Não fa­ça es­sa ca­chor­ra­da!

Meiahora - RJ - - SAÚDE -

Vo­cê já de­ve ter pas­sa­do por al­gum lu­gar do Rio de Ja­nei­ro e ao olhar pa­ra ci­ma vis­to um ma­fuá de fi­os de ar­re­pi­ar os ca­be­los. Fa­la sé­rio! Cer­tos pos­tes da ci­da­de es­tão com mais ‘ga­tos’ do que a Sui­pa! Quem faz es­sa ca­na­lhi­ce se achan­do o es­per­ta­lhão do pe­da­ço, é bom fi­car li­ga­do! Além de se­rem cri­mi­no­sas e dei­xa­rem a rua on­de vo­cê mo­ra uma por­ca­ria só, es­sas li­ga­ções clan­des­ti­nas aca­bam pre­ju­di­can­do a sua vi­da e a de seus vi­zi­nhos, já que au­men­tam o ris­co de in­cên­di­os e po­dem es­tra­gar to­dos os seus ele­tro­do­més­ti­cos.

Além de tu­do, quem faz ‘ga­to’ cor­re o sé­rio ris­co de to­mar um cho­que e fi­car mais fri­to do que pei­xe na fri­gi­dei­ra! E aí eu te fa­ço aque­la ve­lha per­gun­ta: va­le a pe­na se ar­ris­car por tão pou­co? É cla­ro que não!

Ló­gi­co que es­sa bron­ca re­cai tam­bém so­bre o po­der pú­bli­co, que não faz a fis­ca­li­za­ção cor­re­ta e dei­xa a ga­tai­a­da cor­rer li­vre, le­ve e sol­ta, e na em­pre­sa res­pon­sá­vel que não faz a ma­nu­ten­ção de­vi­da. Re­sul­ta­do: quem é ho­nes­to e faz a coi­sa cer­ta é o mai­or pre­ju­di­ca­do. Ah, ou­tra coi­sa: pen­sa que é só em fa­ve­la que os ‘ga­tos’ ocor­rem? Pen­sou er­ra­do! Tem mui­to ri­qui­nho que se acha a úl­ti­ma bo­la­cha do pa­co­te ado­tan­do um bi­cha­no pa­ra mo­rar em sua cai­xa de ener­gia. Mas eu dei­xo o pa­po re­to aqui: não im­por­ta a clas­se so­ci­al, a Light es­tá fu­çan­do igual leão fa­min­to e se pe­gar, as coi­sas vão fi­car fei­as pa­ra vo­cê!

Co­mo já dis­se, a prá­ti­ca con­fi­gu­ra cri­me pre­vis­to no ar­ti­go 155 do Có­di­go Pe­nal e po­de ren­der até qua­tro anos de ca­na bra­ba, além de mul­ta! Se vo­cê per­ce­ber al­guém dan­do mo­le pra Ko­jak por aí fa­zen­do ga­to, en­tre no si­te ri­o­sem­ga­to­de­luz.com.br e de­nun­cie. É me­lhor pa­ra to­dos!

E tá fa­la­do!

DIVULGAÇÃO

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.