LI­BE­RA­ÇÃO DO PIS VAI RE­FOR­ÇAR O NA­TAL

O Dia - - ECONOMIA | SERVIDOR - ■ e-mail: gbra­ga@ib­me­crj.br

■ O go­ver­no vai an­te­ci­par o PIS/Pa­sep e injetar cer­ca de R$ 16 bi­lhões na eco­no­mia do país. A me­di­da mu­da as re­gras de sa­que por meio de uma me­di­da pro­vi­só­ria que re­duz a ida­de mí­ni­ma do tra­ba­lha­dor com di­rei­to ao be­ne­fí­cio de 70 anos pa­ra 65 anos, no ca­so dos ho­mens, e pa­ra as mu­lhe­res, com a re­du­ção vai pa­ra 62 anos. O va­lor médio por be­ne­fi­ciá­rio de­ve ser em tor­no de R$ 1,2 mil.

En­tre­tan­to, é pre­ci­so lem­brar que o PIS/Pa­sep te­ve du­as re­gras ao lon­go dos úl­ti­mos anos, o que po­de­rá in­ter­fe­rir no va­lor do sa­que de ca­da tra­ba­lha­dor e ser­vi­dor. A pri­mei­ra sis­te­má­ti­ca al­can­ça so­men­te os par­ti­ci­pan­tes ca­das­tra­dos até a Cons­ti­tui­ção Fe­de­ral de 1988. As con­tas eram in­di­vi­du­a­li­za­das e re­ce­bi­am de­pó­si­tos que vin­cu­la­vam o di­rei­to ao pro­gra­ma a um de­ter­mi­na­do tra­ba­lha­dor que es­tá ca­das­tra­do.

Após a edi­ção das no­vas re­gras em 4 de outubro de 1988, o va­lor pa­go pe­las em­pre­sas à tí­tu­lo de con­tri­bui­ção pas­sou a não mais ser in­di­vi­du­a­li­za­do, cain­do nu­ma es­pé­cie de con­ta co­le­ti­va. Atu­al­men­te, os re­cur­sos re­ce­bi­dos a tí­tu­lo de PIS/Pa­sep são di­vi­di­dos em 2/5 (40%) pa­ra o BNDES usar em su­as fun­ções e 3/5 (60%) vão pa­ra o Fun­do de Amparo ao Tra­ba­lha­dor (FAT). Os re­cur­sos são os que cus­tei­am o abo­no anu­al do PIS/Pa­sep (que qual­quer tra­ba­lha­dor tem di­rei­to, des­de que te­nha cin­co anos de car­tei­ra as­si­na­da), o sa­lá­rio de­sem­pre­go e também cur­sos de ca­pa­ci­ta­ção pro­fis­si­o­nal.

As­sim, de­pen­den­do do mo­men­to em que o tra­ba­lha­dor foi ca­das­tra­do no PIS, ele po­de­rá ter di­rei­to a sa­car o va­lor de­po­si­ta­do na con­ta in­di­vi­du­al e mais os abo­nos anu­ais ou so­men­te os abo­nos. Pa­ra quem já re­ce­beu os abo­nos re­gu­lar­men­te há os ju­ros a se­rem pa­gos. Em re­su­mo, todos aque­les que se en­qua­dram co­mo be­ne­fi­ciá­ri­os te­rão al­gum va­lor pa­ra re­ce­ber.

Se for o seu ca­so, fi­ca de olho no ca­len­dá­rio de pa­ga­men­to: (1) 19 de outubro: pa­ra quem mais de 70 anos; (2) 17 de no­vem­bro: apo­sen­ta­dos; e (3) 14 de dezembro: todos os de­mais be­ne­fi­ci­a­dos. To­do mun­do vai re­ce­ber an­tes do Na­tal de 2017, que pro­me­te ser mais ani­ma­do do que no ano pas­sa­do.

A li­be­ra­ção do PIS/Pa­sep se en­qua­dra no es­for­ço de cri­a­ção de uma agen­da po­si­ti­va do go­ver­no pa­ra ten­tar mu­dar a ava­li­a­ção do Go­ver­no Te­mer, que co­mo di­vul­ga­do, es­tá so­men­te com 3% de apro­va­ção. Con­si­de­ran­do a mar­gem de er­ro, po­de­ria se di­zer que a ava­li­a­ção po­de cair até 1%. En­tre­tan­to, na eco­no­mia, aos

O va­lor médio pa­go por be­ne­fi­ciá­rio do pro­gra­ma do PIS/ Pa­sep de­ve ficar em tor­no de R$ 1,2 mil

A li­be­ra­ção é es­for­ço de cri­ar agen­da po­si­ti­va pa­ra mu­dar a pés­si­ma ava­li­a­ção do Go­ver­no Te­mer

tran­cos e bar­ran­cos, a atu­al ges­tão co­me­ça a co­lher al­guns re­sul­ta­dos po­si­ti­vos, co­mo a qu­e­da do de­sem­pre­go, dos ju­ros e da in­fla­ção.

Pro­fes­sor de Fi­nan­ças do Ib­mec e da Fun­da­ção Dom Ca­bral.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.