De­pu­ta­dos per­dem po­li­ci­ais mi­li­ta­res de sua se­gu­ran­ça

Agen­tes de­ve­rão se apre­sen­tar a se­cre­ta­ria e atu­ar na rua

O Dia - - JUSTIÇA E CIDADANIA - NADEDJA CALADO nadedja.calado@odia.com.br

Vá­ri­os de­pu­ta­dos es­ta­du­ais fo­ram atin­gi­dos pe­la de­ter­mi­na­ção da Se­cre­ta­ria de Se­gu­ran­ça de con­vo­car 87 po­li­ci­ais mi­li­ta­res até en­tão ce­di­dos à Alerj.

A pu­bli­ca­ção no Diá­rio Ofi­ci­al diz que a me­di­da é ne­ces­sá­ria por cau­sa da ina­dim­plên­cia da Ca­sa Le­gis­la­ti­va no pa­ga­men­to dos agen­tes. Já a Alerj afir­ma que, por con­ta da cri­se econô­mi­ca, o Es­ta­do de­ve R$ 378 mi­lhões em ver­ba de pes­so­al, e que por is­so de­ve ser fei­to um en­con­tro de con­tas. A as­ses­so­ria do de­pu­ta­do An­dré Ce­ci­li­a­no (PT), pre­si­den­te in­te­ri­no da Alerj, in­for­mou que ele se reu­ni­ria com re­pre­sen­tan­tes da Se­cre­ta­ria de Es­ta­do de Fa­zen­da pa­ra dis­cu­tir a ques­tão.

O de­pu­ta­do es­ta­du­al Mar­ce­lo Frei­xo foi um dos par­la­men­ta­res afe­ta­dos com a me­di­da, per­den­do qua­tro po­li­ci­ais de sua es­col­ta. “Te­nho cer­te­za de que o bom sen­so vai pre­va­le­cer. Com es­se epi­só­dio da Ma­ri­el­le, não res­tam dú­vi­das de que a es­col­ta é ne­ces­sá­ria”, dis­se o de­pu­ta­do que pre­si­diu a CPI das Mi­lí­ci­as. Ele tam­bém é es­col­ta­do por agen­tes de ou­tras for­ças de se­gu­ran­ça.

A tam­bém de­pu­ta­da e vi­ce -pre­si­den­te da CPI das Mi­lí­ci­as, Ci­di­nha Cam­pos (PDT) tam­bém la­men­tou a de­ter­mi­na­ção. “Não ana­li­sa­ram a ne­ces­si­da­de de ca­da de­pu­ta­do. Ti­ve en­fren­ta­men­tos com mi­li­ci­a­nos, in­clu­si­ve com um es­pe­cí­fi­co, que an­da for­te­men­te ar­ma­do no Rio, e não le­va­ram is­so em con­si­de­ra­ção”, afir­mou.

O de­pu­ta­do An­dré La­za­ro­ni (PMDB) foi ou­tro afe­ta­do pe­la de­ci­são — a as­ses­so­ria do par­la­men­tar dis­se que o po­li­ci­al lo­ta­do no ga­bi­ne­te atu­a­va não só na se­gu­ran­ça, mas tam­bém como con­sul­tor em pro­je­tos de Se­gu­ran­ça Pú­bli­ca.

O de­pu­ta­do Pau­lo Ra­mos (PDT) per­deu o úni­co po­li­ci­al mi­li­tar lo­ta­do em seu ga­bi­ne­te. “Não hou­ve es­tu­do nem ne­nhum cri­té­rio. Não se­ria mais pro­fis­si­o­nal ter es­tu­da­do os ca­sos, mes­mo que ra­pi­da­men­te, ao in­vés de to­mar es­sa de­ci­são de for­ma ale­a­tó­ria?” ques­ti­o­nou.

De acor­do com a Se­cre­ta­ria de Se­gu­ran­ça, a de­vo­lu­ção de­ve ser fei­ta em 72 ho­ras após dois me­ses de ina­dim­plên­cia no pa­ga­men­to dos sa­lá­ri­os dos ser­vi­do­res ce­di­dos. Foi com ba­se nes­sa le­gis­la­ção que o se­cre­tá­rio Ri­chard Nu­nes pe­diu a vol­ta de 87 dos 146 po­li­ci­ais que atu­am na Alerj.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.