O Estado de S. Paulo

• Ris­co mí­ni­mo em em­ba­la­gens

Pes­qui­sa da FDA e do go­ver­no ame­ri­ca­no apon­ta que ‘número de par­tí­cu­las de ví­rus’ é in­su­fi­ci­en­te pa­ra in­fec­ção

- Hunger · Food Industry · Healthy Food · Social Issues · Society · Industries · Healthy Living · United States of America · U.S. Food and Drug Administration · United States Department of Agriculture

Pes­qui­sa con­clui ser “mí­ni­ma” a pro­ba­bi­li­da­de de trans­mis­são do ví­rus por ali­men­tos ou em­ba­la­gens.

Pes­qui­sa­do­res dos Es­ta­dos Uni­dos in­di­ca­ram on­tem que é “mí­ni­ma” a pro­ba­bi­li­da­de de trans­mis­são do co­ro­na­ví­rus por ali­men­tos ou por em­ba­la­gens. Em co­mu­ni­ca­do con­jun­to, du­as or­ga­ni­za­ções de pe­so do país, a FDA (Fo­od and Drugs

Ad­mi­nis­tra­ti­on) e o USDA (De­par­ta­men­to de Agri­cul­tu­ra dos Es­ta­dos Uni­dos) di­vul­ga­ram a con­clu­são – uma boa no­tí­cia di­an­te de uma pan­de­mia que já pro­vo­cou qua­se 2,5 mi­lhões de mor­tes no mun­do.

“Os con­su­mi­do­res po­dem ter a tran­qui­li­da­de de que con­ti­nu­a­mos a acre­di­tar, com ba­se em nos­so en­ten­di­men­to das in­for­ma­ções ci­en­tí­fi­cas con­fiá­veis atu­al­men­te dis­po­ní­veis e apoi­a­dos em um con­sen­so ci­en­tí­fi­co in­ter­na­ci­o­nal, que os ali­men­tos con­su­mi­dos e as su­as em­ba­la­gens têm mí­ni­ma pro­ba­bi­li­da­de de es­pa­lhar a SARS­COV-2”, afir­mou a FDA, em co­mu­ni­ca­do da comissária Ja­net Wo­od­cock. O tex­to lem­bra que a co­vid-19 “é uma do­en­ça res­pi­ra­tó­ria trans­mi­ti­da de pes­soa a pes­soa, di­fe­ren­te­men­te dos ví­rus trans­mi­ti­dos por ali­men­tos ou gas­troin­tes­ti­nais, co­mo o no­ro­ví­rus e a he­pa­ti­te A, que cos­tu­mam dei­xar as pes­so­as do­en­tes via ali­men­tos con­ta­mi­na­dos”.

“Da­do que o número de par­tí­cu­las de ví­rus que te­o­ri­ca­men­te po­de­ri­am ser cap­ta­das to­can­do uma su­per­fí­cie se­ria mui­to pe­que­no e a quan­ti­da­de ne­ces­sá­ria pa­ra in­fec­ção por ina­la­ção oral se­ria mui­to al­ta, as chan­ces de in­fec­ção ao to­car a su­per­fí­cie da em­ba­la­gem de ali­men­tos ou co­mer ali­men­tos são con­si­de­ra­das ex­tre­ma­men­te bai­xas”, acres­cen­ta.

Es­sa atu­a­li­za­ção do en­ten­di­men­to é ba­se­a­da em um con­sen­so ci­en­tí­fi­co in­ter­na­ci­o­nal que ga­ran­te que o ris­co de con­ta­mi­na­ção por ali­men­tos ou su­as em­ba­la­gens é ex­tre­ma­men­te bai­xo. “Con­si­de­ran­do os mais de 100 mi­lhões de ca­sos de co­vid19, não vi­mos evi­dên­ci­as epi­de­mi­o­ló­gi­cas de ali­men­tos ou em­ba­la­gens de ali­men­tos co­mo a fon­te de trans­mis­são da SARS­COV-2 pa­ra hu­ma­nos”, con­clui o do­cu­men­to.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil