Te­o­ri vê in­dí­cio de com­pra de vo­to por as­ses­sor de Col­lor

O Estado de São Paulo - - Política -

O re­la­tor da Lava Jato no Su­pre­mo Tri­bu­nal Fe­de­ral, mi­nis­tro Te­o­ri Za­vasc­ki, en­ten­deu ha­ver sus­pei­tas de que um as­ses­sor par­la­men­tar do se­na­dor e ex-pre­si­den­te Fer­nan­do Col­lor de Me­lo (PTC-AL), Cle­ver­ton Me­lo Cos­ta, te­ria com­pra­do vo­tos du­ran­te as eleições. Di­an­te dis­so, o mi­nis­tro de­ter­mi­nou que as sus­pei­tas con­tra ele fos­sem en­ca­mi­nha­das pa­ra a Jus­ti­ça Elei­to­ral de Ala­go­as, on­de se­rão in­ves­ti­ga­das.

Por ir pa­ra Jus­ti­ça Elei­to­ral no Es­ta­do, a in­ves­ti­ga­ção não im­pli­ca Col­lor em ne­nhum cri­me elei­to­ral, pois o se­na­dor só po­de ser jul­ga­do pe­lo TSE. Col­lor já foi de­nun­ci­a­do ao STF sob acu­sa­ção de ter re­ce­bi­do R$ 26 mi­lhões em pro­pi­nas no es­que­ma de cor­rup­ção na Pe­tro­brás.

A de­ci­são aten­de a um pe­di­do do pro­cu­ra­dor-ge­ral da Re­pú­bli­ca, Ro­dri­go Ja­not, após a Po­lí­cia Fe­de­ral en­con­trar na re­si­dên­cia de Cle­ver­ton, em Ala­go­as, um ca­der­no “com ano­ta­ções pos­si­vel­men­te re­fe­ren­tes a com­pra de vo­tos”, se­gun­do o pro­cu­ra­dor-ge­ral.

O ma­te­ri­al, re­sul­ta­do das bus­cas e apre­en­sões re­a­li­za­das na Ope­ra­ção Po­li­teia, des­do­bra­men­to da Lava Jato no Su­pre­mo que mi­rou em Col­lor e ou­tros po­lí­ti­cos com fo­ro pri­vi­le­gi­a­do re­a­li­za­da em ju­lho do ano pas­sa­do.

O ma­te­ri­al da bus­ca, con­tu­do, per­ma­ne­ce sob si­gi­lo e não há in­for­ma­ção so­bre em qual elei­ção há sus­pei­ta de com­pra de vo­tos por par­te de Cle­ver­ton. O ma­te­ri­al foi en­ca­mi­nha­do ao Tri­bu­nal Re­gi­o­nal Elei­to­ral de Ala­go­as na se­ma­na pas­sa­da e de­ve se­guir nes­ta se­ma­na pa­ra o car­tó­rio do mu­ni­cí­pio de Ma­re­chal De­o­do­ro, no in­te­ri­or do Es­ta­do.

Ao se de­pa­rar com a do­cu­men­ta­ção, o mi­nis­tro do Su­pre­mo con­cor­dou com a ava­li­a­ção de Ja­not. “Exa­mi­na­da a do­cu­men­ta­ção apre­sen­ta­da, cons­ta­tou-se o pos­sí­vel en­vol­vi­men­to de Cle­ver­ton Me­lo da Cos­ta na prá­ti­ca da con­du­ta des­cri­ta no art. 299 do Có­di­go Elei­to­ral (com­pra de vo­tos)”, as­si­na­lou Te­o­ri na de­ci­são do úl­ti­mo dia 5 de abril.

Co­mis­si­o­na­do. Cle­ver­ton tra­ba­lha des­de 2007 co­mo co­mis­si­o­na­do no ga­bi­ne­te de Col­lor no Se­na­do. Atu­al­men­te ele ocu­pa o car­go de aju­dan­te par­la- men­tar sê­ni­or, com um sa­lá­rio de R$ 3,7 mil. Ele foi de­nun­ci­a­do ao Su­pre­mo em agos­to do ano pas­sa­do jun­to com Col­lor , acu­sa­do de cor­rup­ção e la­va­gem de di­nhei­ro, na Lava Jato.

A de­nún­cia con­tra o se­na­dor ala­go­a­no e sua equi­pe é man­ti­da sob si­gi­lo na Cor­te. As in­ves­ti­ga­ções in­di­cam que Col­lor re­ce­beu R$ 26 mi­lhões em pro­pi­na en­tre 2010 e 2014 por um con­tra­to de tro­ca de ban­dei­ra de pos­tos de com­bus­tí­vel as­si­na­do pe­la BR Dis­tri­bui­do­ra, sub­si­diá­ria da Pe­tro­brás.

A re­por­ta­gem en­ca­mi­nhou email ao ga­bi­ne­te do se­na­dor ques­ti­o­nan­do so­bre o fun­ci­o­ná­rio, mas não ob­te­ve re­tor­no.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.