NO­RU­E­GA

Qual Viagem - - SUMÁRIO - Por Eli­ria Bu­so

Ape­sar do frio, a No­ru­e­ga é um des­ti­no de mui­tas be­le­zas na­tu­rais e é con­si­de­ra­do o país mais fe­liz do mun­do.

Ape­sar do frio, a No­ru­e­ga é um país de mui­tas be­le­zas na­tu­rais e fe­li­ci­da­de. Con­si­de­ra­do o país mais fe­liz do mun­do, o des­ti­no tem tu­do pa­ra agra­dar os aman­tes da na­tu­re­za. Ali­a­das à sua ri­ca cul­tu­ra e ar­qui­te­tu­ra, as pai­sa­gens no­ru­e­gue­sas es­tão en­tre as mais im­pres­si­o­nan­tes da re­gião nór­di­ca.

Are­gião da Es­can­di­ná­via re­ser­va be­los ce­ná­ri­os e uma at­mos­fe­ra qua­se que má­gi­ca pa­ra os tu­ris­tas que a vi­si­tam pe­la pri­mei­ra vez. As­sim é na No­ru­e­ga, país re­ple­to de ró­tu­los – do ba­ca­lhau aos fi­or­des pas­san­do pe­lo No­bel e os vi­kings – que abri­ga uma na­tu­re­za fas­ci­nan­te e des­ti­nos sur­pre­en­den­tes.

Além de já ser co­nhe­ci­do co­mo o me­lhor IDH do mun­do, re­cen­te­men­te, o país foi con­si­de­ra­do o mais fe­liz. E não é à toa. Mui­tos vão di­zer que a prin­ci­pal cau­sa é sua ri­que­za – ba­se­a­da prin­ci­pal­men­te na pro­du­ção de pe­tró­leo e pes­ca­dos – mas com uma vi­si­ta nas prin­ci­pais ci­da­des no­ru­e­gue­sas vo­cê des­co­bre que o lu­gar, a paz en­con­tra­da e seus ha­bi­tan­tes são o mai­or te­sou­ro lo­cal.

Si­tu­a­do no ex­tre­mo nor­te da Eu­ro­pa, fa­zen­do fron­tei­ra com a Rús­sia, Sué­cia e Fin­lân­dia, o país apre­sen­ta o tí­pi­co cli­ma frio dos paí­ses nór­di­cos. A No­ru­e­ga foi um rei­no vi­king e es­se pas­sa­do ren­de histórias que atra­em tu­ris­tas ate ho­je pa­ra a re­gião. Os vi­kings eram um po­vo ori­gi­ná­rio da Es­can­di­ná­via, que re­a­li­za­vam ex­cur­sões em seus na­vi­os-dra­gão em vá­ri­as re­giões da Eu­ro­pa en­tre os sé­cu­los 9 e 11. Eles tam­bém eram co­nhe­ci­dos co­mo os con­ta­do­res de histórias da Eu­ro­pa. Su­as sa­gas nór­di­cas, in­clu­si­ve, po­dem ser con­fe­ri­das em al­guns mu­seus no­ru­e­gue­ses.

Mas quan­do se fa­la em tu­ris­mo na No­ru­e­ga, o que lo­go vem em men­te são seus inú­me­ros fi­or­des, su­as be­las mon­ta­nhas e al­guns fenô­me­nos na­tu­rais co­mo a au­ro­ra bo­re­al e o sol da meia noi­te. Ce­ná­ri­os co­mo es­ses fa­zem a ca­be­ça dos visitantes e ga­ran­tem mui­tas aven­tu­ras!

Ima­gi­ne des­bra­var um fi­or­de de mais de 1300 me­tros ou cor­rer em ple­na noi­te com a luz do sol! Ago­ra, e se vo­cê cur­te adre­na­li­na e pai­sa­gens de ti­rar o fô­le­go, pre­ci­sa co­nhe­cer a Troll­tun­ga. A lín­gua do Troll, em tra­du­ção li­te­ral, na­da mais é do que um pe­da­ço de ro­cha que se es­ten­de ho­ri­zon­tal­men­te pa­ra fo­ra da mon­ta­nha aci­ma de Sk­jeg­ge­dal em Od­da. Ela é sim­ples­men­te uma das fa­lé­si­as cê­ni­cas mais es­pe­ta­cu­la­res da No­ru­e­ga, si­tu­a­da cer­ca de 1100 me­tros aci­ma do ní­vel do mar, flu­tu­an­do 700 me­tros aci­ma do la­go Rin­ge­dals­vat­net.

As ci­da­des en­tre os fi­or­des fun­ci­o­nam co­mo ba­se pa­ra os tu­ris­tas e tam­bém en­can­tam com seu char­me e atra­ti­vos lo­cais co­mo ar­qui­te­tu­ra e cul­tu­ra.

Que tal co­me­çar um ro­tei­ro pe­la ca­pi­tal?

A No­ru­e­ga pos­sui al­gu­mas das mais be­las pai­sa­gens da re­gião nór­di­ca. São mon­ta­nhas, va­les, fi­or­des e mui­tas ou­tras atra­ções na­tu­rais. A pe­dra Troll­tun­ga, por exem­plo, cha­ma a aten­ção por ser um pe­da­ço de ro­cha que se es­ten­de ho­ri­zon­tal­men­te pa­ra fo­ra da mon­ta­nha aci­ma de Sk­jeg­ge­dal, em Od­da.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.