Vi­o­lên­cia pau­ta cam­pa­nha

Had­dad fa­la em ‘on­da de vi­o­lên­cia e in­to­le­rân­cia’ na es­treia da pro­pa­gan­da na TV

O Dia - - POLÍTICA E PAÍS -

No pri­mei­ro pro­gra­ma do ho­rá­rio elei­to­ral gra­tui­to no se­gun­do tur­no, exi­bi­do on­tem, a cam­pa­nha de Fer­nan­do Had­dad (PT) ex­plo­rou os re­cen­tes epi­só­di­os de vi­o­lên­cia mo­ti­va­dos por di­ver­gên­cia po­lí­ti­ca. Se­gun­do o pro­gra­ma, apoi­a­do­res de Jair Bol­so­na­ro re­a­li­za­ram nos úl­ti­mos di­as pe­lo me­nos 50 agres­sões por “mo­ti­vos fú­teis” con­tra pes­so­as que de­cla­ram não vo­tar no can­di­da­to do PSL.

A cam­pa­nha do pe­tis­ta de­fen­deu que a de­mo­cra­cia es­tá em ris­co com a pos­si­bi­li­da­de de elei­ção de Bol­so­na­ro. O pro­gra­ma afir­mou que, em vez de um de­ba­te de pro­pos­tas, a cam­pa­nha foi trans­for­ma­da em uma “on­da de vi­o­lên­cia e in­to­le­rân­cia”.

Had­dad fa­lou em de­fe­sa da pre­ser­va­ção de di­rei­tos e de co­mo en­fren­tar o de­sa­fio da ge­ra­ção de em­pre­gos e ga­ran­tia de co­mi­da na me­sa. O can­di­da­to propôes a cri­a­ção do pro­gra­ma “Meu em­pre­go de no­vo” pa­ra es­ti­mu­lar con­tra­ta­ções a par­tir da re­to­ma­da de obras pú­bli­cas pa­ra­das. O can­di­da­to apon­ta que é me­lhor o po­vo com um li­vro não mão do que com ar­mas.

Em ou­tro pon­to, o pro­gra­ma tam­bém des­ta­cou o cur­rí­cu­lo do pe­tis­ta, que é dou­tor em fi­lo­so­fia, mes­tre em eco­no­mia e pro­fes­sor uni­ver­si­tá­rio, re­cor­dan­do su­as re­a­li­za­ções co­mo mi­nis­tro da Edu­ca­ção. O ex-pre­si­den­te Lu­la apa­re­ceu, em bre­ve pas­sa­gem, elo­gi­an­do Had­dad.

DI­VUL­GA­ÇÃO/RIRCARDO STUCKERT

Had­dad, com a es­po­sa, em igre­ja no Jar­dim Ân­ge­la, em São Pau­lo

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.