­do• em á”ea• do ba­nhei”o com água co””en­te, e •im •emp”e na á”ea •eca”, acon•elha o a”“ui­te­to Ser­gio de Oli­vei­ra.

Pla­ca• de fó”mi­ca tam­bém po­dem •e” uti­li­za­da• co­mo ”eve•ti­men­to em ba­nhei”o• de ho­téi•. Exi•tem di­ver­sas co­res, que imi­tam tex­tu­ras, co­mo a ma­dei­ra, por exem­plo. A“ui tam­bém ent”a a c”ia­ti­vi­da­de: dá pa”a mi•tu­rar co­res e mo­de­los e cri­ar um vi­su­al di­fe­ren­te. Me­tais

Uma tend²ncia na á”ea de me­tai• •ão o• ”alo• li­nea”e•. Ele• ocu­pam to­da a ex­ten•ão do box até a pa”ede e fi­cam em uma po­si­ção na qual o hós­pe­de não pi­sa em ci­ma de­le ao to­mar ba­nho. “É uma so­lu­ção su­per bo­ni­ta, dei­xa o ba­nhei­ro mais cle­an. A gen­te sem­pre ten­ta ti­rar o ra­lo de­bai­xo do pé do hó•pe­de e e••e mo­de­lo cump”e e••a fun­ção”, ex­pli­ca a a”“ui­te­ta Mo­e­ma We”thei­me”.

Po”ém, a p”ofi••io­nal afi”ma “ue é mai• fá­cil co­lo­ca” e••e p”odu­to em ho­téi• “ue e•tão em con•t”ução. Ca•o cont”á”io, é ne­ce••á”io ve”ifi­ca” •e a• in•ta­la­çõe• hid”áu­li­cas são com­pa­tí­veis com es­se ti­po de ra­lo.

Que tal in­ve•ti” em um •eca­do” de to­a­lha•? Mai• co­mum no ex­te”io”, e•te e“ui­pa­men­to é uma •e”pen­ti­na “ue

•e”ve pa”a dei­xa” a• to­a­lha• “uen­te• e tam­bém •ecá-la• apó• o u•o. Lo­ca­li­za­do em São Pau­lo, o Ho­tel Uni“ue ade”iu à •olu­ção de•de •ua inau­gu”ação, em 2002, e to­do• o• seus apar­ta­men­tos con­tam com o pro­du­to.

Se­gun­do Se”gio de Oli­vei”a, o •eca­do” de to­a­lha• é ain­da mai• in­te”e••an­te •e o emp”een­di­men­to uti­li­za” fon­te• de ene”gia ”eno­vá­vel, poi•, de•ta fo”ma, eco­no­mi­za água ao p”eci•a” la­va” a• to­a­lha• me­no• ve­ze•, e tam­bém ener­gia.

Out”o exem­plo de “ue dá pa”a ofe”ece” con­fo”to e •e” •u•ten­tá­vel •ão o• a”eja­do”e• na• to”nei”a• e chu­vei”o•. Ele• •ão uma pe“ue­na pe­ça “ue int”oduz bo­lha• de a” na água, aju­dan­do a eco­no­mi­za” o ”ecu”•o na­tu”al, ma• pa••an­do a •en•ação de um ba­nho fa”to. “A água e•tá fi­can­do ca”a e é p”eci•o ”aci­o­ná-la”, diz Mo­e­ma. “Exi•tem p”odu­to• de vá”io• ti­po•, de•de econô­mi­co• até com ma••age­a­do­res”, com­ple­ta.

Pa”a Mo­e­ma, a• ba””a• de •egu”an­ça no chu­vei”o de­ve­ri­am ser ins­ta­la­das em to­dos os ba­nhei­ros, não ape

na• no• adap­ta­do• pa”a de­fi­ci­en­te• fí•ico•. “Me•mo “ue o hó•pe­de não •eja de­fi­ci­en­te ele po­de uti­li­za” e••e• e“ui­pa­men­to•. Pa”a ido•o• é ba•tan­te útil”, diz.

Lou­ças

As pi­as com ban­ca­das li­sas e pou­cas emen­das são re­co­men­da­da• pa”a ho­téi•, poi• acu­mu­lam me­no• fun­go•. “Há p”odu­to• “ue jun­tam a pia à cu­ba em uma pe­ça úni­ca. Is­so di­mi­nuiu o ris­co de pro­li­fe­rar fun­gos nas emen­das”, in­di­ca Mo­e­ma. Pa”a a a”“ui­te­ta, a ba­nhei”a é um item “ue e•tá cain­do em de•u•o. “Ho­je em dia eu ve­jo mui­to ho­tel “ue e•tá fa­zen­do ”et”ofit ti”a” a ba­nhei”a e fa­ze” um box maio””, afi”ma. Se­gun­do Mo­e­ma, um do• mo­ti­vo• pa”a a e•co­lha é “ue e••e• p”odu­to• de­mo”am mai• tem­po pa”a •e”em hi­gi­e­ni­za­do• e tam­bém po­dem ofe”ece” o ”i•co do hós­pe­de es­cor­re­gar e so­frer um aci­den­te. Se­guin­do e••a tend²ncia, o Qu­a­lity Sui­te• O•ca” F”ei”e, lo­ca­li­za­do em São Pau­lo, ap”ovei­tou a ”efo”ma do em­pre­en­di­men­to pa­ra re­ti­rar as ba­nhei­ras de seus apar­ta­men­to•. De aco”do com a ge”en­te ge”al, Le­and”a An­tão, ho­je em dia o• hó•pe­de• não fa­zem mai• “ue•tão de te” es­se equi­pa­men­to no qu­ar­to.

Po”ém, a de­ci•ão de ”eti”a” a ba­nhei”a vai de aco”do com o pe”fil do ho­tel. Emp”een­di­men­to• “ue •ão mui­to p”ocu”ado• pa”a noi­te de núp­cia• po­dem man­te” pe­lo me­no• al­gun• “ua”to• com e••e e“ui­pa­men­to. “Ho­téi• “ue ”ece­bem mui­to• hó•pe­de• o”ien­tai• tam­bém p”eci•am ter, pe­lo me­nos, uma par­ce­la dos quar­tos com ba­nhei­ra. É al­go cul­tu­ral, eles gos­tam de to­mar ba­nho des­ta for­ma”, afi”ma Mo­e­ma.

No yoo2 Rio de Ja­nei­ro, os ba­nhei­ros dos quar­tos fo­ram re­ves­ti­dos com ci­men­to quei­ma­do

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.