GAS­TRO­NO­MIA MO­NE­GAS­CA

Qual Viagem - - MÔNACO -

A ideia que te­mos de Mônaco de que tu­do tem cus­tos ele­va­dos cai por ter­ra quan­do o as­sun­to é gas­tro­no­mia. Cla­ro que há res­tau­ran­tes ca­rís­si­mos, po­rém, o prin­ci­pa­do ofe­re­ce op­ções va­ri­a­das, con­tem­plan­do gre­lha­dos e, prin­ci­pal­men­te pei­xes e fru­tos do mar, de­vi­do à sua po­si­ção ge­o­grá­fi­ca. Há, tam­bém, di­ver­sas ou­tras es­pe­ci­a­li­da­des além da cu­li­ná­ria mo­ne­gas­ca, que so­fre in­fluên­cia fran­ce­sa e ita­li­a­na.

En­tre os pra­tos mais fa­mo­sos do des­ti­no es­tão o Sto­ca­fi, um ba­ca­lhau com mo­lho de to­ma­te e es­pe­ci­a­ri­as lo­cais; a Fou­gas­se, um ti­po de mas­sa com amên­do­as e cas­ta­nhas; a Bar­ba­giu­an, uma mas­sa re­che­a­da com ar­roz e abó­bo­ra; e a Soc­ca, uma pan­que­ca sal­ga­da.

O fa­mo­so Guia Mi­che­lin in­di­ca seis res­tau­ran­tes es­tre­la­dos em Mônaco – de co­zi­nhas in­ter­na­ci­o­nais a um ine­vi­tá­vel ja­po­nês. São eles: LE LOUIS XV – ALAIN DUCASSE – Com três es­tre­las Mi­che­lin, fun­ci­o­na há mais de 20 anos den­tro do icô­ni­co Hô­tel de Paris e tem me­nu ins­pi­ra­do nas gas­tro­no­mi­as fran­ce­sa e ita­li­a­na. JOËL RO­BU­CHON MON­TE-CAR­LO – Prin­ci­pal res­tau­ran­te do Ho­tel Me­tro­po­le, é co­man­da­do pe­lo chef Joël Ro­bu­chon, mai­or co­le­ci­o­na­dor de es­tre­las Mi­che­lin do mun­do. De­ten­tor de du­as, o lo­cal ofe­re­ce co­zi­nha me­di­ter­râ­nea so­fis­ti­ca­da e pro­du­tos sa­zo­nais fres­cos. LE VISTAMAR – Res­tau­ran­te do Ho­tel Her­mi­ta­ge – dis­tin­gui­do com uma es­tre­la – tem gas­tro­no­mia re­fi­na­da ba­se­a­da em fru­tos do mar. Um dos mais be­los ter­ra­ços de Mônaco tor­nam a re­fei­ção ain­da mais agra­dá­vel.

LE BLUE BAY – Com uma es­tre­la Mi­che­lin, o res­tau­ran­te con­fir­ma sua ex­ce­lên­cia cu­li­ná­ria ao ser­vir pra­tos ba­se­a­dos nos sa­bo­res me­di­ter­râ­ne­os e da co­zi­nha in­ter­na­ci­o­nal.

ELSA – Tam­bém com uma es­tre­la, a ca­sa co­man­da­da pe­lo chef Pa­o­lo Sa­ri pos­sui um me­nu au­tên­ti­co que pri­vi­le­gia pro­du­tos na­tu­rais em uma co­zi­nha que acom­pa­nha as es­ta­ções do ano.

YOSHI – Ou­tro res­tau­ran­te do Me­tro­po­le, é o pri­mei­ro ja­po­nês do chef Joël Ro­bu­chon. De­ten­tor de uma es­tre­la, ofe­re­ce co­zi­nha mo­der­na e sau­dá­vel. A de­co­ra­ção com­bi­na in­fluên­ci­as ja­po­ne­sas com a ele­gân­cia do ho­tel.

En­tre ou­tras in­te­res­san­tes op­ções es­tão os res­tau­ran­te Maya Bay, es­pe­ci­a­li­za­do nas cu­li­ná­ri­as tai­lan­de­sa e ja­po­ne­sa, e o La Chau­miè­re com uma vis­ta in­crí­vel do prin­ci­pa­do e do Me­di­ter­râ­neo.

Já quem pro­cu­ra op­ções mais econô­mi­cas va­le uma vi­si­ta ao Mer­ca­do de Mônaco, com seus res­tau­ran­tes e ca­fés tra­di­ci­o­nais. Al­guns com pre­ços mais aces­sí­veis ain­da ofe­re­cem uma ta­ça de vi­nho nos al­mo­ços e jan­ta­res. Lá es­tão al­guns es­ta­be­le­ci­men­tos do Mo­na­co Res­tau­rant Group, co­mo o Moz­za, Be­ef­ba e La Sa­liè­re.

Pa­ra fe­char sua vi­si­ta ao des­ti­no, um cli­chê co­mo to­mar um ca­fe­zi­nho po­de ser uma ex­pe­ri­ên­cia char­mo­sa no prin­ci­pa­do. Sen­do as­sim, sen­te-se no fa­mo­so Ca­fé de Paris, fa­ça seu pe­di­do e, tran­qui­la­men­te, ob­ser­ve o vai e vem fre­né­ti­co de Fer­ra­ris, Por­ches, Lam­borghi­nis, Rolls-roy­ces e ou­tros car­rões, as ele­gan­tes ma­da­mes des­fi­lan­do seus so­fis­ti­ca­dos e ca­ros mo­de­li­tos, os play­boys se exi­bin­do e os mui­tos tu­ris­tas fo­to­gra­fan­do tu­do o que ve­em pe­la fren­te. Is­so é Mônaco!

Os jor­na­lis­tas Ro­ber­to Maia e Ca­ro­li­na Maia vi­a­ja­ram a con­vi­te do Tu­ris­mo de Mônaco co­mo prê­mi­os con­quis­ta­dos no Con­cur­so Eu­ro­pa de Jor­na­lis­mo – re­a­li­za­do anu­al­men­te pe­la Co­mis­são Eu­ro­peia de Tu­ris­mo - e con­ta­ram com a pro­te­ção do se­gu­ro-vi­a­gem Glo­bal Tra­vel As­sis­tan­ce – GTA

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.