Whis­tler: a me­lhor ne­ve da America do Nor­te

Des­cu­bra uma sé­rie de atra­ções pa­ra to­das as épo­cas do ano nes­se que é o prin­ci­pal des­ti­no de es­qui do Canadá

Qual Viagem - - CANDA -

Nas mon­ta­nhas cos­tei­ras da pro­vín­cia da Co­lúm­bia Bri­tâ­ni­ca, su­do­es­te do Canadá, sur­ge um ver­da­dei­ro pa­raí­so ne­va­do: Whis­tler. Lo­ca­li­za­do a ape­nas 120 km ao nor­te de Van­cou­ver, es­se re­no­ma­do re­sort de es­qui con­ta com pis­tas em du­as im­po­nen­tes ele­va­ções (Whis­tler e Black­comb) e uma char­mo­sa vi­la al­pi­na. São mais de 3.000 hec­ta­res de área es­quiá­vel, di­ver­sos atra­ti­vos du­ran­te o ano to­do e uma in­fra­es­tru­tu­ra de cair o quei­xo. Is­so sem con­tar a pai­sa­gem, que é es­pe­ta­cu­lar de qual­quer ân­gu­lo.

Pre­mi­a­do in­ter­na­ci­o­nal­men­te, Whis­tler já foi es­co­lhi­do co­mo o me­lhor re­sort de es­qui do mundo pelo jor­nal bri­tâ­ni­co The Te­le­graph e o nú­me­ro um de to­da a Amé­ri­ca do Nor­te pe­la pu­bli­ca­ção es­pe­ci­a­li­za­da SKI Ma­ga­zi­ne. É fá­cil en­ten­der o mo­ti­vo de tan­to re­co­nhe­ci­men­to, que cres­ceu ain­da mais de­pois de 2010, quan­do a ci­da­de re­ce­beu as Olim­pía­das de In­ver­no.

Nos me­ses mais fri­os do ano, Whis­tler fi­ca co­ber­to por uma abun­dan­te ca­ma­da de ne­ve fo­fa do ti­po “pow­der”, a mais per­fei­ta pa­ra es­qui­ar e fa­zer snow­bo­ard. Pa­ra pra­ti­car es­ses es­por­tes, há 200 pis­tas de di­fi­cul­da­des di­fe­ren­tes, além de 37 mei­os de ele­va­ção. O gran­de des­ta­que fi­ca por con­ta do te­le­fé­ri­co PEAK 2 PEAK, que li­ga di­re­ta­men­te as mon­ta­nhas de Whis­tler e de Black­comb, sen­do uma es­tru­tu­ra úni­ca no mundo. Com uma al­tu­ra de 436 me­tros so­bre o va­le e in­crí­veis três quilô­me­tros de ca­bos en­tre os dois pon­tos de su­por­te, foi pa­rar até no Guin­ness Bo­ok. A atra­ção é im­per­dí­vel até pa­ra quem não pre­ten­de es­qui­ar, já que dá aces­so a vis­tas de 360°.

Há vá­ri­as ou­tras ati­vi­da­des de in­ver­no em Whis­tler, de pa­ti­na­ção no ge­lo a pas­sei­os de tre­nó e o di­ver­ti­do tu­bing (des­li­zar so­bre a ne­ve em uma boia). Um dos le­ga­dos dos Jo­gos Olím­pi­cos, o Whis­tler Sli­ding Cen­tre tem pis­tas de ge­lo pa­ra pra­ti­car bobs­led e ske­le­ton, du­as mo­da­li­da­des que ga­ran­tem mui­ta adre­na­li­na com des­ci­das a 80 km/h.

Cu­ri­o­sa­men­te, os ca­na­den­ses con­si­de­ram o in­ver­no em Whis­tler a bai­xa tem­po­ra­da, o que pro­va que o des­ti­no vai mui­to além dos es­por­tes na ne­ve. As atra­ções de ve­rão in­clu­em 40 km de vi­as pa­vi­men­ta­das pa­ra pas­se­ar de bi­ci­cle­ta (Val­ley Trail), raf­ting, bun­gee jum­ping, tri­lhas su­a­ves pe­las mon­ta­nhas e o Whis­tler Moun­tain Bi­ke Park, um dos mai­o­res e melhores do gê­ne­ro no mundo – tan­to que fre­quen­te­men­te re­ce­be cam­pe­o­na­tos de moun­tain bi­king.

Além dis­so, mui­tas das ati­vi­da­des em Whis­tler va­lem pa­ra o ano in­tei­ro, co­mo o PEAK 2 PEAK e o bobs­led, cu­jos tre­nós ga­nham ro­das nos me­ses mais quen­tes. Ins­ta­la­das em dois pon­tos di­fe­ren­tes na ci­da­de, as ti­ro­le­sas tam­bém fun­ci­o­nam tan­to no in­ver­no quan­to no ve­rão, quan­do, ao vo­ar so­bre a flo­res­ta bo­re­al, vo­cê tem a chan­ce de avis­tar até mes­mo ur­sos. Tours que le­vam às ca­ver­nas de ge­lo, que for­mam um es­pe­tá­cu­lo na­tu­ral, po­dem ser fei­tos em qual­quer épo­ca.

Aos pés das mon­ta­nhas Whis­tler e Black­comb, Whis­tler Vil­la­ge é o co­ra­ção da ci­da­de, lu­gar que con­cen­tra to­do o agi­to e pes­so­as do mundo in­tei­ro. A vi­la é fa­mo­sa pelo après-ski ani­ma­do, com uma sé­rie de res­tau­ran­tes des­con­traí­dos com me­sas ao ar li­vre, pubs, ba­res (in­cluin­do um bar de ge­lo), mui­ta mú­si­ca e cer­ve­ja­ri­as ar­te­sa­nais. Tu­do es­tá co­nec­ta­do pelo Vil­la­ge Stroll, vi­as on­de car­ros não são per­mi­ti­dos.

Com um am­bi­en­te mui­to char­mo­so e agra­dá­vel, há de­ze­nas de es­ta­be­le­ci­men­tos gas­tronô­mi­cos e mais de 150 lo­jas em Whis­tler Vil­la­ge. As op­ções de hos­pe­da­gem con­tem­plam to­dos os per­fis e or­ça­men­tos e vão do bá­si­co ao lu­xo, co­mo é o ca­so do icô­ni­co Fair­mont Cha­te­au Whis­tler. Ou­tro des­ta­que é o Scan­di­na­ve Spa, com ba­nhos quen­tes ao ar li­vre e tra­ta­men­tos de hi­dro­te­ra­pia – tu­do is­so em meio à flo­res­ta, com vis­ta pa­ra as mon­ta­nhas. Pa­ra a co­mo­di­da­de dos tu­ris­tas, na vi­la há uma boa ofer­ta de hotéis e res­tau­ran­tes ski-in/ski-out – ou se­ja, com fá­cil aces­so às pis­tas de es­qui.

No Whis­tler Olym­pic Pla­za, con­fi­ra ati­vi­da­des gra­tui­tas pa­ra cri­an­ças e even­tos ao ar li­vre, co­mo shows e fei­ras de pro­du­tos lo­cais. Va­le des­ta­car que gra­ças à pro­xi­mi­da­de da cos­ta, a tem­pe­ra­tu­ra em Whis­tler é mais ame­na do que em ou­tras es­ta­ções de es­qui pelo mundo, fi­can­do em tor­no de -5°C du­ran­te o in­ver­no. Ao lon­go de to­do o ano, a ci­da­de re­ce­be fes­ti­vais im­per­dí­veis, co­mo o World Ski & Snow­bo­ard Fes­ti­val, que acon­te­ce em abril e com­bi­na es­por­te, ar­te e mú­si­ca.

Em Whis­tler, há to­do o ti­po de ati­vi­da­de na ne­ve, co­mo es­qui, snow­bo­ard e tu­bing. Abai­xo, Whis­tler Vil­la­ge con­cen­tra hotéis, res­tau­ran­tes, ba­res e lo­jas.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.